No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

A confirmar-se a derrota no campeonato e respectiva vitória portista [longe de assegurada em virtude das dificuldades que enfrentará na última jornada], a probabilidade da ligação entre Jorge Jesus e o Benfica chegar ao fim aumenta exponencialmente. É bom lembrar que o treinador dos encarnados fechará 4 épocas ao comando das águias, e é triste testemunhar os anti-corpos que conserva naquele clube, sobretudo ao nível da massa adepta onde a falta de percepção reina. Este juízo, de resto, é extensível aos 3 chamados 'grandes', vistas as dificuldades que Vitor Pereira sente para de igual modo se afirmar junto dos seus.

Pelo reino do Sporting Clube de Portugal, é notório que a diferença entre o Sporting que passou 2/3 da prova a cheirar os lugares de despromoção e o Sporting que lutou até à penúltima jornada pela qualificação Europeia, é firmada pelo Professor Jesualdo Ferreira.
Nem dirigismo, arbitragens, adversários, retórica, fé ou nada. Foi Jesualdo Ferreira quem devolveu qualidade, amor-próprio e estabilidade à equipa do Sporting. Por arrasto, ao universo Sporting. Nessa medida, deixá-lo ir poderá constituir uma acção mais ou menos tosca. Mas não tem de ser.

Se tivesse um conjunto de desejos, pediria ao Sporting que entre outras coisas renovasse com Carrillo, André Martins, Ilori, Dier, Betinho e Bruma. Pediria que segurasse Rui Patrício e Rinaudo com amarras, organizasse uma pequena cerimónia de despedida ao bom Ricky, transferisse 4 ou 5 (não todos) entre os presumivelmente mais caros [Capel, Boulahrouz, ou até mesmo Jeffrén e Schaars, ou Labyad], e que juntasse um pé-de-meia para Ghilas, por ser bem melhor relativamente ao avançado que sairá para o Norwich.

Em Ghilas, não sendo caro, por estar ao nosso alcance.
Logicamente, qualquer transição para uma nova época pressupõe mexidas.

Testemunharemos saídas, entradas, onde o objectivo será reduzir o orçamento do futebol (numa ordem que rondará a metade do actual), com manutenção e/ou reforço da qualidade da equipa. Dado o plantel que hoje temos, este objectivo é alcançável. Trocar mais caro por mais barato, ao mesmo tempo que trocamos pior por melhor. A minha exigência, como adepto, é a de que o Sporting acerte nas permanências, universo de decisões sobre os jogadores que já são seus. Quem não acerta no que já tem à sua frente, dificilmente acertará em decisões que envolvam risco (vide, contratações). Por último, pedir-lhe-ia que convidasse o bom filho a casa tornar, re-re-tornar, porque regressado a casa em 1975/76 de dois empréstimos.

Se o fizesse, daqui a 1 ano e 1/2 estaríamos de regresso à Liga dos Campeões. Daqui a 3, a lutar pelo título de campeão. Ou então não faça nada (presidente do Sporting), perca-se pelo acessório entre contagem de rolos de papel higiénico, comunicados, Cadetes e Amarais ...

Perder Jesualdo Ferreira não é trágico. Trágico será mudar para pior, e a mudança para pior é uma real possibilidade já que o Professor integra o lote dos bons treinadores / técnicos ao Sporting disponíveis. Entre alternativas, não sendo a única, Jorge Jesus é claramente a melhor, quando o universo de boas ou melhores soluções a Jesualdo Ferreira não são mais do que 2 ou 3.

Para terminar, os prejuízos pela não participação em provas da UEFA, ainda que olhemos uma época isolada, são de todo o modo reais. Prejuízos desportivos e financeiros. Apesar de relevantes, estou-me um bocadinho nas tintas para esses. O que me entristece é a machadada histórica no estatuto que em Portugal somente o Sporting exibia, parte do melhor património que qualquer clube pode possuir.

 http://autenticosporting.blogspot.fi/2012/12

Em Portugal o Sporting é, ainda, veremos se em Maio se manterá, o clube com maior nº de participações por temporada em competições Europeias.

Não é mais, esse estatuto foi-se.
É este o elemento mais severo de todos. Tudo o resto tem solução.

