Monday, 10 October 2016

Os porquês de 22 campeonatos Nacionais de futebol.

Tendo a razão do seu lado e entendendo o Sporting, muitíssimo bem, bater-se pela correcta contabilidade dos campeonatos Nacionais até hoje disputados em Portugal, deixo aqui o 'post' publicado em Agosto de 2011 que descreve os porquês desses mesmos 22 títulos de campeão Nacional. O tema é tão claro que não devem sobre ele existir quaisquer dúvidas. Pessoalmente, fico muito contente que 5 anos depois o Sporting se bata pelo que é seu. Nunca é tarde para fazê-lo.

Agosto 10, 2011:

Apesar de não conhecermos os motivos pelos quais se entende, erradamente, que deveremos considerar os títulos Nacionais do futebol Português a partir somente de 1938/39, esses motivos são irrelevantes. São-no por não encontrarem expressão em qualquer organismo que tutele parcial ou integralmente o futebol português, por resultarem de inexistente capacidade para informar, generalizada ignorância, desinteresse e noções do senso-comum que importa desmistificar, motivos que não alteram a verdade dos números e a história que revelam, importando por isso reescrever a contabilidade de títulos do futebol Português.
O futebol português tem mais do que 5 clubes campeões Nacionais de futebol e existiram campeões Nacionais num período anterior a 1938. Tal é óbvio considerando que o futebol apareceu em Portugal no fim do século XIX / princípio do século XX, e que os clubes competem entre-si a nível Nacional desde 1921. Doutro modo, torna-se difícil compreender e explicar o porquê de:

O futebol espanhol ter o seu 1º campeão Nacional em 1928/29, FC Barcelona, o futebol francês ter o seu 1º campeão Nacional em 1932/33, Olympique Lillois - ano 0 do futebol profissional já que o 1º campeão amador data de 1893/94 (Standard Athletic Club), o futebol italiano ter o seu 1º campeão Nacional em 1898/99, Genoa, o futebol inglês ter o seu 1º campeão Nacional em 1888/89, Preston North End e ... Portugal apresentar o seu primeiro campeão em somente 1939. É estranho quando há evidências a sugerir diferente: desde o primeiríssimo jogo de futebol datado de 1875 que teve lugar na Ilha da Madeira entre Portugueses e Ingleses, ao primeiro jogo de futebol Lisboa-Porto patrocinado pelo Rei D. Carlos I em 1894, passando pelo primeiro jogo em Lisboa a ter honras de destaque na Imprensa e que teve lugar 5 anos antes, 1889, jogo esse que colocou frente-a-frente, mais uma vez, Portugueses e Ingleses.

Deste modo, se em Portugal o futebol já era jogado no século XIX e se as competições profissionais apareceram no início do século XX (o 1º campeonato de Lisboa disputou-se em 1907, a título de exemplo), e se as competições disputadas a nível Nacional apareceram em 1921, por que motivo a imprensa, adeptos e clubes nos sítios oficiais omitem as conquistas Nacionais produzidas até 1938? Não só não faz sentido como desrespeita o propósito histórico na base de criação do 'Campeonato de Portugal' em 1921, campeonato disputado por vários clubes (Académica de Coimbra, Boavista, Espinho, Barreirense, Olhanense, Marítimo, Leões de Santarém, SC Vila Real, Luso Beja, Sporting Clube de Braga, Vitória de Setúbal, Fafe, Casa Pia, Leça FC, Salgueiros, FC Porto, Sporting Clube de Portugal, Carcavelinhos FC e muitos outros) em representação das várias regiões do país e cuja presença obedecia à prévia disputa dos respectivos campeonatos regionais.

