No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

À semelhança da jornada que nos viu visitar o Estádio da Luz, não tenho grandes dúvidas que o Sporting se apresentará a um bom nível no próximo sábado frente ao FC Porto. Jogos difíceis mas especiais como o próximo, ainda que fora de portas, são numa medida menos complicados relativamente a visitas à Madeira, Braga, Chaves ou outros estádios do nosso campeonato. Assim será, estou seguro, no que ao actual contexto do Sporting respeita, ainda que tenhamos nesta altura uma equipa pouco serena que atravessou, ou atravessa, um período complicado dada a sequência de 4 ou 5 maus resultados, subsequente atraso na tabela (e eliminação dum par de provas), e dada a má pressão que sobre ela se instalou. (Existe a boa pressão, mas essa é mais difícil de cultivar.)
Em todo o caso, para os jogadores do Sporting, não existirá motivação e prazer maiores do que jogar em palcos como o do Dragão, Luz, Santiago Bernabéu, ou outros desta espécie. Jorge Jesus não terá sobre esta matéria, psicologia, muito com que se preocupar ou tempo a gastar, estando garantidas à partida condições indispensáveis para que façamos um bom jogo, especialmente se tivermos a felicidade e a necessária qualidade para fazer o 1º golo. Ambas (qualidade e felicidade) são necessárias. Há sensivelmente 7 ou 8 semanas, apesar de se ter preparado incomensuravelmente melhor e de se ter exibido num nível bastante superior ao adversário (não é difícil, olhados os comandos técnicos), o Sporting saiu derrotado da Luz também pelo golo fortuito com que o Benfica inaugurou o marcador. Por ter passado grande parte do jogo em desvantagem no resultado, ainda que tivesse sido superior e ainda que tivesse jogado melhor durante toda a partida, os jogadores do Sporting (infelizmente) nunca descontraíram. Se o 1º golo e o avanço no marcador pesa bastante em quase todos os jogos, nos desafios entre grandes, nos clássicos, esse peso é inquestionavelmente maior.

Logicamente, a boa psicologia para a qual contribuirão factores como a motivação e o prazer de jogar no Estádio do Dragão, bem como os acontecimentos inerentes ao próprio jogo como a felicidade de marcar 1º (caso tal aconteça), só serão relevantes se a equipa do Sporting exibir as qualidades que por norma exibe neste tipo de encontros, quando são estes os jogos nos quais Jorge Jesus se assume como um actor extraordinariamente importante. Com consideração por Nuno E. Santo, treinador que não se aproxima da competência de Jorge Jesus mas que na minha modestíssima opinião é mais capacitado do que outros nesta altura com mais pontos, dificilmente o FCP se apresentará no próximo sábado preparado para responder aos desafios que o Sporting lhe colocará. Seremos uma equipa colectivamente do melhor que há. Tacticamente exímia. Estrategicamente insuperável. Estaremos motivados. Estaremos descontraídos. E marcaremos primeiro. 2-3 é o meu prognóstico.

No Estádio do Dragão, contra mim nada podes

Posted on

Thursday, 2 February 2017

Leave a Reply

Search This Blog