60 milhões para brigar por feijões e por prémios de 15 - 20 milhões.

Saturday, 5 May 2018 · Posted in ,

Com condições perfeitas para triunfar e celebrar um inédito «penta», uma tribo experimenta amargura após a perda do trono no seu estádio com um golo aos 90 minutos de jogo, Herrera. Outra tribo obterá o 2º lugar jogando em casa frente à primeira / àquela que no seu estádio baqueou. Para efeitos de campeonato nenhum destes clubes vencerá o que quer que seja. Para efeitos de campeonato, no entanto, encontrado um campeão que não o Benfica, a época do Sporting aparenta terminar em sucesso. Tal diz muito da fantasia (estamos ao nível deles) que só sobrevive dessa forma — fantasia, evidenciando em simultâneo a quase-completa redução das expectativas ou da esperança que a vinda de Jorge Jesus produziu em 2015, esperança reduzida pela patologia que contaminou a clarividência, o poder destrutivo (no bom sentido) e a saúde mental de um dos mais brilhantes treinadores de futebol no mundo, treinador que neste momento da sua carreira conta apenas com toda a bagagem técnica que ainda faz dele um peso-pesado. Dos três chamados 'grandes', goste-se ou não, só num poderia este brilhante treinador ao fim de 3 anos sem conquistar o título aparentar transpirar saúde. Para feitos de futebol, na relação com os outros dois emblemas, esse menos 'grande' é o Sporting. Não serve tal para bater num clube que sob muitos outros critérios é evidentemente 'grande', mas serve tal para sugerir lamento pela incompetência que com origem dentro de portas impediu e vai continuar a impedir que o Sporting dispute os títulos que com este treinador, em condições normais, deveria disputar. Para aceder à receita da LC não é preciso desbaratar largas dezenas de milhões em orçamentos estapafúrdios que se traduzem nos 2º e 3º lugares. Treinada por Jorge Jesus deverá uma equipa apontar directamente ao 1º lugar, gastando metade desse valor.

Leave a Reply

Powered by Blogger.