No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Em 1907 ou 1908, quando Fernando Pessoa tentou sem sucesso montar uma tipografia e editora em Lisboa, «Íbis — Tipográfica e Editora», na sequência deste fracasso mergulhou de cabeça na escrita, no estudo de filosofia (Grega e Alemã), ciências humanas e teosofia. Foi neste período que aprofundou relações com muitos amigos de Alcântara que se reuniam em torno das actividades do Sporting Club de Portugal. Que se saiba, nunca jogou à bola, embora fosse maluquinho pelo futebol do clube. Descrevem alguns escritos as tardes e tardes passadas em cafés onde desenhava os plantéis do Sporting entre 1910 e 1920, bem como algumas noções tácticas que transmitia por carta a Guilherme Morice e a Jaime Gonçalves, na altura avançados do Sporting. Conta uma das notas:
Falas de civilização, e de não dever ser. Ou de não dever ser assim. Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos, com as cousas humanas postas dessa maneira. Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos.
Dizem que se fossem como tu queres, seriam melhor.

No fim da nota: «Diz a Ernesto Viegas que tem de jogar mais por dentro», com uns rabiscos que mostravam a táctica naquela tarde. Duas semanas mais tarde, «se as cousas fossem como tu queres, Francisco (Stromp), seriam só como tu queres. Ai de ti e de todos que levam a vida a querer inventar a máquina de fazer felicidade». Nesse ano o Sporting seria campeão de Lisboa.

Pessoa tinha 27 anos.

Sin volver la pista atras, guardaré la sangre que tengo para dar

Posted on

Friday, 12 August 2016

1 Comment
  1. Henrique Calisto13 August 2016 at 13:09

    Só para dizer que hoje no arranque da maior competição europeia de clubes portugueses o Chaves entrará como sempre entrou para vencer convincentemente todos os jogos e provar aos municipalenses do mui antigo condado Chavense que temos equipa para jogar e DISPUTAR os títulos em todas as competições honrando dessa forma as tradições duma equipa acostumada a fazer das tripas coração para com muita qualidade e classe fazer explodir as bancadas do nosso estádio contribuindo para a alegria de centenas de milhares de pessoas que diariamente nos apoiam carregando consigo o lema dos nossos bisavós:

    "Você sabe quanto custa trazer um artista do estrangeiro?? Ainda mais vindo doutro planeta?" Vai-te a eles Vuquecevique!

    ReplyDelete

Search This Blog