Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Ajax Amsterdam 3 - 1 Manchester U. FC

Wednesday, 24 May 2017


Em 1989 o Muro de Berlim não caiu, mas rachou. 2 anos mais tarde, em 1991, o império Soviético ruiria com estrondo. O resto é história: Ivan Dracara desmanchou Apollo em Las Vegas (James Brown esteve lá) mas em Moscovo, perante o seu público, foi incapaz de ultrapassar Rocky Balboa. Contam alguns relatos, e eu acredito, que os 2 eventos (Queda do Muro de Berlim e Rocky IV) estão relacionados. Porquê? As imagens existem. A extraordinária banda sonora também. O mundo assistiu emocionado às palmas que Mikhail Gorbachev, no fim do combate, endereçou ao pugilista Italo-Americano. 1989, 1991, e tanto a NATO como o Pacto de Varsóvia viram-se abalados pelo mundo do desporto.

No entanto, a história não é assim tão simples.

Estamos agora a 7 de Setembro de 1988, em Lisboa, no coração da cidade, no momento em que uma fantástica troop das Netherlands, sedente de sangue, aterrou em Portugal a fim de defrontar o Sporting no nobre Estádio José Alvalade. Assim o fez com legitimidade por se tratar de uma equipa fortíssima. Do outro lado esteve todavia o Sporting Clube de Portugal. Estiveram Oceano, Carlos Manuel, Fernando Mendes, Carlos Xavier, Silas e Paulinho Cascavel.

O Ajax de Amsterdão seria nessa noite goleado por 4-2.



Igualmente emocionante foi o dia em que completei 7 anos de idade—05 de Outubro de 1988. Recordo como se tivesse sido ontem. Chegámos a casa e perguntei: «mamã o que é o jantar?». Ao que ela respondeu: «não sei mas a maior potência desportiva Nacional venceu na Holanda e eu quero ver os resumos».

Nessa noite o Sporting venceu em Amsterdão por 1-2.

0 comentários:

Post a Comment