No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Confusão no balneário: presidente fez discurso muito duro. Adrien e William não gostaram e defenderam a equipa, apoiados por Bas Dost.
Na certeza de que Jorge Jesus não limita as capacidades dos seus jogadores (pelo contrário, explora-as e exponencia-as), quando não existe capacidade para algo tão simples como perceber que os jogadores jogam aquilo que sabem, e quando esse alguém, presidente do Sporting, é simultaneamente quem chama a si a responsabilidade de formar plantéis qualitativamente muito aquém do potencial dum clube como o Sporting, plantéis esses que nos momentos de adversidade responsabiliza pelos maus resultados, é fácil adivinhar que o Sporting dificilmente encontrará as soluções para os seus problemas.
Pequena correcção ao título: para Marco Silva, mais do que debilitar, o presidente do Sporting armadilhou o seu trabalho. Para sermos honestos.

Forma os plantéis, interfere, debilita, prejudica o trabalho dos seus bons treinadores (pelo menos 2), e na adversidade responsabiliza os jogadores. Admiráveis episódios do surrealista planeta Carvalho.

Posted on

Sunday, 15 January 2017

Leave a Reply

Search This Blog