No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

9 golos em 39 minutos, entre os 46 e os 85 minutos de jogo. Consegue imaginar?
Arsénio Duarte, Mário Rui e Rogério Pipi, com 3 dos 9 golos apontados em somente 12 minutos. O nosso Albano ainda reduz, mas Arsénio, Mário Rui, novamente Arsénio e novamente Mário Rui em 9 minutos fazem mais 4. Fernando Peyroteo, tal como o público, leva as mãos à cabeça e não quer acreditar, e minutos depois de reduzir aos 85, o árbitro apitou para o final da partida.
Tudo demasiado depressa, à velocidade da luz, a suficiente para que o Sporting CP se visse de rastos, vergado não a uma derrota mas a um pesadelo de 7 golos. Foi a 28 de Abril da época 1945/46.

7-2 foi o resultado final, com 3 Violinos em campo. Foi obra, uma obra do Benfica.
Arsénio Trindade Duarte: 298 jogos, 218 golos
1 Taça Latina, 1949/1950
3 Campeonatos Nacionais, 44/45, 49/50, 54/55
6 Taças de Portugal, 43/44, 48/49, 50/51, 51/52, 52/53, 54/55

No mês seguinte, a 27 de Maio, majestosas, as «3 Torres de Belém» sagrar-se-iam campeãs Nacionais de futebol na «tarde mágica de Elvas», garantindo o 4º campeonato Nacional para o 'os Belenenses' daquele que nesta época, na cerimónia de despedida dos relvados, em jogada individual levantaria o público, um público que saudou com fortes aplausos o gesto do 'Belenense' que no fim da partida entregaria a Taça que vencera nas mãos do capitão do Sporting.

O fracasso prepara-nos para o sucesso, referência ao esmagador nº de títulos que o Sporting conquistaria nos 10 anos seguintes.
1946/47 Sporting CP
1947/48 Sporting CP
1948/49 Sporting CP
1949/50 Benfica
1950/51 Sporting CP
1951/52 Sporting CP
1952/53 Sporting CP
1953/54 Sporting CP
1954/55 Benfica
 [Nota: A época 1949/50 que interrompe um eventual octacampeonato Nacional para o SCP coincidiu com o abandono de Fernando Peyroteo.]
Imagem, aqui.

O veneno de Arsénio Trindade Duarte, na época das «3 Torres de Belém»

Posted on

Saturday, 25 March 2017

Leave a Reply

Search This Blog