“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

Vukčević explicou a quem lhe pediu satisfações que se limitou a utilizar, pela enésima vez, um dos golpes do Karaté, modalidade de que é cinturão negro. Frisou que até quarta-feira nunca se tinha magoado com tanta gravidade - 08/16

O município de Chaves na sua totalidade acolhe este humilde e muito bondoso futebolista - 08/16

Os Sūpā Saiya-jin não usam cintos por exibirem (na cor) o grau ou a qualificação alcançada numa disciplina. O Karaté será muito importante mas os guerreiros do espaço dominam técnicas muito mais avançadas de combate e lidam com quantidades inimagináveis de energia. Simon Vukčević tal como qualquer outro híbrido da raça Saiyan utiliza cinto porque vem com o kimono, nada mais - 08/16

Não compreendo e causam-me muito desconforto os ecos que continuam a pôr em dúvida a qualidade do gigante Sérvio nascido nas notáveis montanhas de Titogrado. Ainda ontem em somente 20 minutos mostrou em 5 ou 6 momentos a qualidade que pode emprestar à equipa do Sporting - 04/11

Em 2011, tal como hoje, não existia / não existe no plantel do Sporting um jogador ao qual me sinta / sentisse emocionalmente ligado. O último foi Simon Vukčević, idos os tempos onde olhava para os jogadores do Sporting como heróis - 01/13

A. Zapater, Simon Vukčević, T. Hildebrand, Yannick Djaló, Anderson Polga - 02/13

By no means the video intends to mock Jesus, god or their matters. It establishes a relation which for me, intimately, always existed: the same way Jesus of Nazareth carries within the dreams and hopes of many billions of people, Simon Vukčević carries mine - 01/11, 07:13 Podgorica, Titograde

I played my best for you, rum pum pum pum

Svijetla Majska, 24 December 2012 at 10:09
Thank you Manuel, I love you too!! Keeping you in my heart. The best club in the world! Your friend, Simon Vukčević

PB, 24 December 2012 at 16:40
Não quis. O Simon não quis.

Ficando a faltar Romagnoli, Grimi, Mariano González (FCP) e João Paulo (FCP), atletas que deixarei de lado. Como disse é um exercício simplista, aproveitando no entanto para lembrar que Liedson não participou na final e Simon Vukčević começou-a no banco - 02/12

De lá para cá, mais 2 jogos frente a italianos e mais 2 empates: o primeiro em Lisboa com um golo de raiva de Simon Vukčević. O segundo em Florença - 09/11

Esse jogador poderia ter sido Simon Vukčević mas essa possibilidade não existe mais - 07/11

Exemplo: Javi Garcia é um jogador fenomenal. Entre outros motivos porque destaca-se no jogo de coberturas, sabe ler muito bem os movimentos da equipa, joga colectivamente, privilegia a temporização e a posse num jogo de apoios quando muitas vezes ainda procede à necessária verticalização. Já Simon Vukčević, infinitamente mais talentoso e jogando futebol que Javi nunca na sua vida jogará, é um tipo que não tem lugar no Sporting ou qualquer outra equipa. E pronto, o veredicto do entendido está achado. Como se discutirá isto? Não se discute porque para tal seria preciso discutir a 'posse' e a 'temporização' dos 'apoios'. Não se olha para o problema antes para elementos de linguagem. Simplicidade, Ivić. Neste exemplo absurdo até se percebe que assim seja porque Javi é um jogador de equilíbrios. Agora repetir a fórmula para tudo e mais alguma coisa não enjoa já, sequer - 06/11

-- Quando apareceu no Partizan os adeptos comparavam-no comigo. Não era difícil perceber porquê: o seu pé esquerdo era o de um escultor, ao mesmo tempo que jogava com muita alma. Quando a bola lhe chegava, ganhava vida. A equipa ganhava espírito. O público voava. Ao mesmo tempo que o estádio explodia. Pessoalmente, se não poderei dizer que via muito futebol sérvio, pelo menos na Croácia era o que dizíamos sobre ele -- Zvonimir Boban

Simon Vukčević data, compilação

Posted on

Friday, 20 January 2017

Leave a Reply

Search This Blog