No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Independentemente da probabilidade que terá de vir a treinar o Sporting, é sempre uma enorme satisfação vermos um nome grande do futebol Europeu referir-se ao nosso clube em termos muito elogiosos: «Foi uma decisão fácil. Estou a 100% com o Pedro [Madeira Rodrigues], com o seu projecto e espero que os sócios confirmem o meu nome como novo treinador do Sporting. Não vamos defraudar os sportinguistas. Juntos vamos levar o Sporting à senda dos triunfos e do sucesso. Juntos vamos levar o Sporting aos triunfos»
Vindas do Espanhol, estas palavras são (no bom sentido) música para os nossos ouvidos. Infelizmente, dado o estado em que se encontra o clube, não é difícil antecipar algum do lixo que procurará apoucar os méritos de Juande Ramos só pelo simples facto de se associar ao candidato que se opõe a Carvalho.

Dono de uma fortíssima componente teórica, dono de uma fortíssima componente prática, Juande Ramos é um pensador e simultaneamente maquinador arquitectónico que  para efeitos de treino não diverge muito de Jorge Jesus. Tal como para o nosso JJ, Ramos é também um autodidacta. Dele disse-nos um dia o mestre Argentino, jogador e treinador Marcelo Trobbiani:

«Ele é um grande exemplo de um treinador que aprendeu tudo sozinho. Não recebeu nada de ninguém nem precisou de um passado glorioso como jogador de futebol. É por isso que os seus feitos são uma conquista. Não há dúvidas de que se quisermos ser bons treinadores teremos de olhar para Juande Ramos»

Metodológico, meticuloso, por vezes acusado de levar o seu trabalho demasiado a sério e por vezes acusado de inflexibilidade, a alcunha de «O Cruel» angariada no futebol inglês assenta como uma luva ao técnico que deu a glória a clubes como o Rayo Vallecano, Sevilha, e Real Madrid. Logicamente, foram os trabalhos em Sevilha e em Madrid que fizeram de Juande Ramos um dos mais consagrados treinadores na Velha Europa. Antes disso, o agora sportinguista já fizera história no Rayo Vallecano quando este clube recém-promovido à 1ª Divisão se viu convidado, a título excepcional, para participar nas provas Europeias de futebol como prémio pelo fair play que a sua equipa evidenciava em campo. Foi ainda no Rayo Vallecano que Juande Ramos protagonizou um dos mais famosos episódios na história do jogo: a vencer por 2-0 e insatisfeito com a postura relaxada dos seus jogadores, retirou do campo um elemento não fazendo entrar outro para o seu lugar. A sua equipa ficou assim reduzida a 10. Porquê? Se não jogarem sempre o vosso melhor, a bem ou a mal o adversário vencerá.
Hoje treinado por um dos melhores do mundo, Jorge  Sampaoli, mais do que El Grande de Andalucía, o Sevilha FC foi durante 3 anos a capital Europeia do futebol. Arquitecto de tamanho sucesso? Construtor de tão admirável obra? Juande Ramos. Na sua lista de proezas cabem, entre outras, uma vitória na Taça UEFA em final frente ao Middlesbrough (de Fábio Rochemback) por estrondosos 4-0, à qual se seguiria uma Supertaça Europeia batendo nada mais nada menos do que o campeão Europeu FC Barcelona por 3-0. Na temporada  imediatamente seguinte, 2006/07, nova vitória na Taça UEFA que fez do Sevilha bicampeão Europeu de futebol, conquistando ainda na prova interna um soberbo 3º lugar que valeu a qualificação para a Liga dos Campeões na temporada 2007/08. A este estrondoso sucesso somar-se-iam, igualmente, uma Taça do Rei de Espanha e uma Supertaça de Espanha em vitória sobre o topo-poderoso Real Madrid.

Para o caso de se concretizar, bem-vindo Juande Ramos a Alvalade.

Juande Ramos, o pensador fabricador de futebol

Posted on

Tuesday, 28 February 2017

7 Comments
  1. "Pensador e simultaneamente maquinador arquitectónico. Dele disse-nos um dia o mestre Argentino, jogador e treinador Marcelo Trobbiani" Tanta credencial que à frente do Real levou 6-2 em casa do Barcelona.
    Nem tu próprio acreditas nas coisas que escreves...para quem acusa BdC de vender ilusões olha que não ficas muito atrás!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Juande Ramos tem muitas vitórias frente aos maiores clubes de Espanha, e sem que estivesse à frente de um dos maiores clubes de Espanha ...

      Quando pegou no Real Madrid de Schuster (que 1 ano antes levara por acaso no Restelo um banho de bola do Belenenses de J. Jesus), o Real contava 5 ou 6 derrotas, 2 ou 3 empates e estava completamente arredado do título. Juande Ramos pegou nessa equipa em Dezembro ou Janeiro e somou salvo erro 16 vitórias consecutivas, 17 triunfos em 18 jogos, chegando (no seu reinado) invicto ao clássico com o Barcelona e reentrado na corrida pelo título.

      Só depois desses 2-6 o seu Real nunca mais foi o mesmo. Curiosamente, fenómeno semelhante ao do Benfica de Jesus quando saiu do Porto com 5 na bagagem. Derrotas extremamente pesadas (sobretudo para rivais directos) podem afundar por completo os jogadores e as equipas ... foi provavelmente o caso. Jorge Jesus é mau treinador por ter saído do Dragão com 5? É lógico que não. As diferenças é que do outro lado não estavam Guardiola, Messi, Iniesta ou T. Henry, mas Hulk e Villas-Boas.

      E não estou com isto a dizer que J. Ramos é melhor ou pior do que A, B ou C ou que será sequer - hoje - o mesmo treinador que já foi. Não faço a mais pequena ideia se o é ou não. Agora no lugar de tentar apequená-lo eu sentir-me-ia (sinto-me) contente por um treinador com o seu currículo aceitar vir para o Sporting, quando é garantido que não exigirá 6 ou 8 milhões por época para assinar. Isso por si só é merecedor do nosso respeito.

      Delete
  2. Tinha razao. O lixo nao demorou a aparecer

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ninguém escapa, chame-se Bölöni, Pedro M. Rodrigues, Delfim ou Juande Ramos. Poderia vir de lá o Guardiola que conseguiriam sempre arranjar qualquer coisa de sombria ou de má para dizer. O Sporting de Carvalho é isto.

      Bons bons são o Ricciardi, o Daniel Sampaio, o Barroso e o Miguel Relvas.

      Delete
  3. Manuel,

    Concordo inteiramente com o teu último comentário. É uma pequena (minúscula, em diversos sentidos...) no que o Sporting é hoje.

    Já no que diz respeito aos treinadores toda a gente sabe tudo até se começar a ver os resultados. Por exemplo, quem diria que o Vitória ficaria dois anos consecutivos à frente de JJ? O certo é que está prestes a acontecer. Um treinador é apenas uma peça importante, das mais importantes sem dúvida, mas apenas uma peça, entre várias.

    ReplyDelete
    Replies
    1. "Um treinador é apenas uma peça importante, das mais importantes sem dúvida, mas apenas uma peça, entre várias." Completamente de acordo LdA, e no ano passado vimo-lo, tanto no Sporting como no Benfica.

      Qts pontos Mitroglou já deu ao Benfica? Um jogador desejado por JJ desde 2013 e que esteve a um passo do Sporting. É só um exemplo.

      Delete
  4. "É uma pequena amostra (minúscula, em diversos sentidos...) no que o Sporting é hoje." Assim é que devia ter ficado.

    ReplyDelete

Search This Blog