A César o que é de César. Parabéns, Sporting.

Sunday, 1 July 2018 · Posted in ,

Centenário Sporting, Capitulo XX, 'Grandes Iniciativas e Dedicações': A base da realidade do mundo sportinguista é constituída pelas esferas da convivência social, do direito, da educação física e do desporto. Em todas elas domina uma divisão de trabalho, segundo o qual o dirigente, o técnico, o sócio e o atleta realizam uma função específica, num lugar determinado da sua actividade. A vontade está assim adstrita às tarefas que por essa forma lhe são dadas, e por aquelas que o finalismo próprio de cada disciplina lhe consigna.

Completando 112 anos de vida, podemos dar hoje os parabéns ao clube. É fácil e estão dados. Mais importante, para o Sporting, podemos também desejar que inverta a tendência das 5 últimas décadas. No dia em que até apresentámos um novo treinador, não há 5 décadas mas 7, o treinador do Sporting, simultaneamente um dos nomes mais importantes da sua história e da história do futebol em Portugal, desenhou a matriz que com o próprio, e já sem ele, reproduziria o seu período áureo. Disse-nos: Como o génio musical ou artístico, a habilidade no football não se desenvolve e apura sem uma aprendizagem cuidada e racional e uma prática persistente e intensa -- Cândido de Oliveira, 1935; Como noutras áreas da actividade humana vingara a análise científica, o que provava que o 'futebol era um jogo desportivo com uma base racional, inteligente e, podíamos acrescentar, científica' -- Cândido de Oliveira, 1949.
A táctica (era) é o fundamento racional do jogo (moderno), princípio da sua eficácia. Obedecendo a princípios racionais de organização, cabe ao treinador geri-los da forma adequada, e cabe a todos os outros (nós) não interferir no trabalho daqueles que são (treinadores, jogadores) os únicos capazes de oferecer prestígio e títulos ao clube. Porque falamos de modalidades desportivas, por mais voltas que o mundo dê, mais ninguém o fará.

É pouco surpreendente como nos anos 30 e 40 Cândido de Oliveira utilizava, no Sporting, para o futebol, uma linguagem que compreendia termos como análise científica, base racional, e inteligente, quando os princípios racionais perfeitamente identificados só apareceriam décadas mais tarde (em Portugal, introduzidos por Carlos Queirós). Mas, ao mesmo tempo que «o Mestre» Cândido de Oliveira introduz linguagem como esta, não deixa cair algo igualmente importante como o génio musical ou artístico.

Pois bem, é na mistura de génio com os princípios racionais que o Sporting inverterá a tendência das 5 últimas décadas, sabendo e tendo o Sporting a certeza, espero, que se é garantido que o clube amanhã não permanecerá idêntico ao que é hoje, a alternativa a não inverte-la será aprofundá-la. É sempre possível fazer pior, e só é possível fazer pior ou melhor, não existindo uma terceira via. É assim tão simples. Numa fase especialmente complicada da sua vida, caberá ao Sporting, e só ao Sporting, demonstrar por A mais B ser capaz de rejeitar a primeira e de alcançar a segunda, interiorizando hoje, talvez, mais do que nunca, que não é suficiente querer ser ‘um grande Clube, tão grande como os maiores da Europa’. Esse tempo já lá vai ...

É preciso saber-fazer, e é o meu desejo que o Sporting o faça.
Não gastaria tempo a desejá-lo se não soubesse que és capaz.

Leave a Reply

Powered by Blogger.