Com as contas do campeonato semi-arrumadas o Sporting tem nos próximos 6 meses todo o tempo do mundo para perceber onde falhou, garantido que não poderá descurar a classificação (a todos os níveis fundamental) que dará acesso às primeira ou segunda pré-eliminatórias da LC da próxima época.
Quando confrontado com o nº de pontos que o Sporting tinha à 13ª jornada de 2015/16, Jorge Jesus dizia há 2 dias que não podíamos comparar as duas épocas. Disse-o bem já que nunca fora difícil antecipar aquele que seria o principal adversário do Sporting nesta temporada, ou um dos principais: a ausência de soluções de qualidade em posições-chave no 11 e a notória ausência de qualidade na globalidade do plantel, em associação a uma campanha Europeia que se adivinhava exigente e que misturaria jogos da LC com confrontos domésticos. Serve tal para que coloquemos os problemas em perspectiva sob pena de falharmos nas soluções que (imagino) terão de ser procuradas: com todo o peso que uma derrota caseira em Dezembro com o SC Braga acarreta, foi em Setembro e em Outubro que as contas do Sporting no campeonato se complicaram. Catastrófica, a derrota de ontem é completamente inesperada.
Parabéns ao SC Braga e parabéns em especial a Abel e Wilson Eduardo.
Sem quaisquer reservas, as suas alegrias hoje são também as minhas.

Restando-nos lutar pela presença no Jamor e pela Taça da Liga, troféus presumivelmente ao nosso alcance, não tenho dúvidas - tal como se viu dito em muitas ocasiões - que independentemente do seu treinador, será sempre difícil ao Sporting assumir-se como favorito à conquista de títulos. Porque o Sporting não tem um presidente e não tem (generalização) dirigentes de qualidade, no futebol e não só. Sobre estes e porque relacionado com a saúde que o Sporting exibe, não queria que passassem em claro as entrevista de Bruno de Carvalho à CMTV e permanente verborreia do seu director de comunicação, personagens que a mais não se assemelham do que adeptos manhosos na internet.

Percebe agora que este plantel nunca teve e não tem a qualidade que se proclamou? Restam o Jamor e a Taça da Liga.

Posted on

Monday, 19 December 2016

3 Comments
  1. Está tudo aqui.

    Destaco isto, para não destacar o post todo:

    "nunca fora difícil antecipar aquele que seria o principal adversário do Sporting nesta temporada, ou um dos principais: a ausência de soluções de qualidade em posições-chave no 11 e a notória ausência de qualidade na globalidade do plantel"

    Muito bem, Manuel HB!

    ReplyDelete
  2. O Sporting se conquistar a Taça de Portugal e Taça da Liga, não será uma má época, assegurando também pelo menos o 3º lugar no campeonato. Taça de Portugal o Porto já está fora, Taça da Liga está a caminho de estar fora, o Benfica está nas duas, seriam 2 vitórias sobre o Benfica, encontrando-o ou não. Depois era planear no verão com calma a próxima época, não entrar em contratações ridículas como o Alan Ruiz por 7M de euros ou lá quantos foram e tentar passo a passo aí sim conquistar o título. Ir à Liga Europa ao invés de à Champions (tirando a parte monetária) não é um problema por aí além, é uma competição muito mais realística para o Sporting (e para qualquer clube português) e permitirá uma menor carga a nível competitivo, dando também para rodar em certos jogos.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Totalmente de acordo, em todos os pontos, especialmente o de não atirar dinheiro para cima dos problemas. 7M por Ruiz e 12M por Bas Dost (não querendo ferir os jogadores) é mau demais, especialmente para um clube que há muito pouco tempo tinha Montero no seu plantel.
      Jogar a Liga Europa via fase de grupos da LC: é o cenário ideal porque permite somar os encaixes financeiros, permite que o Sporting cresça como equipa e como clube, e ao mesmo tempo permite (na LE) almejar a conquista de títulos Europeus. Na LC essa missão é impossível, para SCP ou qualquer outro clube lusitano.

      Delete

Search This Blog