“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

São 3 os jogadores do Sporting que lamento nunca ter visto jogar: Manuel Fernandes, Luisinho (defesa-central) e António Oliveira. Escrevo estas linhas na sequência duma referência a Manuel Fernandes sobre integridade, integridade que me fez recordar novamente o treinador Inglês que afirmou: eram os 3 fantásticos mas os egos de Jordão e Oliveira chocavam. Manuel Fernandes não, era o mais envergonhado, altruísta. Encontro nestas palavras um dos maiores elogios passíveis de se fazer sobre qualquer pessoa, quando falamos de alguém - Manuel Fernandes - que já terá sido alvo de centenas de homenagens e tributos à herança deixada tanto no Sporting Clube de Portugal como no futebol português.
É uma afirmação de carácter - nada relacionada com futebol.

Quem viu, viu,
quem não viu, tivesse visto

A afirmação pertence a António Oliveira. Malcolm Allison, Manuel Fernandes, António Oliveira e Jordão: será possível sentirmos nostalgia pelo que nunca vimos? Absolutamente.


Outros Violinos

Posted on

Wednesday, 26 October 2016

Leave a Reply

Search This Blog