Tuesday, 18 April 2017

A melhor arena do mundo. Em tempos, guardada por cavalos do Sporting.

Nem sempre o Wembley foi o Wembley. A catedral do futebol mundial, desta forma descrita por Pelé, capital e coração do futebol, precisou de apenas 300 dias para se ver erguida,  concluída 96 horas antes da data prevista para a sua inauguração. Nascido e baptizado com o nome de Empire Stadium, oficialmente, British Empire Exhibition Stadium, a 28 de Abril de 1923 estava pronto para receber o seu 1º jogo de futebol. Com o Rei George V na tribuna, Bolton Wanderers e West Ham jogariam a final da FA Cup. Tendo a inauguração despertado fascínio nos 3 cantos de Inglaterra, e com uma rede de caminhos de ferro muito avançada para o tempo, os organizadores esperavam lotação esgotada. Fortaleza do futebol Inglês, construído sob esse desígnio, o Empire Stadium fora dotado com a magnífica capacidade para 125 000 pessoas. Naquela tarde, todavia, apareceu uma multidão de 300 000. À falta de controlo, todos entraram. O resultado foi este:


 
Juntamente com a final do campeonato do mundo em 1950, entre Brasil e Uruguai, no Maracanã, são estes os 2 jogos com as maiores assistências na história do futebol. No Maracanã, apesar dos nºs oficiais apontarem para os 173 000, estima-se que 210 000 pessoas terão assistido ao jogo no estádio. A Norte de Londres, no Wembley, ficou para a história o caos que antecedeu a partida. À hora do começo do jogo o relvado ainda se encontrava inundado por uma multidão que não tinha simplesmente para onde ir. Horas antes, a chegada do Rei George V fornecera ao caos uma atmosfera pacífica. «A multidão cooperou» e com a chegada da polícia montada foi-se ela própria empurrando além dos limites do relvado. O objectivo não era retirar espectadores  mas libertar o rectângulo para que as duas equipas pudessem iniciar o jogo.

Naquele dia também ficou para a história um cavalo de nome Billie.

A icónica imagem de um corajoso cavalo branco em face da multidão.
Em boa verdade, o cavalo era cinzento, mas no rolo o negativo exibiu-o branco. Popularizada pela «Times», a imagem simbolizou o fenómeno.

Começando com 1 hora de atraso, o jogo ficou conhecido pela 'White Horse Final', e quem nos dias de hoje visitar o novo Wembley saberá, no acesso pedonal ao estádio, o porquê de atravessar a 'White Horse Bridge'.

«As my horse picked his way onto the field, I saw nothing but a sea of heads. I happened to see an opening near one of the goals and the horse was very good – easing them back with his nose and tail until we got a goal-line cleared. I told them in front to join hands and heave and they went back step by step until we reached the line. Then they sat down and we went on like that ... it was mainly due to the horse. Perhaps because he was white he commanded more attention. But more than that, he seemed to understand what was required of him. The other helpful thing was the good nature of the crowd» 
-- PC George A. Scorey, Billie's (policeman) rider

0 comentários

Post a Comment