Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

... azul do mar como o passado, azul do céu como o futuro.

Thursday, 22 December 2016

Inauguração do Estádio do Restelo,
23 de Setembro de 1956

Clube Futebol os Belenenses
VS
Sporting Clube de Portugal

Entre os segundos 34' e 50', ao início, repare no capitão do Sporting, os seus gestos, o trato e a delicadeza na forma como coloca as mãos: homens que já não existem. A primeira vez que este jogador do Sporting me despertou atenção foi na fotografia da inauguração da Taça dos Clubes Campeões Europeus, a 4 de Setembro de 1955, no jogo entre o Sporting e o Partizan Belgrade. O jogador, o mesmo que neste vídeo cumprimenta o anfitrião d'os Belenenses, destaca-se na foto de que falo pela expressão facial, tratando-se de Manuel Passos ou de Manuel António Caldeira. O capitão do Sporting em 1955, 56 e 57 era Manuel Passos. Arriscaria no entanto tratar-se de Manuel A. Caldeira, com grande probabilidade de estar enganado. O estádio do Restelo é único por 2 motivos:

1. ser o mais bonito de Portugal logo depois do antigo estádio José Alvalade (link).

2. é o único estádio que conheço a ter-se visto inaugurado duas vezes. A primeira pelo Sporting e a segunda pela equipa que jogara a final da 1ª edição da Taça dos Campeões em 1955/56, Stade de Reims, uma das equipas Europeias mais fortes da época numa final perdida frente ao poderoso Real Madrid. A segunda inauguração aconteceu dois dias passados sobre a primeira e o CF os Belenenses venceu ambos os encontros: 2-1 ao Sporting e 2-0 ao Stade de Reims. Por que motivo foi o estádio inaugurado uma segunda vez? O jogo frente ao Stade de Reims disputou-se de noite e serviu para baptizar aquele que era, segundo li, o melhor sistema de iluminação artificial em Portugal: a iluminação do novíssimo estádio do Restelo. É um vídeo muito bonito e um hino lindíssimo.
(primeiramente publicada a 6/12/2011)

1 comentários:

8 said...

Caro MM

Tive o prazer e o desgosto de ter assistido a esse jogo. Primeiro o prazer, porque considero o Estádio do Restelo muito bonito e fui ver esse jogo na companhia do meu avô paterno, o único que conheci. O desgosto: o meu Sporting perdeu.

O capitão, que troca a salva com o capitão do CFB, é, sem sombra de dúvida, Manuel Passos, com quem tive a alegria de trocar uns pontapés na bola quando a equipa esperava o autocarro para rumar a Alvalade, saindo do centro de estágio do Calhau, nos contrafortes da Serra de Monsanto, no dia da sua festa de despedida.

Quanto a duas inaugurações, nesse caso, o Estádio José de Alvalade, de 1956, também teve duas inaugurações:

A 10 de Junho de 1956 a grande festa da inauguração e, tempos depois, não sei a data, a Inauguração Nocturna.

Saudações Leoninas

Post a Comment