Wednesday, 8 March 2017

A justiça caiu para o lado de Marco Silva mas infelizmente o autor moral do crime continua a monte

É com bastante satisfação que lemos as notícias da condenação de José Eduardo em tribunal pelo crime de difamação no processo que o opunha a Marco Silva. Relembramos que o contributo de José Eduardo foi indispensável na campanha perversa que viu o ex treinador do Sporting publicamente humilhado pelo clube que representou com inegável profissionalismo e brio na época de 2014/15. Como parte da sentença, José Eduardo vê-se condenado ao pagamento a Marco Silva de uma indemnização de 10000 euros bem como ao pagamento de 5400 euros de multa ao Estado a que se somam as despesas judiciais do processo. Além destas, José Eduardo terá ainda de suportar os custos do anúncio da sentença nas edições dos 3 maiores jornais desportivos e generalistas do país além do anúncio da sentença nos canais de televisão RTP e RTP3.

Ainda assim, por se tratar de quem instrumentalizou José Eduardo ao longo da campanha miserável que visou o assassinato público do nosso (então) treinador cujo desfecho seria um vergonhoso despedimento por justa causa (vergonhoso para o Sporting, não para o nosso ex treinador), lamenta-se que o maior responsável pelo caso escape mais uma vez por entre os pingos da chuva como se nada tivesse a ver com o assunto. Pequenino, ridículo e sonso como sempre, os sportinguistas sabem no entanto ter sido Bruno de Carvalho - e não a sopeira José Eduardo - o verdadeiro autor moral de um crime e de um caso (mais um) que como disse envergonhou / envergonha o Sporting Clube de Portugal.
Há valores mais importantes que o dinheiro. A indemnização tem um peso relativo, o prestigio e a pessoa do Marco Silva falam por si. A decisão era a esperada e veio demonstrar que a justiça funciona. A verdade foi reposta. As pessoas não podem, impunemente, atentar contra a honra e dignidade dos outros. O essencial é a condenação. A indemnização é secundária.

2 comments:

  1. Ainda agora acabei de escrever que em qualquer Organização de gente de bem rolavam várias cabeças. O que não é caso manifesto deste SCP. Infelizmente. E é o próprio condenado que faz questão de os citar, um por um.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sim, ele mencionou Virgílio Lopes e Augusto Inácio. Os "corredores" afinal não eram só paredes ...

      Delete