Como afirma o ponto prévio, a entidade máxima que regula o futebol em Portugal - Federação Portuguesa de Futebol - é clara no modo como não distingue os campeões Nacionais achados pelo então 'Campeonato de Portugal' (1921-1938, título sugestivo para a prova que apurava o Campeão Nacional, os campeonatos por norma apuram campeões ...) e campeões achados entre 1938 e os dias de hoje, quer pelo 'Campeonato Nacional da I Divisão' (1938-1999) ou simplesmente 'Liga' (1999-dias de hoje). A separação entre as três provas existe mas não existe diferenciação na atribuição de títulos por elas produzidas, porque se assim fosse estaríamos a contabilizar títulos a partir de 1999, altura em que surge a última e final distinção. Mais uma vez, distinção entre provas, não entre títulos. Sobre isto nada como ir à fonte e o que a Federação disponibiliza é uma divisão [entre provas] feita de forma clara e simples:

- Campeonato de Portugal (1921/22 até 1937/38)
- Campeonato da Liga da I Divisão (1934/35 até 1937/38)
- Campeonato Nacional da I Divisão (1938/39 até 1998/99)
- Liga (1999/00 até ao Presente)
- Taça de Portugal (1938 até ao Presente)
- Supertaça Cândido de Oliveira (1980 até ao Presente)
- Taça da Liga (2007/08 até ao Presente)

É só isto que lá está e a partir dos quadros fazemos naturalmente uma contabilidade: os Campeonatos e Ligas apuram os Campeões Nacionais. A Taça de Portugal apura o vencedor da Taça de Portugal, a Supertaça apura o vencedor dessa mesma Supertaça e a Taça da Liga apura o seu vencedor desde 2007/08. A difusa noção de que o Campeonato de Portugal precede a Taça de Portugal é deste modo uma anormalidade que vai sendo repetida sem razão: nem a Federação Portuguesa de Futebol sugere semelhante coisa, nem tem sentido uma vez que se sustenta no facto do Campeonato de Portugal, à semelhança da Taça de Portugal, ter sido disputado por eliminatórias em regime de play-off.

O ridículo da noção é manifesto por 2 motivos:

I - Quando a Federação Portuguesa de Futebol criou em 1921 o 'Campeonato de Portugal', é líquido que não o fez imaginando que estaria ao longo de 20 anos a preceder algo. É oferecer uma interpretação - posterior, no tempo - às mentes e espíritos que fundaram o Campeonato de Portugal. Mais do que abusivo é impossível e desrespeitador da história do futebol em Portugal.

II - Modelo, disputa em formato de play-off. Independentemente de jogado a eliminar, o modelo de competição é totalmente irrelevante já que em nada altera o propósito subjacente à competição que serve. Caso no futuro a 'Liga Portuguesa' se dispute a 3 ou 4 voltas entre 9 ou 10 clubes com um play-off que apure o vencedor final da competição, o 'Campeonato da I Divisão' disputado entre 1938 e 1999 e a 'Liga' que vem sendo disputada desde 1999 serão parte da contabilidade dos títulos que continuará, entretanto, a ser feita. Ao mesmo tempo que se altera o modelo competitivo continuar-se-á a apurar um campeão Nacional, da mesma forma que a taça dos clubes campeões Europeus em tempos jogada num regime de puro play-off é hoje disputada em formato de play-off mas também de Liga, com a disposição das equipas em grupos, grupos esses que traduzem vitórias e empates em pontos.

Naturalmente, apesar das alterações ao modelo competitivo, a UEFA não soma apenas campeões Europeus a partir de 1998. Tudo isto é claro.

Por último, importa considerar o período de 4 anos em que o 'Campeonato de Portugal' coexistiu com o 'Campeonato da Liga' (1934-1938), considerado pela FPF como experimental para a prova que definitivamente substituiu a competição anterior. Embora a Federação inclua o 'Campeonato da Liga' nos seus quadros competitivos, este não deverá ver-se achado para uma contabilidade de títulos já que não podem existir duas competições diferentes a atribuir o mesmo título de campeão a iguais ou diferentes clubes. A prova que apurava o campeão Nacional existiu até 1937/1938 e somente quando é extinta, passou o 'Campeonato Nacional da I Divisão' (com início em 1938/39, ultrapassado o período experimental de 4 anos), a atribuir o título de campeão ao seu vencedor.

Enquanto tal não aconteceu (1934-1938), o 'Campeonato de Portugal' continuou, como é evidente, a produzir o Campeão de Portugal.

