Friday, 19 August 2016

Quem se atreve a deixar Peter Schmeichel de joelhos? Matthew Le Tissier.

No tabuleiro ou na panela de cozinha que é o futebol, duas jogadas iguais, feitas no mesmo momento, traduzidas por acções que transportem a bola de A para B, no mesmo tempo, com o mesmo peso, com a mesma conta, com a mesma medida, produzirão resultados bem diferentes consoante os modos e maneiras empregues na acção. Pelo seguinte motivo: o ser humano reage ao estilo, e o estilo tem em futebol influência sobre a movimentação dos adversários e dos colegas, aquilo a que Xavi se referiu quando sobre Matt Le Tissier afirmou, he just walked past them.

In 2010, Spanish superstar Xavi revealed that Le Tissier had been one of his childhood inspirations, claiming: "His talent was simply out of the norm. He could simply dribble past seven or eight players but without speed - he just walked past them. For me he was sensational". [44]

2 comments:

  1. É muito por isto que futebolistas como C. Ronaldo, G. Bale ou M. Balotelli nunca farão parte duma lista factual e futebolisticamente acertada que tente reunir os melhores jogadores de futebol, passado, presente e futuro.

    Soubessem jogar à bola e não precisariam de passar a vida no ginásio. Não são as unhas dos pés pintadas de preto ou o verniz nas sobrancelhas que me incomodam. É mesmo a completa rendição de talento aos méritos do poderio físico, algo que em futebol equivale a um redondo zero.

    ReplyDelete
  2. E a expressão no rosto jovem do bom Gary Neville: não dá. Não dá mesmo Neville, a existir antídoto para o que Le Tissier fazia, ainda está por inventar.

    Quem tirou o Manchester United do buraco onde se encontrava? Digam lá ... Sir Alex, Bryan Robson e quem mais? É isso mesmo, Eric Cantona. São estes e só estes aqueles que nos interessam.

    ReplyDelete