Monday, 1 July 2013

O Sporting foi, é e será sempre vosso, fundadores do Grande Sporting Club de Portugal.

Este clube é e será sempre superior aos quase 19 000 títulos que ostenta, superior ao extenso universo de ouro, prata e bronze Olímpico exibido pelas suas vitrinas, superior às 16 taças dos campeões Europeus ou 22 competições Europeias que até hoje alcançou, e superior, até, aos fundamentos ecléticos na génese da sua orientação desportiva, uma que deverá ser sempre respeitada. Este clube viu-se fundado por mulheres e homens honrados que sabiam desde a primeira hora o que queriam. A todos eles a nossa modesta vénia e profundo obrigado. O clube que hoje amo é infinitamente vasto e rico, mas o clube que eles no seu tempo fundaram foi incomparavelmente melhor, porque teve-os. Honrar e reforçar por isso na melhor medida das nossas qualidades a herança que nos deixaram, será o melhor tributo que lhes poderemos prestar, tarefa que se cumpre todos os dias.

Celebramos hoje, com o país, a fundação da melhor e mais bonita instituição desportiva Portuguesa. Celebramos um clube nascido em 1906, responsável pela reunião e materialização do espírito que iluminou Portugal em 1902.

Do Sport Clube de Belas dos Francisco da Ponte e Horta Gavazzo e José Maria da Ponte e Horta Gavazzo, irmãos, ao Campo Grande Football Club fundado em 1904 por responsabilidade dos mesmos irmãos, José Alvalade e outros, um passo bastou para que estas personalidades se conciliassem, em 1906, com ainda outras, no então fundado Sporting Clube de Portugal, nobre instituição que se tornaria por influência do seu pai e fundador, José Alvalade, no mais importante, bem-sucedido e honrado clube Português de todos os tempos, sumarizado hoje pelo apropriado título de maior potência desportiva Nacional.

Compreender o Sporting Clube de Portugal será então viajar aos princípios do século passado, Belas, altura em que os jovens deste clube se deslocaram a Sintra a fim de defrontar uma equipa mista de Ingleses e Portugueses, histórica partida onde estiveram naquela tarde, 26 de Agosto de 1902, sentados na tribuna do campo de jogo ninguém menos que Sua Majestade Fidelíssima o rei D. Carlos de Portugal, Sua Majestade a Rainha D. Amélia, nascida em Richmond upon-Thames, e Sua Alteza Real o Infante D. Manuel, 2º filho do casal com então 12 anos de idade e que na sequência do regicídio em 1908, ocuparia o trono enquanto 35º Rei de Portugal.

Na baliza, guardião do Reino, um dos mais importantes nomes do Portugal de então, extraordinário fundador do Sport Clube de Belas em 1902, e fundador do Sporting Clube de Portugal em 1906:

Francisco da Ponte e Horta Gavazzo

Honra, por isso, aos fundadores do SC Belas ...

. Francisco da Ponte e Horta Gavazzo (guarda-redes)

. José Maria da Ponte e Horta Gavazzo (médio)

. Alberto Machado (avançado)

. Henrique Machado

. Armando Gonçalves da Cunha Ferreira

. João da Cunha Ferreira

. Pedro Jorge (médio)

. António Jorge (avançado)

. Alfredo de Oliveira Belo (médio)

. António Bebiano

. Artur Bebiano (avançado)

. Artur da Cunha Lemos

. José da Cunha Lemos

. Eduardo Luís Pinto Basto (defesa e capitão)

. Fernando Pinto Basto (avançado)

. Fernando de Sousa Coutinho

. José Luís Coutinho

. Hermano Alves Braga (avançado)

. Raúl Aboim (Idanha)

. Rodolfo Futscher Ferreira e Malheiro (da farmácia de Belas)

Nascera assim o sportinguismo, com o Sport Club de Belas a derrotar a equipa adversária por 3 golos sem resposta e a receber das mãos do Rei D. Carlos o prémio da vitória, um estojo em forma de peso de 50 quilos, niquelado, contendo um licoreiro. Que fizeram os sportinguistas aos louros da vitória?
Cumprindo o dever de qualquer sportinguista, convidaram os seus adversários para um reencontro, numa tarde épica para o país que além de futebol contemplou provas de ciclismo, sacos e corridas. Depois do evento, reza a História, continuou a grupo a reunir de forma esporádica na Tapada da Ajuda, observado de perto tanto por Sua Alteza Real o Príncipe D. Luís Filipe, Duque de Bragança, 1º filho do Rei D. Carlos e da Rainha D. Amélia, como pelo Infante D. Manuel que como vimos estara na tribuna do jogo em Sintra, notável grupo de praticantes que se espalhara entretanto para Alcântara com a entrada dos novos sportinguistas ...

. Álvaro da Fonseca,

. Carlos da Câmara Leme

. Raúl Leme

. Carlos Santos

. Jorge Sabugosa (conde de Murça)

. Manuel Galveias (conde da Lapa)

. Pedro Galveias

. Pedro Sabugosa

... permanecendo dessa forma até 1904, altura em que foi decidido, em razão da maioria dos aderentes residir no Campo Grande, a evolução do Sport Clube de Belas para Campo Grande Football Club. O primeiro findaria a sua actividade surgindo pela primeira vez em palco dois nomes fundamentais na história do sportinguismo ...

