Saturday, 7 January 2017

Neste lamaçal há 77 anos, sinais dos tempos.

Neste lamaçal, há 77 anos, Fernando Peyroteo apontou 8 dos 13 históricos golos que derrotaram a Selecção do Porto em 1940.
O resultado foi 13-2. Assinalamos a efeméride.

O Sporting CP fora campeão Nacional em 1935/36.
Na época seguinte, 1936/37, sucedeu-lhe o FC Porto.
Em 1937/38, o Sporting recuperou o título.
Mas em 1938/39, o FCP fez o mesmo.
Em 1939/40, o FCP vence o primeiro bicampeonato da sua história, último título antes de um jejum de 16 anos que seria quebrado em 1955/56.
Em 1940/41, o Sporting foi novamente campeão Nacional.

Relembro que nas duas décadas entre 1921/22 e 1939/40 o ligeiro ascendente no futebol português pertenceu à formação do Porto (6 campeonatos Nacionais).

Sporting CP (4), CF os Belenenses (3) e SL Benfica (3) apareciam por esta ordem nos lugares seguintes. Todavia, ao longo destes 6 anos, [1935 - 1941], Sporting CP e FC Porto repartiram os títulos de campeão em disputa com 3 para cada lado.

A partir daqui, FCP 'desaparece', Sport Lisboa e Benfica ocupa o lugar de 2ª potência desportiva em Portugal e o Sporting arranca para 1 década e 1/2 de competição onde vence 9 campeonatos em 14 anos.

Fomos durante muito tempo a principal força do futebol Nacional, tínhamos as melhores equipas, os melhores jogadores e a maioria dos títulos foram nossos. Não transferíamos bons jogadores para os principais rivais, FCP. Quisessem, teriam de no-los roubar, e o Sporting fazia o mesmo, principalmente ao Benfica. O concurso de Joseph Szabo foi como exemplo garantido desta forma. Quando o húngaro deixou de jogar futebol, ao serviço do Marítimo, ingressou no FCP como treinador vencendo uma série de títulos até se desentender e agredir um dirigente que o insultara. Mudou-se para Braga e após estagiar no Arsenal de Londres revolucionou o clube minhoto, trazendo para Portugal métodos absolutamente inovadores. A influência levou-o inclusivamente a alterar os equipamentos do SC Braga (daí as parecenças com os do Arsenal) e a sua qualidade como técnico era tanta que o FCP autorizou em Assembleia-Geral o seu regresso ao clube.

O problema foi Joaquim Oliveira Duarte, presidente do Sporting Clube de Portugal que em boa hora desviou-o do seu destino. Na capital do império desportivo português, Alvalade, venceu no Sporting 11 títulos em 9 anos, entre Campeonatos de Lisboa, Campeonatos Nacionais, Taça de Portugal e Taça Império. Foi o húngaro quem reparou nas virtudes de Jesus Correia ao serviço do Paço de Arcos e foi também quem fez de Fernando Peyroteo o mais alcançado nome na história do futebol português. A longa, apesar de interrupta ligação concluiu-se em 1973, a 17 de Março, onde faleceu aos 76 anos no lar do clube, como era seu desejo.

0 comentários

Post a Comment