Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Every game you own the tactics, you own the game -- J. Guardiola

Saturday, 10 September 2016

Que sorte, City. Tal como fez em Barcelona e agora de regresso a um campeonato com tanta ou maior exposição que a La Liga, Guardiola de forma sempre surpreendente demonstra-nos que sozinho consegue, em pouco tempo, arrumar um clube inteiro. Tudo faz sentido nas equipas e nos clubes pelos quais é responsável. Tudo.
Nem José Mourinho nem 3 ou 4 treinadores notoriamente melhores do que ele são equiparáveis a Guardiola - o Espanhol é de um campeonato só seu. O melhor treinador e manager de sempre. Sê-lo-á durante muito tempo porque tal como alguém afirmou há poucas semanas, isto é uma arte - «está na mente e à flor da pele», Pep Guardiola.

Quanto ao adversário, Manchester United não existe. Guardiola não deixa. Dentro de campo, em 90% do tempo, em qualquer estádio de qualquer Liga só a sua equipa existe; tudo o mais torna-se manifesta impossibilidade à qual cedo se soma a descrença. Tal como fez na sequência do 2º golo, J. Mourinho poderá por palavras e por gestos tentar de alguma forma mostrar aos seus jogadores que não se deverão resignar. O problema é que os seus jogadores não estão capacitados para responder ao que têm pela frente, ainda que pela frente tenham uma equipa que não está a jogar em casa. Os jogadores do M. United sentem-no, porque sabem, que em condições normais não se trata dum confronto equilibrado.

Desejo muito que 47, 48 ou 49 anos depois, J. Guardiola devolva ao Manchester City as honras Europeias que Malcolm Allison ganhou para os Citizens em 1970. Não por causa do M. City mas por causa dele: Guardiola tem de ganhar mais 4 ou 5 Ligas dos Campeões nos próximos 10 ou 11 anos. É só justo que as vença.

Na campanha doméstica está nas mãos dos seus jogadores serem ou não compeões.

Aos 23m de jogo, Otamendi with a lovely through ball to Nolito. Se pegarmos nos 120 milhões que JM fez o Manchester United pagar por Pogba: seria essa soma suficiente para comprar mais de meia equipa de Guardiola? Seguramente. O problema é que se todos os treinadores precisam de bons jogadores para ganhar, a esmagadora maioria, como J. Mourinho, precisa que os jogadores compensem as suas limitações.

Guardiola não precisa.

1 comentários:

Manuel HB said...

Não se deixe enganar pelas últimas impressões que o jogo deixa. É nos primeiros 45 minutos que se vê o que as equipas valem. Para o jogo desta tarde ou para quaisquer outros: são as 1ªs partes que nos mostram quase tudo.

Post a Comment