No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

É com muita pena que tomo nota da saída de João Pinto do Sporting, saída inserida num quadro de redução orçamental que atingirá, senão a totalidade, pelo menos a esmagadora maioria das modalidades praticadas pelo Sporting. Quis o acaso ou uma feliz coincidência que tivesse sido colega de faculdade de João Pinto. Recordo uma pessoa simpatiquíssima, de trato fácil, com quem não privei mais do que em 2 ou 3 muito breves momentos mas os suficientes para ficar a saber que jogava (ao passo que estudava) andebol no Vitória de Setúbal. 6 ou 7 anos mais tarde, foi uma enorme surpresa ver aquele rosto conhecido vestido com a camisola do Sporting actuar na sua equipa principal de andebol. Mais do que isso, perceber o impacto imediato da sua qualidade, uma que contribuiu, entre outros títulos, para a taça Challenge pelo clube conquistada em 2009/10.
«Sinto uma grande responsabilidade em vir para o Sporting, clube que dá muito aos seus jogadores, mas que, pelo seu historial, exige resultados e alto rendimento».

Hugo Figueira é outro dos atletas que (aparentemente) estará de saída, ao passo que Fábio Magalhães poderá rumar ao Benfica e Pedro Solha, MVP do último campeonato, não tem permanência assegurada. É líquido presumir que a competitividade e capacidade do andebol do Sporting lutar por títulos estará hipotecada ao longo das próximas épocas. Neste cenário, o caminho só pode ser um: formação.

Ainda em matéria de desinvestimento, teremos de esperar para ver o que sucederá noutras modalidades. Nomeadamente, no futsal.

Regressando a João Pinto, Independente Futebol Clube Torrense, Ginásio do Sul, Vitória de Setúbal, CF os Belenenses ... e Sporting Clube de Portugal [2007-2013].

Obrigado por tudo.

Ao fim de 6 anos, obrigado por tudo João Pinto.

Posted on

Tuesday, 18 June 2013

9 Comments
  1. "É líquido presumir que a competitividade e capacidade do andebol do Sporting lutar por títulos estará hipotecada ao longo das próximas épocas".
    Não será só no andebol. Temos de nos habituar.
    SL

    ReplyDelete
  2. Caro Manuel, não estás a passar uma esponja no passado, não? Porque quer-me parecer que foram prometidas soluções financeiras que evitavam este cenário confrangedor para o clube.

    E discordando do outro comentador, não temos de nos habituar nada! Eu não quero que o "modelo" do hóquei em patins se generalize, com o Sporting a formar jogadores e os outros a ganharem títulos. Assim caminhariamos para ser como um certo clube de Lisboa na zona ocidental da cidade.

    ReplyDelete
  3. Artur Correia,

    Ao nível das modalidades mais notórias [aquelas que requerem mais fundos, pelos níveis (que nem são muito altos) de salários, por terem mais visibilidade, mais público, e por termos a concorrência de um ou mais rivais] o Sporting luta por títulos em futsal, andebol, atletismo e futebol.
    Ora o futebol está aí, no dia-a-dia, vamos percebendo o que se passa. Nas restantes, exceptuando futsal, o Sporting luta por títulos com "dificuldade", tanto no atletismo como em andebol. Se perdermos os melhores de cada conjunto, então da dificuldade passamos à ausência (sequer) de luta ou disputa pelos ditos títulos.

    A formação será suficiente para alimentar equipas competitivas de andebol ou futsal? Não faço a mais pequena ideia mas caso não seja, veremos a vida andar para trás.

    No meio disto faz-me confusão a histórica cobardia e espírito mais ou menos ordinário dos dirigentes do Sporting, onde se incluem os actuais, que andam sempre com o «auto-sustentável» na boca. Impõem às chamadas 'modalidades' limites que por algum motivo já não se aplicam ao futebol. Atiram-se à parte fraca por ser mais fácil, quando NÃO FORAM AS MODALIDADES que deixaram o clube na situação em que está, MAS SIM O FUTEBOL, e quando, além disso, são as modalidades e não o futebol que recorrentemente nos dão as maiores alegrias.

    ReplyDelete
  4. Lionheart, mas quando essas soluções foram prometidas tu já suspeitavas que não existiam. E tal como tu, eu, e outros.
    Nessa medida não há surpresa ...

