No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

" ... Se tem apreço pelo Luisão enquanto capitão acho muito bem que o manifeste. É neste mundo que nós devemos viver. Disse do Adrien aquilo que acha (...) É a opinião dele! Ele foi muito elogioso para com o Adrien. Ao contrário do que andava aí pelo ar, o Adrien vai continuar a ser capitão do Sporting (...) Quando Jesus diz isso (quis ir-me embora ao fim de um mês) está a falar do futebol. Ele diz que ficou surpreendido com as insuficiências que encontrou ao nível do planeamento e gestão dos activos. Jesus é também um 'manager', gosta de se responsabilizar. Ele diz que apetrechou o Sporting do ponto de vista estrutural e também na mobilização dos sportinguistas. Sou sportinguista há muitos anos e o que quer um adepto? Que o mais possível o clube lute por títulos. O poder de fogo que o Sporting ganhou para conquistar títulos é agora muito maior." -- Rogério Alves

Para feitos de comunicação (e só para esses), Jorge Jesus sendo uma pessoa franca, nas dinâmicas do seu trabalho onde o sucesso das suas equipas (vencer) surge necessariamente à custa das derrotas de outros, as inteligência e franqueza do treinador do Sporting resultam normalmente no seguinte: tratando-se de um dos melhores do mundo na sua área e tratando-se também (na comunicação, repito) de uma pessoa honesta, Jorge Jesus não-raras vezes manipula o conteúdo quase sempre verdadeiro do que transmite em seu próprio benefício. Sem que minta. Assim foi quando como exemplo elogiou Jesualdo Ferreira transmitindo uma opinião honesta sobre os méritos do então treinador do Sporting, exacerbando simultaneamente os seus próprios méritos (JJ) na condição de adversário do treinador do Sporting. Afinal de contas, PB dixit: assim que chegou ao Benfica Jorge Jesus derrotou os tricampeão Jesualdo e tetracampeão FCP. Mesma coisa para tantos outros adversários de Jorge Jesus. Ele sabe quem tem valor e não se escusa de comentá-lo ao mesmo tempo que não o distribui por quem não o tem. Nunca se ouviu Jorge Jesus apoucar minimamente o trabalho de Vitor Pereira. Mas também, que me apercebesse, nunca o vimos elogiá-lo. Tê-lo-íamos ouvido, presumo, se Lucho, James e Hulk não tivessem afundado o Benfica na Luz, ou se Kelvin um ano depois não tivesse surpreendido o Benfica no Dragão.

Onde é que Jesus falha? Quando se usa da mesma honestidade em áreas que não domina e sobre as quais deveria falar com mais reservas, áreas que extravasem futebol prestando-se inclusivamente a politiquice bacoca ainda que também o faça (talvez) em benefício próprio. Nestas alturas Jorge Jesus falha estrondosamente nos conteúdos que transmite, pensando para o SCP, para o SLB ou para qualquer outro, que uma venda de 35 milhões supera os gastos inúteis e o desprezo por jogadores da casa cujas somas, real prejuízo, ultrapassa em muito os montantes que os clubes encaixam pela factual valorização desportiva que o seu (JJ) trabalho promove. Ao contrário do que Rogério Alves (neste particular) afirmou, Jorge Jesus não falou de futebol. Antes, falou da estrutura de futebol do Sporting, insinuando bem que essa estrutura é notoriamente incompetente mas insinuando (em certo sentido mal) que a sua vinda ajudou a resolver o problema.

Não o resolve.

Jorge Jesus é um treinador mas não tem vocação para ser manager. É um treinador nada menos do que estrondoso e genial quando o Sporting precisa de Jorge JesusMas precisa também de ajudar Jorge Jesus. Ao contrário, sem que se aperceba, Jorge Jesus poderá ajudar a cavar buracos num terreno que dificilmente suportará o aparecimento de muitos mais buracos, cavados por outros e por estes ao longo de 30 ou mais anos. O Benfica em virtude do nº de adeptos e do mercado que tem, sobrevive com relativa facilidade a políticas expansionistas mal executadas.

O caso do Sporting é necessariamente diferente.

Ainda Jorge Jesus e o Sporting: honestidade, verdade e outras coisas (para o Sporting) mais importantes do que essas

Posted on

Tuesday, 6 September 2016

5 Comments
  1. Quem falha estrondosamente és tu nestes contorcionismos (falhados!) de fazer Jorge Jesus a última coca cola do deserto e Bruno de Carvalho um incapaz, para usar termos que tanto gostas!

    ReplyDelete
    Replies
    1. quem afirmou que Bruno de Carvalho é um incapaz foi o próprio Jorge Jesus ao indicar que queria sair ao fim do 1º mês de Sporting, chocado com o que tinha encontrado (BdC levava dois anos de Sporting)

      Delete
  2. MM,

    Retiro esta parte deste teu excelente post como a que mais tempo me tem ocupado a perceber sobre as consequências da chegada de JJ ao clube:

    "Ao contrário, sem que se aperceba, Jorge Jesus poderá ajudar a cavar buracos num terreno que dificilmente suportará o aparecimento de muitos mais buracos, cavados por outros e por estes ao longo de 30 ou mais anos"

    Num primeiro momento não tenho dúvidas que a sua chegada trouxe efeitos positivos. Falta saber se o Sporting conseguirá ter força suficiente para lhe contrariar os excessos que aqui e ali já se fazem notar.

    É que, como muito bem dizes, pensar que "uma venda de 35 milhões supera os gastos inúteis e o desprezo por jogadores da casa cujas somas, real prejuízo, ultrapassa em muito os montantes que os clubes encaixam pela factual valorização desportiva que o seu (JJ) trabalho promove" é não só um excesso de optimismo como um erro de análise.

    Abraço

    ReplyDelete
    Replies
    1. Leão de Alvalade,

      De acordo. E por isso dizíamos há uns dias que independentemente dos bens e dos males que evidencie, o Sporting precisa mesmo de ser campeão este ano. (Roubei-te a mais recente imagem do "A Norte".) Um abraço.

      Delete

Search This Blog