“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

Com o ingresso de Paulo Fonseca no FC Porto (dizem alguns portistas que o treinador já estará a trabalhar na SAD azul-e-branca), pela primeira vez nos últimos 6 ou 7 anos as principais equipas do campeonato (mais Sporting de Braga) iniciarão a nova época com bons comandos técnicos. As 4, por igual.

Na temporada que se viu encerrada, não se confirmou infelizmente a projecção (pelo menos a minha) do mesmo cenário, defraudando-se as expectativas de que Ricardo Sá Pinto se revelasse o treinador indicado para o Sporting. Pode o mesmo suceder em 2013/14? Seguramente, tanto para o Sporting, com Leonardo Jardim, como para o FCP, com Paulo Fonseca. Qualquer mudança envolve risco e garantias, em futebol, não existem. Neste particular, poucos duvidarão que o SLB se afigura neste momento como o principal candidato à vitória em 2013/14. A decisão de continuar com Jorge Jesus foi bastante acertada e a prorrogação do contrato por mais 2 anos, ao invés de 1, reforça a sua posição junto do plantel. À existência de conflitos os jogadores cheiram fraqueza e a renovação por 1 época, aos olhos do seu grupo, deixá-lo-ia mais fragilizado. Desta forma, com uma opção por 2 anos a SAD benfiquista ajuda a clarificar / sarar os indícios duma relação possivelmente deteriorada e preservando um técnico especialmente bom, envia um sinal claro aos jogadores de que neste momento, independentemente de mais nada, aquele será o seu treinador. Foi uma boa decisão e Jorge Jesus, em virtude de um trabalho fantástico ao longo de 4 anos, merecia esta renovação e sinal de confiança.


Jorge Jesus, Paulo Fonseca, Jesualdo Ferreira e Leonardo Jardim.
O SLB assume claramente a «pole position».

3 escolhas, 1 renovação, noção rápida

Posted on

Wednesday, 5 June 2013

12 Comments
  1. Curioso, ainda ontem na conversa com um amigo meu do Benfica que está extremamente zangado pela continuidade do Jesus eu disse-lhe que com a saída do VP e confirmando-se a entrada do Mano Menezes (dou mais crédito ao P.F.) pela primeira vez desde que me lembro daria o Benfica como o candidato nº1. Mas tudo depende do mercado, obviamente. O Benfica tem o problema do central para resolver, e tem de o resolver mt bem, enquanto q o FCP se mantiver aquele quarteto defensivo + Fernando, só aquilo dá logo algumas 20 vitórias...

    O Jesualdo é mt bom, mas o Braga perdeu jogadores importantes, outros que não estão a ficar mais novos. Tb n sabemos quem fica e quem sai do Sporting, mas com Dier, Rinaudo, André Martins na base (Ilori vai sair), com uma contratação acertada de um ponta de lança e eventualmente de um extremo, o regresso ao 3o e o encurtar da mta distância para os outros dois é mais do que viável. Expectável talvez (mas isso falaremos qd planteis tiverem definidos). O SCP teria sido 3o esta época se Jesualdo a inicia. O Braga esteve bastante abaixo do que pensei que iria estar (reparaste q foi o SCP que lhes tirou a Champions? Fez 6 ptos e 0 com Paços).

    ReplyDelete
  2. Pois foi, 6 pontos do Sporting ao Braga, mais o confronto directo que deu 2 vitórias ao Paços. Bastaria também que o Braga tivesse vencido o Paços em casa para ficar em 3º. Sobre Paulo Fonseca, a confirmar-se, bate certo com o que vinhas dizendo há muito tempo (muito muito antes dos ecos que o associam ao FCP) sobre a qualidade do ex-treinador do Paços, e bate certo com as escolhas que o FCP costuma fazer. Não se enganam. Mano Menezes enfim, é estranho para dar grande crédito à notícia.
    (10º comentário)
    http://www.reflexaoportista.pt/2013/06/pinto-da-costa-no-jornal-marca.html

    Ainda sobre o FCP, Miguel, fiquei contente com os ecos da entrada de Vitor Pereira na Premier League. Entre duas equipas tão boas e a fazer tantos pontos por época (SLB e FCP), Vitor Pereira não teria muita vantagem sobre Jorge Jesus, ou vice-versa, à partida para a 3ª temporada de confronto directo. Sai um vencedor, bi-campeonato, contrato financeiramente excelente em Inglaterra e uma montra que lhe permitirá ingressar num clube de topo. As idiotices muito Portuguesas dos rótulos associados à imagem não interessam para nada na Premiership. Se tiver sucesso, não ficará no Everton muito tempo, e este sucesso nem são muitas vezes classificações, mas uma reputação de bom trabalho, tal como para Villas-Boas quando saiu do Chelsea da forma que sabe, a quem o desastre classificativo não fechou as portas de outro grande clube Londrino.

    José Mourinho, Villas-Boas e Vitor Pereira ao mesmo tempo em Inglaterra. Fascinante. Muito bom.

    ReplyDelete
  3. "s idiotices muito Portuguesas dos rótulos associados à imagem não interessam para nada na Premiership."