    Não faz sentido exigir a Bruno de Carvalho algo que sempre suspeitámos nunca teve. Quem acreditou sim, deverá agora fazer exigências.

    Ou deveria, o termo é mais esse.

    ReplyDelete
  5. Caro Manuel,
    não discordo do que escreve, sobre este e outros temas.

    Caro Lionheart,
    não quis de forma nenhuma passar a ideia de que nos devemos conformar. Meramente exprimi o que irá acontecer e quando disse que temos de nos habituar, disse-o em tom de lamento.

    SL

    ReplyDelete
  6. Durante muitos anos ouvi falar da belenização do Sporting (sem ofensa para Os Belenenses) e sempre me ri disso, agora verifico o impensável: é verdade! Depois de erros anteriores, a maioria dos sportinguistas elegeram um presidente que prometeu 15 a 20 milhões de euros de investidores externos, para o Futebol e o eclectismo era para continuar. Disse mais, após a vitória da Taça de Portugal de Andebol, prometeu aos adversários que se habituassem ao sabor da derrota. Já quase todos vimos que isto é um barrete e estas palavras e promessas dariam vontade de rir se o caso não fosse para chorar! Elegeram um presidente sem qualquer capacidade económica, sem que se veja capacidade de gestão, está quase a começar a época e contratámos Jefferson (apenas 50% do passe, o que os seus apoiantes criticavam na gestão anterior. Agora já não criticam.)Somos motivo de chacota nos jornais, diariamente. Tudo se sabe desde salários de jogadores a despedimentos colectivos. Passamos de croquetes e lambuças para os sem-abrigo. Tenho medo, muito medo que um dia acorde ligue a TV e que estejam a noticiar o fim do meu grande amor. Existem sócios e blogues em que BC é idolatrado, se despede muito bem, se corta relações com um clube, muito bem, se declara guerra a empresários muito bem, se mete os seus apoiante no Sporting, Poejo, Venâncio,etc. Muito bem. Deixou de haver sentido critico. O importante não é o Sporting, o importante são as vitorias de BC, as vitórias do clube BC. São as vitórias sobre a Banca(sem que alguém saiba os contornos da negociação...), sobre os empresários, sobre os passarões, sobre o Fcp, etc. Estamos sob o manto do grande Líder. Até um dia acordarmos. Saudações Leoninas.

    ReplyDelete
  7. A nossa formação no andebol é excelente, mas limito-me a apontar dois casos extremos, Carlos Resende e Wilson Davyes. Nem a seniores chegaram.
    Temos vários jogadores talentosos, mas duvido muito que sejam aproveitados, e para além disso a falta de experiência no andebol é uma coisa que se paga muito caro. Se apostássemos na base dos campeões nacionais de juniores como base para a equipa principal, dificilmente escaparíamos à descida de divisão. Não é exagero.

    ReplyDelete
  8. Um clube Tetracampeão em Juniores, não pode aproveitar apenas 2 ou 3 atletas para os Séniores em cada ano, e ver os que não ficam a brilhar em outros clubes.

    ReplyDelete
  9. O exemplo dado por Sloct, Carlos Resende, enquadra-se nesse perfil de (des)aproveitamento, embora me assuma ignorante sobre se constitui excepção ou regra. 5 temporadas na formação do Sporting onde chegou aos 12 anos de idade (campeão de juvenis), sai para o FCP onde se sagra campeão de juniores no ano de estreia partindo depois para uma carreira sénior onde se revela muito simplesmente um dos melhores andebolistas Portugueses de todos os tempos (a par do nosso Ricardo Andorinho).

    O próprio Hugo Figueira, guarda-redes brilhante que tudo indica também estará infelizmente de saída, completando os últimos anos do percurso de formação no Sporting e estreando-se como sénior no Sporting, saiu para ir ganhar títulos para o FCP. FCP, clubes salvo erro Espanhóis, Belenenses, ABC e só por fim o Sporting, onde regressou 10 anos depois.

    Às tantas parece mesmo isso: tal como em futebol, o Sporting anda muitas vezes a formar para outros. O que não é grave. O problema é quando falamos dos melhores nas respectivas áreas. Na perspectiva do Sporting, é suicida.

    ReplyDelete

Search This Blog