Simples e inequívoco. Por tudo isto, importa apresentar a lista completa dos campeões, por ano, em Portugal, da qual fazem parte o(s):

CF os Belenenses (4),
SC Olhanense (1),
CS Marítimo (1),
Carcavelinhos FC (1),
Boavista FC (1),
SL Benfica (35),
FC Porto (30),

Sporting Clube de Portugal (22)

1921/22 FC Porto, 1922/23 Sporting CP, 1923/24 SC Olhanense, 1924/25 FC Porto, 1925/26 CS Marítimo, 1926/27 CF 'Os Belenenses', 1927/28 Carcavelinhos FC, 1928/29 CF 'Os Belenenses', 1929/30 Benfica, 1930/31 Benfica, 1931/32 FC Porto, 1932/33 CF 'Os Belenenses', 1933/34 Sporting CP, 1934/35 Benfica, 1935/36 Sporting CP, 1936/37 FC Porto, 1937/38 Sporting CP, 1938/39 FC Porto, 1939/40 FC Porto, 1940/41 Sporting CP, 1941/42 Benfica, 1942/43 Benfica, 1943/44 Sporting CP, 1944/45 Benfica, 1945/46 Belenenses, 1946/47 Sporting CP, 1947/48 Sporting CP, 1948/49 Sporting CP, 1949/50 Benfica, 1950/51 Sporting CP, 1951/52 Sporting CP, 1952/53 Sporting CP, 1953/54 Sporting CP, 1954/55 Benfica, 1955/56 FC Porto, 1956/57 Benfica, 1957/58 Sporting CP, 1958/59 FC Porto, 1959/60 Benfica, 1960/61 Benfica, 1961/62 Sporting CP, 1962/63 Benfica, 1963/64 Benfica, 1964/65 Benfica, 1965/66 Sporting CP, 1966/67 Benfica, 1967/68 Benfica, 1968/69 Benfica, 1969/70 Sporting CP, 1970/71 Benfica, 1971/72 Benfica, 1972/73 Benfica, 1973/74 Sporting CP, 1974/75 Benfica, 1975/76 Benfica, 1976/77 Benfica, 1977/78 FC Porto, 1978/79 FC Porto, 1979/80 Sporting CP, 1980/81 Benfica, 1981/82 Sporting CP, 1982/83 Benfica, 1983/84 Benfica, 1984/85 FC Porto, 1985/86 FC Porto, 1986/87 Benfica, 1987/88 FC Porto, 1988/89 Benfica, 1989/90 FC Porto, 1990/91 Benfica, 1991/92 FC Porto, 1992/93 FC Porto, 1993/94 Benfica, 1994/95 FC Porto, 1995/96 FC Porto, 1996/97 FC Porto, 1997/98 FC Porto, 1998/99 FC Porto, 1999/00 Sporting CP, 2000/01 Boavista, 2001/02 Sporting CP, 2002/03 FC Porto, 2003/04 FC Porto, 2004/05 Benfica, 2005/06 FC Porto, 2006/07 FC Porto, 2007/08 FC Porto, 2008/09 FC Porto, 2009/10 Benfica, 2010/11 FC Porto, 2011/12 FC Porto, 2012/13 FC Porto, 2013/14 Benfica, 2014/15 Benfica, 2015/16 Benfica

7 comments:

  1. Acho que esta discussao tem sido em varios sitios mal discutida, em varios pontos que vou tentar enumerar:

    1) Ha um elemento interesseiro e de alguma ma fe por alguns dos envolvidos (que nao me parece que seja o seu caso) em simplesmente defender o lado que signifique o maior numero de titulos possiveis. E em relacao a essas pessoas, discutir este assunto e' tempo perdido, porque nao lhes interessa argumentos

    2) Em Segundo lugar ha alguma precipitacao (em falta de melhor tempo) em interpreter o que "Campeao Nacional" significa. Por um lado, ha um dado indesmetivel, ate porque suportado por documentos oficiais (actas da FPF da altura) e provas fisicas (o facto do trofeu da taca de Portugal ostentar o nome dos vencedores da antigo campeonato de Portugal) que nao nos podem impeder de constatar o obvio:

    A taca de Portugal tem origem e e' a continuacao do Campeonato de Portugal e a Campeonato Nacional tem origem e e' a continuacao da Liga experimental.