Machadada histórica, bom Jesualdo. Tudo o resto tem solução, Jorge Jesus.

Posted on

Sunday, 12 May 2013

21 Comments
  1. É claro que as opiniões são diversas, mas a verdade é que se perdermos o Prof Jesualdo...é mesmo uma grande perda...
    Ele seria mesmo uma mais valia a manter na equipa...!

    Quanto ao Jorge Jesu..., com toda a franqueza, não o reconheço como esse grande treinador que muitos dizem ele ser...
    Não era o treinador que eu desejava ver no Sporting, na hipótese de ser impossível manter o JF...

    A verdade é esta..:o benfica tem um lote de jogadores acima da média...
    O benfica tem muito melhor ataque do que defesa...
    E a constação é óbvia...:

    O benfica perdeu com o porto, única e exclusivamente...por causa de um treinador "que teve medo" de colocar em campo, aquilo que a equipa que dirige tem de melhor...: o ataque...!!
    Se o benfica depois de estar a ganhar, mesmo depois de se ter deixado empatar...reforçasse o ataque em vez de ter tentado defender o pontito do empate...era muito possível que, aproveitando a necessidade de o porto tentar marcar, o benfica acabasse por conseguir inclusive, ganhar...

    Assim só se safará se o Vitor Pereira for tão incompetente quanto o JJ e não for capaz de ultrapassar o difícil teste de Paços de Ferreira...

    E para mais ...: eu queria lá em Alvalade, um treinador que viu perfeitamente (se não é cego,) que o Sporting foi prejudicadíssimo por um capelinhas qualquer que fez o jeito ao seu benfica...e se deu ao luxo de nos achincalhar, dizendo que o benfica tinha derrotado o Sporting, num jogo limpinho...?

    Longe de Alvalade e para sempre...é o que eu desejo em relação ao JJ..

    ReplyDelete
  2. Escrever Verdades12 May 2013 at 16:36

    Ò Manuel Humberto, a Taça das Cidades com Feira, é uma prova clandestina, por isso não conta para a UEFA, vá lá, seja honesto intelectualmente e faça uma recontagem das participações na UEFA!

    ReplyDelete
  3. Agora estou a pôr gasolina no isqueiro, tenho as mãos ocupadas, não posso. Mas daqui a pouco já faço.

    ReplyDelete
  4. Maximino Martins, mais-valia, claramente, até quando iniciaremos (presumo) uma trajectória ascendente na sequência do que já foi feito no último terço desta época. Agora a sua não-permanência está longe de ser trágica porque existem soluções de semelhante ou superior nível. Reitero que estamos no universo dos bons, universo do qual Jesualdo Ferreira faz parte. Se Jesualdo Ferreira ficar no Sporting só pode tal notícia ser encarada com alegria.

    No mais, ao longo do próximo mês ficaremos a conhecer a valia dos novos dirigentes do Sporting, dependente de duas coisas: decisões ao nível de treinador e plantel. É preciso esperar por essa altura. Pessoalmente, vejo a saída do Professor Jesualdo Ferreira como lógica, são perfis que não jogam bem uns com os outros: o de Jesualdo com dirigentes, administradores e pretensos administradores. O Sporting é hoje marcado por uma certa teatralidade e muita artificialidade da qual Jesualdo Ferreira (por bons motivos) destoa.

    Mas são coisas normais, diria. Não me choca que o novo presidente do Sporting pretenda levar a cabo aquilo que idealiza quando o cargo de treinador é uma opção ao nível das 2 ou 3 mais fundamentais que tem de tomar. Tem de ser alguém que ele deseje, em quem confie. Não vale por isso a pena perder tempo (ou eu não perco) com julgamentos e pessoalizações, em termos de relações (na minha opinião) um pouco básicas quanto: Jesualdo sai ---» Bruno de Carvalho é mau.
    Definitivamente, e no sentido inverso, não vale a pena perder tempo com os que olham este Sporting em modos permanentemente comparativos. Independentemente do que aconteça ---» está tudo bem porque no Passado foi assim e assado. Há dias cheguei a ler um comentário formidável como resposta a alguém que lamentava a derrota na Mata Real, «Então e há 5 meses ganhavas?, e no ano passado ganhavas? nessa altura é que estavas melhor?», algo saído do atrasado mundo mental de "cacifeiros".

