Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Sin volver la pista atras, guardaré la sangre que tengo para dar

Friday, 12 August 2016

Em 1907 ou 1908, quando Fernando Pessoa tentou sem sucesso montar uma tipografia e editora em Lisboa, «Íbis — Tipográfica e Editora», na sequência deste fracasso mergulhou de cabeça na escrita, no estudo de filosofia (Grega e Alemã), ciências humanas e teosofia. Foi neste período que aprofundou relações com muitos amigos de Alcântara que se reuniam em torno das actividades do Sporting Club de Portugal. Que se saiba, nunca jogou à bola, embora fosse maluquinho pelo futebol do clube. Descrevem alguns escritos as tardes e tardes passadas em cafés onde desenhava os plantéis do Sporting entre 1910 e 1920, bem como algumas noções tácticas que transmitia por carta a Guilherme Morice e a Jaime Gonçalves, na altura avançados do Sporting. Conta uma das notas:
Falas de civilização, e de não dever ser. Ou de não dever ser assim. Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos, com as cousas humanas postas dessa maneira. Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos.
Dizem que se fossem como tu queres, seriam melhor.

No fim da nota: «Diz a Ernesto Viegas que tem de jogar mais por dentro», com uns rabiscos que mostravam a táctica naquela tarde. Duas semanas mais tarde, «se as cousas fossem como tu queres, Francisco (Stromp), seriam só como tu queres. Ai de ti e de todos que levam a vida a querer inventar a máquina de fazer felicidade». Nesse ano o Sporting seria campeão de Lisboa.

Pessoa tinha 27 anos.

1 comentários:

Henrique Calisto said...

Só para dizer que hoje no arranque da maior competição europeia de clubes portugueses o Chaves entrará como sempre entrou para vencer convincentemente todos os jogos e provar aos municipalenses do mui antigo condado Chavense que temos equipa para jogar e DISPUTAR os títulos em todas as competições honrando dessa forma as tradições duma equipa acostumada a fazer das tripas coração para com muita qualidade e classe fazer explodir as bancadas do nosso estádio contribuindo para a alegria de centenas de milhares de pessoas que diariamente nos apoiam carregando consigo o lema dos nossos bisavós:

"Você sabe quanto custa trazer um artista do estrangeiro?? Ainda mais vindo doutro planeta?" Vai-te a eles Vuquecevique!

Post a Comment