    N só na premiership. Mm na própria cultura inglesa, como suponho saberás bastante melhor que eu. Há muitos anos, ainda bem novito fui com o tipo do LE do Fulham (mais 2 anos q eu apenas) a uma reunião em Londres com a Prozone (http://www.prozonesports.com/index.html), e a minha preocupação era "os gajos vão achar que somos putos a querer brincar aos adultos". E nada disso, foi brutal. Receberam-nos, tivemos uma reunião super interessante. Nós tinhamos uma ideia mt mt mt boa (na altura prozone era pouco utilizada), mas depois n tivemos dinheiro para a levar em frente (pediram-nos mais de 20 mil pelo software da prozone)

    ReplyDelete
  4. E eu como benfiquista estou contente pela continuidade do Jesus!

    ReplyDelete
  5. 77, 69, 63, 76, pontuações nas últimas 4 épocas. Os 77 pontos na última temporada superar(i)am os 82 de José Mourinho em 2003/04, época terminada com 7 empates e 2 derrotas em 34 jogos. O Benfica teve 5 empates e 1 derrota, em 30 jogos, quando a derrota foi obtida como se sabe em tempo de descontos, no Dragão. Isto diz tudo sobre o nível tanto do SLB de Jesus como do FCP de Vitor Pereira, à qual deve acrescentar-se a campanha Europeia que terminou na final de Amesterdão e a final da taça no Jamor.

    A existirem condições para que o nível exibicional se mantenha (as pontuações, por norma, são reflexo), cabendo a quem está lá dentro percebe-lo (Jorge Jesus incluído, dado tratar-se da sua carreira), existindo condições para que o bom trabalho prossiga, mandar 'isto' embora seria uma decisão bastante infeliz.

    O nosso conhecido Roberto Martinez assinou pelo Everton.
    É uma boa escolha:
    http://sportingautentico.blogspot.co.uk/search/label/Roberto%20Martinez
    O primeiro «post» sobre R. Martinez foi escrito por alturas do Euro-2012, a 1 ano de ter vencido a taça de Inglaterra com o Wigan, depois de vê-lo comentar a Espanha frente a já não lembro quem. É uma pessoa especial, desejo-lhe muita sorte, e claro continuaria a gostar imenso de Martinez ainda que não tivesse vencido uma taça de Inglaterra. Não tinha qualquer obrigação de vence-la, nem era minimamente expectável que o fizesse.

    ReplyDelete
  6. Não deixa de ser curioso que o Jesualdo vá para um clube que já tem uns 8 ou 9 jogadores contratados.

    Já agora... essa "certeza" na saída do llori é palpite ou algo mais?

    ReplyDelete
  7. Caro Manuel Humberto,

    Com o Everton a contratar Martinez, fica agora a dúvida se o destino será mesmo a EPL. O nosso amigo Lionheart surgeriu, no meu blogue, que a alternativa plausível poderá ser o Newcastle, o que é possível, claro.
    Concordo, na íntegra, com que cita no post sobre o risco inerente a qualquer treinador, é simplesmente a "natureza do animal", no entanto, muito embora compreenda a estratégia dos dois anos de contrato dados a Jorge Jesus, acho que ele, LFV e a equipa estão em uma situação ainda mais arriscada e vulnerável do que normal, pela potencial turbulência por parte dos adeptos, caso a época não comece bem ou a primeira perda de pontos/jogo importante. Não refuto o bom senso da decisão, mas nãp gostaria de estar no lugar.
    Por fim, acompanhar Jesualdo Ferreira e o SC Braga, vai ser interessante. Mesmo com a saída de jogadores importantes, Salvador já estará a tomar medidas para equilibrar a equipa e dar maior margem de erro ao treinador.
    Quanto a nós, limito-me a esperar para ver, já que nem dá para palpites. Não sei se será Ilori a sair, devido à sua recusa de renovar além de 2015, ou se Rojo, por ser, porventura, ,mais apetecível no mercado.

    Um grande abraço.

    ReplyDelete
  8. P.S. Não tenho dúvidas algumas que é o Paulo Fonseca no FC Porto. PC vê nele um novo Villas-Boas. Ab

    ReplyDelete
  9. Rui Gomes, "não refuto o bom senso da decisão, mas não gostaria de estar no lugar". Foi já o 2º ano consecutivo que o SLB surpreendeu-me. Pessoalmente esperava que saísse, tal como no ano passado já esperara que se decidissem mudar. Como diz era uma posição delicada mesmo, para todas as partes, saindo ou ficando, com a agravante de que o SLB não tem exactamente um histórico de boas escolhas de treinadores. Decidindo-se mudar, a probabilidade de escolher mal é assim para o alto.