    Discordar neste ponto e' insister num non sequitur, nao vale a pena contnuar a conversa. E' equivalente a falar com pessoas descritas no ponto 1)

    3)O que ninguem poe em duvida e' que ate 1938 (pelo menos) a competicao mais importante no calendario portugues era o Campeonato de Portugal e depois disso tera passado a ser o Campeonato Nacional.

    O Sporting foi 4 vezes Campeao de Portugal, nao foi Campeao Nacional (sao apenas palavras, mas a semantica e' importante por vezes).

    Dizer que o Sporting foi 22 vezes Campeao Nacional e' errado. Foi, isso sim, 4 vezes Campeao de Portugal e 18 vezes Campeao Nacional. Ganhou 22 vezes a principal competicao Nacional de Futebol.

    Dois pontos finais

    1) Fazendo a analogia para inglaterra, ninguem diz que quem foi o vencedor da Taca de Inglaterra antes da existencia das LIgas, e' o campeao nacional. Em Portugal tambem nao deviam dizer

    2) Se vamos por esse caminho, nos, Sportinguistas, que gostamos tanto de falar do numero de golos do Peyroteu temos de para ser honestos subtrair cerca de 20 golos dos seus totais em jogos do Campeonato. Isso ja nao parece tao bom, pois nao?

    ReplyDelete
    Replies
    1. João, obrigado pelo comentário.

      Compreendo o que diz sobre a má-fé e o aspecto interesseiro mas não é essa de facto a minha motivação - obrigado igualmente por pressenti-lo. Há exemplos claros disto mesmo no blogue sendo os mais evidentes os dos andebol (campeonatos Nacionais) e taça de honra de futebol, competições nas quais o Sporting arroga possuir (erradamente) mais títulos do que os conquistados.

      Só sobre esta questão dos 22 campeonatos em futebol, rejeito justamente o argumento (seu 2º ponto) que pretende interpretar, neste caso diferenciando, a atribuição de títulos pelas provas produzidas. Não podemos fazê-lo por se tratarem de exercícios feitos num tempo posterior que não substituem o propósito do Campeonato de Portugal. Até 1938 tínhamos dois tipos de provas: campeonatos regionais e campeonato de Portugal. O segundo apurou evidentemente o campeão de Portugal. Em 1934 altera-se o modelo competitivo da principal prova do calendário mas estamos em período experimental, um que dura 4 anos. Só em 1938 o Campeonato de Portugal desaparece do calendário vendo-se substituído pela competição jogada em formato de Liga. Estes modelos - play-off e liga - não são perdidos nem achados nos títulos que as provas produzem e temos o excelente exemplo da TC / LC da UEFA.

      "Quando a FPF criou em 1921 o 'Campeonato de Portugal', é líquido que não o fez imaginando que estaria ao longo de 20 anos a preceder algo. É oferecer uma interpretação - posterior, no tempo - às mentes e espíritos que fundaram o Campeonato de Portugal." Não existe forma mais simples nem correcta de colocar a questão.

      Diz e subscrevo por inteiro, "Foi, isso sim, 4 vezes Campeao de Portugal e 18 vezes Campeao Nacional. Ganhou 22 vezes a principal competicao Nacional de Futebol."

      Ganhou 22 vezes a principal competição Nacional de futebol - excelente, e não teria quaisquer problemas, inclusivamente, em descriminar pelos nomes as duas provas em causa, como o João faz. Agora tal como na UEFA existe uma separação entre Taça dos Campeões e Liga dos Campeões, quando falamos em campeões Europeus de futebol compreendemos ambas. As provas são distintas mas a natureza do título que produzem é a mesma. É isso que afirmo.