    Temos que esperar e presumir (na minha opinião) o melhor. Sobretudo, confiar que quem toma decisões fá-lo consciente de estar a fazer bem ao Sporting.
    Isto nesta altura.

    Não faltando muito, quando as decisões começarem a ser tomadas, aí sim temos de avaliá-las qualitativamente. Naturalmente as opiniões irão dividir-se porque cada cabeça sua sentença, já se sabe.
    Isto mais tarde.

    Exemplo muito concreto usando-me da excelente avaliação de que goza junto de Miguel Nunes: se Bruno de Carvalho não contar com Jesualdo por estar convencido que o treinador do Paços é uma aposta maravilhosa, ficarei encantado da vida. Mas isto é um cenário, boato que li e agradou-me imenso. Já não desejar a permanência de Jesualdo e mudar para pior, estará a fazer o que tantos para trás dele (Bruno de Carvalho) ao longo de tantos anos fizeram: borrada.

    Tudo depende. Temos de esperar pelas decisões.

    ReplyDelete
  5. Eu também não tenho medo de perder o Jesualdo, tenho medo é de mudar para pior. O JF veio para Manager, não para treinador. Temos-lhe uma dívida de gratidão porque pegou na equipa do Sporting no momento mais negro da sua história (por culpa de todos os intervenientes) e conseguiu evitar a despromoção do clube. Houve um levantamento de rancho no balneário do Sporting, com meio mundo a querer sair em Janeiro, fartos da situação em que estava o Sporting. Foi JF que conseguiu agarrar aquela gente e conquistar o seu respeito, não foi mais ninguém. Que ninguém se esqueça disso.

    Mas numa altura em que os recursos são parcos e o trabalho de reconstruir o nosso futebol terá de ser por isso gradual, mas importante é haver organização e decidir bem. É discutível se um treinador no final da carreira como JF terá o perfil mais adequado para esta fase da vida do Sporting.

    Relativamente ao Jorge Jesus, se o Benfica jogasse ontem como queriam os benfiquistas, na quarta-feira levava 3 ou 4 do Chelsea. O empate com o Estoril estragou completamente o planeamento do Jesus, que passou a ter uma margem de erro curtíssima no Dragão, até porque muitas vezes quando se joga para empatar perde-se. Dá-me ideia que a passagem à final da Liga Europa custou o campeonato ao Benfica, pelo desgaste que sofreram a dar a volta à eliminatória com o Fenerbahçe e pela distracção que isso constituiu. Em comparação, o Porto nas épocas que ganhou tudo tinha o campeonato praticamente ganho antes das finais europeias, nunca se arriscando a perder tudo numa semana.

    Gostaria de ver o Jesus treinar o Sporting, mas não acredito que tal venha a acontecer tão cedo. Se ele ganhar a Liga Europa, acho que assim o Vieira renova com ele. Se não ganhar, não acredito, mesmo em caso de vitória na Taça de Portugal.

    ReplyDelete
  6. Manuel, tenho pena que não tenhas visto a vergonha que deu na SIC há pouco. Começou a operação "levantar o Benfica" nas televisões, para ver se os gajos não passam por outro enxovalho na quarta-feira. A barracada da perda do campeonato passa segundo plano, não vá a derrocada ser total. Se fosse com o Sporting carregava-se que é mole. A peça que passou agora na SIC, com o discurso do personagem "Tony D'Amato" (Al Pacino) no filme "Any Given Sunday" em pano de fundo admite-se no canal Benfica, nunca numa televisão generalista. Não tem qualquer conteúdo informativo, destinando-se apenas a dar ânimo a esse clube e aos seus adeptos.

