Wednesday, 7 December 2016

Dar mérito a quem o tem (Légia) e um resumo quase perfeito (Jorge Jesus) da participação do Sporting na UEFA em 2016/17


Não é expectável que o presidente do Sporting, figura que chama a si quase todas as decisões que envolvem o futebol do clube (e não só), perceba as decisões erradas que tomou nos últimos 2 anos e que resultaram na formação do actual plantel, tanto nas entradas como nas saídas de jogadores. Tal como já se viu escrito noutros momentos, entre todos os jogadores (mais de 20) contratados só para a equipa principal para as épocas 2015/16 e 2016/17, não chegam a 3 o nº de efectivos reforços sinónimos de acrescento de qualidade no 11 do Sporting. Isto em comparação (como exemplo) a 2013/14.

(Sem menosprezo pelos seus atributos e percursos, ainda esta semana o Sporting confirmou as contratações de mais 2 jogadores que dificilmente terão qualquer impacto ou sequer visibilidade na principal equipa do clube.)

Apesar da participação na UEFA ter chegado ao fim mais cedo do que o desejável e possível, esta fase de grupos evidenciou o registo do clube no último ano e meio:


Os 4 jogos frente a Real e Dortmund demonstraram-no de forma perfeita. Mesmo esta noite, não obstante os erros cometidos, jogando fora de casa em Varsóvia frente a uma boa equipa, o Sporting poderia facilmente ter alcançado uma vitória assim tivesse um bocadinho de mais classe no 11.

Parabéns ao Légia e para o ano há mais.

0 comentários

Post a Comment