    Quanto a Ilori é isso, e de resto os ecos dos jornais apontam no mesmo sentido. Não significa que se confirme mas por norma costumam andar em cima do universo das "possibilidades". Se o Sporting não conseguir chegar a acordo com Ilori, Bruma e/ou os seus empresários, estes 2 são os mais falados, o contrato do 1º terminando aparentemente no fim de 2014/15, dá esta janela de transferências como 1 das 2 melhores possibilidade para o Sporting transferir o jogador e realizar encaixe. Espero que não aconteça porque é dos melhores jogadores que temos e o conselho / recado que o presidente do Sporting deu nos jornais, dirigido a outros, também o serve: é preciso gastar dinheiro para fazer dinheiro, quando o foco da questão (para mim) nem é tanto o financeiro mas a simples avaliação de que temos um núcleo de 6 ou 7 que serão desportivamente a nossa alavanca para dias melhores. Ilori está nesse grupo dos melhores, carreira e boas exibições no Sporting, perspectiva de internacionalizações num futuro mais ou menos próximo e o encaixe será irremediável daqui a 2 ou 3 anos, o Sporting não tem de se preocupar porque não perderá dinheiro com Ilori. A missão dos dirigentes, num contexto onde não temos dinheiro para mandar cantar um cego, é perceber quais são, agora, os jogadores em quem vale a pena investir: núcleo de 6 ou 7, não são muitos.

    Quanto ao S. de Braga, igualmente de acordo, terão de renovar alguns nomes mas a entrada de Jesualdo abre muito boas perspectivas. Além disso, têm nos últimos 4 ou 5 anos um histórico de decisões sobre escolhas de jogadores bastante positivo. Um abraço grande.

    ReplyDelete
  10. FCS, onde há fumo costuma haver fogo. Esperemos que saiam as notícias das renovações, seria importante para o Sporting que acontecessem. 7 milhões nesta altura por um central da qualidade de Ilori, quando tem ainda tanto para dar-nos no relvado, é um mau desfecho. Bruma não está por exemplo no mesmo plano. Ilori é um jogador especial e centrais com a sua qualidade não abundam.

    ReplyDelete
  11. Boa noite MM. A pergunta que te faço é: De que vale bons treinos e falhar nas provas finais? De que vale teres um vendedor que tem muita argumentação e no momento decisivo não fecha venda? Quererias isso no Sporting, porque temos de assumir as coisas, tanto o Sporting como o Benfica são sempre candidatos ao Titulo, mas é preciso ganhá-los. Não basta jogo bom e bonito, tem de haver conquistas. Abraço

    ReplyDelete
  12. As responsabilidades pelos resultados não são dum treinador, mas da estrutura. São responsabilidade, se quisermos, do Benfica: treinador, jogadores, dirigentes, adeptos, tudo. Já o treinador, só, é responsável por pegar num grupo de jogadores e durante a semana dotá-los, bem como a equipa que formam, de atributos para numa época chegar às partidas 1, 2, 3 ... 5, 15 (...) 35 (...) 50 (...) 60 e ganhá-las. Jesus fá-lo, em Portugal, porventura, melhor que ninguém. Dotar uma equipa de competências para que atinja os seus propósitos, no caso do SLB, vencer todos os jogos em que participa. Depois se vence todos os jogos não depende só dele porque há muita coisa a fugir ao seu controlo, desde rendimento individual dos jogadores A, B nos jogos X ou Y, à valia, qualidade e trabalho dos adversários (neste caso, FCP), ou imponderáveis como um golo de Kelvin que do sítio onde rematou pode tentar 30 vezes seguidas que só fará golo em 1.

    Nem falando de Jesus, mas do Benfica, onde falhou o Benfica esta época: Estoril e Jamor. 2 jogos em 60 ou mais numa época. Isto não é demérito de Jesus. O seu trabalho mede-se em criar uma equipa tão forte que faz 77 pontos em 30 jornadas ou varrer quase tudo no caminho até Amesterdão (coisa que o SLB não fazia há mais de 20 anos), sendo este trabalho bem mais importante (para o Benfica, olhando Jesus) do que "puni-lo" por uma falta de resultados cuja responsabilidade é partilhada com jogadores e demais estrutura.
    Nos jogos em que a coisa correu mal falhou clamorosamente o guarda-redes no Jamor, falharam os demais jogadores que naquele dia estiveram muito abaixo do que poderiam fazer, falharam os jogadores que nos primeiros 30 minutos frente ao Chelsea poderiam ter feito 2 golos, já falhara Artur frente ao Estoril, Carlos Martins quando deixou a sua equipa com 10, logicamente falhou Jesus, falharam os adeptos que de forma pouco comedida anteciparam uma festa, falharam os dirigentes na construção do plantel e falharam outros agentes envolvidos na estrutura. Cair em cima do treinador quando foi o trabalho do treinador e dos jogadores que deram ao SLB as competências para vencer partida atrás de partida (porque foi isso que ele fez ao longo de 10 meses), não faz sentido.

    Quando ao «jogo bom e bonito», pois em futebol o mais importante é mesmo jogar bem. Uma equipa que não jogue bem vencerá no melhor das hipóteses de vez em quando. Já o jogar bonito é um tanto subjectivo, mas (para mim) igualmente importante. Ao contrário de alguns dos melhores treinadores Portugueses (e do mundo) como José Mourinho ou André Villas-Boas, Jorge Jesus, por opção, além de jogar bem, também joga bonito. E olhe que isto num clube grande é extraordinariamente importante.

    Um abraço.

    ReplyDelete

Search This Blog