    Depois do que o imbecil do António Mexia - CEO de um monopólio - disse ontem, extrapolando a sua preferência clubística lampiónica para um hipotético e nunca confirmado efeito das vitórias do Benfica na economia, quase que a pedir para que o Porto deixasse ganhar o seu clube em nome da "alternância" (LOL), temos a SIC a fazer a apologia do Benfica, como é costume. Assim nunca há crise, porque os media não pressionam. E apesar de tudo, o futebol português ainda é mais competitivo que o "mercado" português de electricidade. Para o vómito ser completo, um tarefeiro qualquer na peça sobre o impacto do futebol na economia, fala sobre uma sondagem em que o Benfica "tem" 6 milhões de adeptos, o Porto 3 milhões e o Sporting 2,6 milhões. Desconhecia essa "sondagem" e mais ainda que o país "tem" mais de 10 milhões de habitantes.

    O Sporting que não faça nada contra esta propaganda insidiosa que não é preciso. O Pinto da Costa já mandou uma boca ao Mexia e disse que ia cancelar o contrato que o Porto tem com a EDP. Pode não o vir a fazer, mas pelo menos o Mexia não fica sem troco.

    ReplyDelete
  7. Lionheart, por tudo isso enche-nos de satisfação quando o Benfica nem às vezes ganha. O gosto pelo Benfica é numa medida grande involuntário mas a sua prática, dose de benfiquismo que infelizmente confunde-se com o país na medida em que os defeitos dos Portugueses são por norma os mesmos que identificamos nos benfiquistas, tem a bem de todos de ser desmanchada.

    Não há nada de errado com Portugal.
    Somente com a generalidade das criaturas que o habitam.

    Os exemplos que enuncias e denuncias replicam-se na forma como as crianças Portuguesas são educadas, transmitem-se de pais para filhos, irmãos para irmãos, estão no seio das nossas famílias, reproduzem-se nas conversas informais, locais de trabalho, lugares de lazer e em todo e qualquer cm2 de território onde existem Portugueses, com a justificação de que «é futebol», dose pequena ou mera amostra de sociedade, «não tem mal».
    Claro que tem mal. Tudo tem mal. Tudo mas tudo é sintomático de um tecido social amarrado por esses doentes que contagiam e condenam uma nação à mais primitiva e grosseira das pobrezas: o desencanto moral. É uma sociedade benfiquista e uma dose anormal de anti-cultura que nos penaliza. Insulta severamente a inteligência de alguns, alimenta a pobreza de espírito de muitos, e ofende-nos todos.

    ReplyDelete
  8. Era melhor ter mais calma com o entusiasmo à volta de um treinador que chega pela primeira vez a um grande quase com 60 anos, porque isso paga-se muito caro. Gosta de jogar ao ataque, é fácil e quase sempre bem sucedido numa Liga muito fraca. Num clube que gasta milhões e que até já lhe retirou os 3 plasmas para escolher jogadores. Nem sequer está em causa como jogou ontem no Dragão porque muito provavelmente lá sabe como traz os jogadores completamente esgotados. Fala-se muito da final da Liga Europa, depois de ficar na fase de grupos na Champions? É verdade que esta época com muitas poucas opções mas também não vai ser a primeira vez que vai perder com o Benitez.

    ReplyDelete
  9. Lionheart, Março de 2012:
    http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/pai-faz-queixa-de-viva-o-benfica
    O pai de uma menina de quatro anos manifestou-se contra o facto de a educadora ter feito uma adaptação, ao obrigar as crianças a cantar «vai-te embora pulga maldita, batata frita, viva o Benfica», várias vezes ao dia.

    Março de 2012. Não em Maio de 1961, ou Junho de 68.
    De que forma se combate isto?

    Eduardo Mendes disse à Lusa que detectou a alteração à letra da cantilena logo no início do ano, mas a situação tem vindo a agudizar-se, ao interferir nas relações entre os alunos. A educadora ter-lhe-á alegadamente respondido, «quem está mal, muda de escola!»

    Alguém no seu perfeito juízo tolera isto?
    Alguém que não veja o mal? Não perceba o contágio?

    Lionheart e depois as justificações são sempre as mesmas, "uma coisa são os indivíduos, outra a instituição". Nunca têm culpa de nada, foram só 2 que desfiguraram a Praça do Marquês, foram só 14 que em Braga agrediram fisicamente uma mulher segurança no estádio, foram só 3 que atiraram os petardos ou fugiram da cadeia. A educadora de infância ensinava às crianças não a pensar, ler, escrever, contar, cantar ou a pintar, mas "Viva o Benfica". Querem milagres?

