Sunday, 14 August 2016

'O Dier também não prestava e era suplente do Maurício e do Rojo'


Quando contratamos 26 ou 27 jogadores em 2 anos com uma das mais brilhantes gerações a aparecer ... disse-o Diogo Matos em respeito às épocas 2011/12 e possivelmente 2012/13. Não com relação a Diogo Matos mas Cantinho do Morais, meditemos sobre o que nessa matéria de lá para cá mudou (muito pouco, infelizmente). As palavras no título são suas, para o caso em Dier, Maurício e Rojo. Ou ainda, como ele acrescenta, João Mário teve de ir até Setúbal, porque havia um treinador que achava que Magrão, Heldon e Capel eram melhores.

Qual a importância disto, André Martins? Perceber que se o Sporting tem hoje 3 ou 4 excelentes jogadores no seu 11, teria a obrigação - por reunir as condições -  de ter 7 ou 8, caso fizesse as coisas com normalidade, ao passo que, e ao contrário de generalizada propaganda, continua a importar cerca de uma dezena de jogadores por época que acabam por não construir percursos de relevo na equipa do clube. A culpa não é desses jogadores mas de quem os traz, ao mesmo tempo que desaproveita por completo excelentes futebolistas que saem do Sporting como se nada fosse.

Nesse capítulo a imagem que ilustra o «post» fala por si mesma.

1 comment:

  1. MM,

    (muito obrigado pela referência)

    Ontem no banco não havia Petrovic e Marvim. Não terá sido por acaso...
    A Dier, acresce-se Cédric, Martins, Carriço e outros que, ainda hoje, podiam jogar no Sporting.

    Que se cuide bem de Iuri, Matheus, Geraldes e Wallyson. Estes recursos (também) não podem ser desperdiçados.

    um abraço

    ReplyDelete