Normalmente há o bom e há o mau. E normalmente não há mais nada.

Tuesday, 10 April 2018 · Posted in

Nas dinâmicas que nos tumultos relacionam 'uns' a 'outros', males menores é sinónimo de fracasso. Bruno de Carvalho foi só mais uma prova disto mesmo. Entre este (Bruno de Carvalho) e nomes que -- sem desprezo pela liberdade que têm para intervir -- regularmente aparecem e que nada oferecem / ofereceram / oferecerão ao Sporting (porque de desporto ou de Sporting são pouco mais do que zero), o clube precisa de quem goste dele e de quem (1º) esteja vocacionado e (2º) capacitado para ajudá-lo. Se existe naturalmente muita gente que gosta do Sporting e se há alguma gente capacitada para servi-lo (é óbvio que há), a verdade é que sem vocação não se faz nada. E quem tem vocação raramente a apregoa. Vá lá João, faz a defesa da tua vida.

Difícil, seguramente. Mas para ti será só mais uma ...

One Response to “Normalmente há o bom e há o mau. E normalmente não há mais nada.”

  1. Prestaria um melhor serviço ao Sporting se pensasse em alternativas realistas e não meramente em quem pode caçar votos aos brunistas. Quando João Benedito tiver mais idade do que candidato a delegado de turma, pode ser que se leve a sério... além que nunca fez nada fora do futsal.

    ReplyDelete

Powered by Blogger.