      Delete
    2. Caro Manuel

      Os seus argumentos são fáceis de perceber e interpretar mas existe algo que você se está a esquecer é que a inclusão do campeonato da Liga no Calendário não obrigou a grandes mudanças, de um lado tinhas um competição feita por eliminatórias de outro lado uma competição em formato já de Liga (a diferença é que nesta altura não havia descidas nem subidas, ao que sei pelo menos), quando passado 4 anos a Liga deixou de ser experimental houve uma reunião donde foi elaborada acta onde lá vem dito que era alterada a designação de Campeonato de Portugal, para Taça de Portugal e a tal liga experimental passou a ser conhecida por Liga de Portugal (acho que era este o nome), todavia como claramente nos diz o João no comentário anterior, o Sporting realmente tem 22 titulos da maior competição Nacional, mas relativamente ao titulo de Campeão Nacional (formato universal) só tem 18, e como nos diz e bem o João inclusivé na zona da base da taça de Portugal vêm os nomes dos antigos campeões do campeonato de Portugal, sendo que desta forma a própria FPF declara que reconhece os tais "4 titulos" do Sporting e atribui os mesmos ao Sporting, mas não como Campeões Nacionais mas sim com Vencedores do Campeonato de Portugal como hoje se faz com a Taça de Portugal que quer em moldes quer em espirito da competição é a verdadeira Herdeira do antigo campeonato.

      Delete
    3. Pedro,

      Compreendo e não discordo do que diz, reafirmando o carácter Nacional do C. de Portugal que atribuiu até 1938 o título de campeão Nacional de futebol. Para este efeito Campeão de Portugal é sinónimo de Campeão Nacional por ter sido essa a natureza da competição criada em 1921. No período no qual as competições coexistiram (Campeonato de Portugal e Campeonato da Liga), em virtude da natureza experimental da segunda, a principal prova continua a ser a primeira. E considero até que esta questão nem tanto a ver com o Sporting. Tem sobretudo a ver com os SC Olhanense, CS Marítimo, Carcavelinhos FC e CF os Belenenses (em nº) que ao contrário do que acontece para todas as outras ligas Europeias de futebol, são erradamente desconsiderados como campeões Nacionais de futebol.

      Qualquer leitura diferente desta considerará que o primeiro campeão Nacional apareceu somente em 1938 - alguém acreditará nela? Não me parece.

      Delete
  2. Manuel se a competição se tivesse mantido dentro dos mesmos parametros com nome e tudo, toda a gente aceitaria de bom grado os tais 4 campeonatos de Portugal como sinonimo de mais 4 vezes campeão Nacional....mas visto que essa competição mudou de designação, e que tal designação até desapareceu do panorama desportivo portugues eu pessoalmente não percebo o porquê de querer incluir um titulo que é histórico e que lhe conferiu (ao Sporting e muito mais equipas) algo que era de máxima importância na altura para o meio de campeonatos Nacionais que se sabe perfeitamente que nada tem a ver se não somente o nome em tempos ter sido parecido e a importância tb.

    Para mim o SCP ter 18 ou ter 22 não lhe confere nem maior nem menor estatuto do que tem atualmente.

    Isso é como a guerra da taça latina, que na altura era de extrema importância e que mais tarde Jules Rimet disse inclusive que a mesma teria sido a verdadeira antecessora da Taça dos campeões Europeus, mas lá está a Uefa não a reconhece como competição oficial e como tal não consta como titulo oficial para o SLB...
    No entanto não deixou de ser um marco histórico para aquele clube e seus apoiantes que viveram essa conquista na altura

    ReplyDelete
    Replies
    1. Pedro,

      O nome da competição não tem relevância. Percebo a comparação com a Taça Latina - troféu importantíssimo - mas esta não foi uma competição organizada pela UEFA. Desse modo é natural que os vencedores da TL não entrem na contabilidade que reúne os vencedores tanto Taça dos Campeões Europeus como da Liga dos Campeões da UEFA.

      São problemas diferentes.

      O Campeonato de Portugal foi uma prova da Federação Portuguesa de Futebol e foi a prova que até 1938 apurou o campeão de Portugal. É só isso ...

      "Para mim o SCP ter 18 ou ter 22 não lhe confere nem maior nem menor estatuto do que tem atualmente."

      Subscrevo por inteiro.

      Delete
  3. Engraçado CAMPEÃO de Portugal não é Nacional.Então é o que?Estrangeiro?

    ReplyDelete