José Alvalade,
José Stromp, [filho primogénito e irmão mais velho de Francisco Stromp (2º) e António Stromp (3º)]

... que aliados a personalidades do movimento inicial ou outras que o tempo juntou ...

. Frederico Kohn

. Alberto Lamarão

. António Félix da Costa Júnior

. Carlos Bon de Sousa Carneiro

. Eduardo Mendonça

. Fernando Barbosa

. Frederico Seguro Ferreira

. Carlos da Motta Marques

. Fernando da Motta Marques

. Ayres Valdez Pinto da Cunha

. António Stromp

. Francisco Stromp

. Augusto Carlos Seguro

. Eduardo Valdez Pinto da Cunha

. Vasco Sabrosa

. Francisco Sotto Mayor

. Eduardo Mendonça

. Sérgio Geraldes Barba

. Júlio Nóbrega de Lima (Fritz)

. José Seguro Borges de Castro

. Fernando Barbosa

. Fernando Pinto Basto

. John Scarlett

... entre 1904 e 1906, a pedido do seu neto e de Francisco Gavazzo, mantiveram actividade num clube dirigido pelo avô de José Alvalade, Campo Grande Football Club, responsável pela promoção do ténis, competições de esgrima, jogos de futebol, festas dançantes, diversas provas femininas, corridas para senhoras e homens, provas de saltos e outras. A sede do clube funcionava nada menos que no quarto de Francisco Gavazzo e foi esta instituição que aboliu, em Portugal, o preconceito de que o desporto deveria ver-se praticado só por homens. Foi um clube de mulheres e de homens, a dose de boa sociedade que entre donzelas e cavalheiros, reuniu as jovens irmãs de Frederico e José Gavazzo, bem como as irmãs de José Alvalade.
E o restante bom, todos mais ou menos conhecem: os fenomenais irmãos Stromp, José Alvalade e os irmãos Gavazzo (responsáveis pela génese Sportinguista de 1902), «cansados do excesso de festas», separaram-se do clube fundado em 1904 e deram início à fabulosa Epopeia que veria o Sporting Club de Portugal tornar-se no mais digno, bem-sucedido e titulado clube em Portugal. 2º em toda a Europa.

Honra, por isso, ao grupo de 19 fundadores do Sporting Clube de Portugal ...

. José Alfredo Holtreman Roquette (José Alvalade)

. José Maria da Ponte e Horta Gavazzo

. Frederico Seguro Ferreira

. Alfredo Augusto das Neves Holtreman (Visconde de Alvalade)

. Fernando Soares Cardoso Barbosa

. José Stromp

. Henrique d’ Almeida Leite Júnior

. John Henrique Scarlett

. Eduardo Francisco Quintela de Mendonça

. Afonso Botelho

. António Stromp

. Augusto Barjona de Freitas

. Augusto Carlos Cruz Seguro

. Francisco da Ponte e Horta Gavazzo

. Francisco Stromp

. Sérgio Rolin Geraldes Barba

. José Seguro Borges de Castro

. José Cordeiro Ferreira Roquette

. João Serrão de Moura

... onde José Gavazzo, por carta endereçada a seu irmão Francisco datada de 18 de Maio de 1906, antecipa que a estes juntar-se-iam outros. O grupo reúne pela primeira vez em Assembleia Geral a 08 de Maio de 1906, reunião na qual o fundador [e não o seu Avô como infelizmente vejo por aí] exprimiu por palavras a ilustre e notável premonição, presságio de um visionário ...

‘Queremos que o Sporting seja um grande Clube,
tão grande como os maiores da Europa’

... grito tão profundo e convicto do jovem de 21 anos que foi seu desejo chamar o clube de Grande Sporting Clube de Portugal. Não acontecendo, só na Assembleia Geral de 01 Julho do mesmo ano foi encontrada a designação que quase perdura, Sporting Club de Portugal. Mais tarde, em 1920, também em Assembleia Geral, foi por António Nunes Soares Júnior proposto e aprovado considerar a data de 01 Julho de 1906 como a de fundação, «na rigorosa defesa da verdade», uma verdade por poucos não surpreendentemente pouco imitada.

Na intransigente defesa da verdade, pois bem, data que celebramos.

Capítulo I dos 1ºs Estatutos do Sporting Club de Portugal, 1907,

‘Natureza da associação e seus intuitos’, pode ler o Artigo 1º,

Sporting Club de Portugal, é o título d' uma associação composta d' individuos d' ambos os sexos de boa sociedade e conduta irrepreensível.


Imagem / fotografia de Francisco da Ponte e Horta Gavazzo,
Centenário Sporting, Capitulo XI, Pré-História e Fundação

Imagem / fotografia do último programa de festas do Campo Grande Football Club,
Centenário Sporting, Capitulo XI, Pré-História e Fundação

6 comments:

  1. Grande e excelente trabalho caro Manuel Humberto.

    Um abraço.

    ReplyDelete
  2. Para além de excelente, é igualmente muito oportuno.

    Um forte abraço.

    ReplyDelete
  3. Parabéns, não é para todos ser adepto de um clube que ganha em média cerca de 180 títulos por ano! sim senhor!

    ReplyDelete
  4. Pois não anónimo, pois não.

    ReplyDelete
  5. Muito bem, Manuel!
    O meu agredecimento, que saibamos continuar nesta linha!

    Sporting Club de Portugal, é o título d' uma associação composta d' individuos d' ambos os sexos de boa sociedade e CONDUTA IRREPREENSÍVEL

    ReplyDelete