No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Com 1 único campeonato conquistado nos 4 anos anteriores, num período que via o rival Benfica superiorizar-se ...
1941/42 Benfica,
1942/43 Benfica,
1943/44 Sporting CP,
1944/45 Benfica,
... o Sporting entrou em 1945/46 disposto a mudar o rumo dos acontecimentos. Teria ainda assim de esperar mais uma época já que em 1945/46 os Belenenses garantiriam o 4º Campeonato Nacional da sua história. Já aqui fizemos (entre mais) duas extraordinariamente importantes referências a esta época, uma que viu um dos mais importantes nomes da história do Sporting chegar e efectivamente dotá-lo das competências que veriam o clube de José Alvalade esmagar a concorrência ao longo de 10 anos. Foi em 1946 que tudo começou, quando Cândido de Oliveira foi convidado a ingressar no comando técnico de um Sporting que lutava contra resultados adversos (link1). Aceitando o convite, impôs a exigência de que o treinador do Sporting (link2), António Abrantes Mendes, se mantivesse no lugar, ocupando Cândido de Oliveira o posto de director-técnico durante um conjunto de meses no qual rejeitaria ainda qualquer vencimento. Génio e convicto democrata, tomaria em mãos na época seguinte as funções de treinador, iniciando-se o período hegemónico do futebol sportinguista. No pós-II Guerra Mundial, a par do Torino de Itália, o Sporting ver-se-ia com justiça reconhecido como a melhor equipa de futebol no mundo. Internamente e além-fronteiras não havia quem nos beliscasse.

Quando tudo começou, 1945/46, temporada que como vimos consagrou pela 4ª vez os Belenenses como Campeões Nacionais, o Sporting escreveu a 07/04/1946 a maior vitória até hoje alcançada em Setúbal.
O resultado final foi de 0-7. O Sporting alinhou com: Azevedo, Álvaro Cardoso, Octávio Barrosa, João Nogueira, Manuel Marques, Veríssimo, Fernando Peyroteo (autor de 3 golos), António Marques, Jesus Correia, Albano (autor de 2 golos), e Pacheco Nobre (autor de 2 golos).

Não seria preciso esperar muito até que Vasques e Travassos se juntassem à equipa, contribuindo para que se eternizasse como a melhor de sempre do futebol português.

Quando o Sporting somou a maior vitória da sua história em Setúbal.

Posted on

Wednesday, 4 January 2017

Leave a Reply

Search This Blog