“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

Sem desprezo para o misto de críticas e de opiniões sobre os (poucos) méritos na gestão do plantel do Sporting de 2015/16 para 2016/17 (méritos como a transferência de Slimani), e sem esquecer os atempados alertas para muitos dos defeitos dessa mesma gestão que cedo faziam perceber, infelizmente, uma distância enorme para Benfica e FCP em matéria de qualidade de decisão, não consigo perceber, na ressaca da sua saída do Sporting, a quantidade considerável de análises a incorporar Marković no grupo de jogadores cujas entradas se poderão interpretar como contraproducentes, nocivas ou desportivamente falhadas.
Em matéria de entradas, ainda que por empréstimo (empréstimo caro, refira-se), não tenho grandes dúvidas que Marković foi, a par do guarda-redes Beto, o único caso de sucesso de entre todos os jogadores que o Sporting escolheu para reforçar a sua equipa em 2016/17. Assim é porque não era descabido antecipar que um jogador como ele pudesse provar-se decisivo ainda que não reunisse as qualidades físicas exibidas aquando da sua passagem pelo Benfica: o Marković que desequilibrava socorrendo-se (também) da sua enorme velocidade, o Marković das arrancadas, o Marković imparável no 1x1. E ainda que não reunisse o pleno destes atributos, ou ainda que se pudesse imaginar demorar tempo até que pudesse recuperá-los, não era descabido antecipar um contributo decisivo na equipa do Sporting olhadas as suas inteligência, intuição para o jogo e enorme qualidade técnica.
Sem menosprezo, Marković a 70% daria sempre mais do que a maioria dos jogadores habitualmente utilizados no Sporting.

Hoje podemos constatar o seu quase-inexistente rendimento na equipa. O que não podemos é afirmar que o Sporting não deverá procurar reforçar-se com jogadores como Marković, ou censurar a sua escolha como reforço.

Não resultou, mas são jogadores como tu que mais falta fazem a equipas grandes

Posted on

Tuesday, 24 January 2017

Leave a Reply

Search This Blog