    ReplyDelete
  10. Caro Manuel Humberto,

    Não discuto preferências, todos nós as temos, as a título de curiosidade, em que é que baseia a determinação de que Ghilas é melhor do que o Ricky?... Potencialmente, tudo é possível com todos e até não contrario a ideia de que bem adaptado numa bem arrumada, o potencial realizar-se-á. Neste momento, nenhuns dados disponíveis sustentam essa tese. O Ghilas está há duas épocas no Moreirense; na primeira surgiu em 24 jogos, 13 vcomo titular e 11 como suplente, marcou um golo na liga e o total de 4 em todas as competições. Esta época, jogou o equivalente a 33 jogos, marcou 13 golos na Liga e o total de 16 em todas as competições. O Ricky marcou, em duas épocas, 43 golos no pior Sporting de sempre.

    Quanto Jesus: não gostava de over no Sporting por variadíssimos motivos, comentário extenso de mais para agora. À parte do golo milagreiro, ele perdeu o jogo de ontem perante um FC Porto vulnerável e mal orientado, por razões semelhantes - fora extras - que Peseiro perdeu o campeonato em 2005: defender classificações, a jogar para o empate. As equipas de JJ chegam quase sempre ao último terço das épocas esgotadas fisicamente, nada de novo, portanto, com este Benfica que áté teria chegado ao Dragão em 2.º lugar se não pelas ajudas conhecidas, e não só contra o Sporting. No seu consulado no SLB tem tido planteis muito superiores aos do SCO, no mesmo período, e os resultados estão à vista. Um Benfica tem de saber lidar com todas as competições e eke até já está afastado da Champions há muito tempo num grupo mediano. Tinha a obrigação de fazer melhor com o que tem à sua disposição. Entre os diversos motivos que me levam a não gostar dele, é a sua falta de carácter, e isso, para mim, é importante num treinador.

    Por fim, reitero que muito embora JF não seja insubstituível,é o treinador ideal para este momento do Sporting. Podemos falar do jovem do Paços ou do Estoril ou de outros. Tudo apoastas no escuro que poderão ou não bater certas, a exemplo de Domingos. O maior problema, para mim, é eu não confiar em quem está na suposta estrutura para fazer a melhor decisão,neste e em quase tudo relacionado com o futebol.

    Um abraço

    ReplyDelete
  11. Rui Gomes, os jogadores cujas avaliações ficam sujeitas a contabilidade: nº de jogos, nº de golos, nº de assistências, ou outras, são aqueles para os quais não existem imagens. Para os outros, estima-se observação. Da observação, forma-se um retrato. Para o retrato, contribuem os contornos do jogador. Estes contornos são mais importantes que os números por 2 motivos:
    . ultrapassam o perfil de jogo da equipa onde se inserem.
    . ultrapassam os mil-e-um motivos que podem haver [não falo de Ghilas, dá boa conta de si em termos de 'produção' (golos)] para que belíssimos jogadores nos clubes A, B ou C não tenham a notoriedade que deveriam.
    Pulando então a sua equipa, e pulando nºs que nos dizem alguma coisa mas muito pouco, interessa-nos olhar e sentir a forma como joga. Forma como joga. Porque somente esta nos diz qualquer coisa sobre ele. Olhando então o seu jogo, e sentindo-o, perfilamos qualidades individuais, ou talento.

    Rui Gomes, de que forma subtrai talento a partir de nºs?
    Não subtrai.

    Ao nível de Sporting, nível muito elevado, não interessa depois complicar muito. Ou tem. Ou não tem. E repare que em Ghilas não se trata sequer de ter (talento). Mais do que isso: é um jogador especial. Durante muitos meses o jogador tem sido associado ao Sporting, e só ao Sporting. Se me perguntar, (acho) que essa matéria já deveria estar tratada há muito, especialmente quando falamos de um jogador de 3 Milhões de Euros e o treinador de Ghilas será na próxima época administrador do Sporting. Apesar da continuada associação ao Sporting, caso o jogador apareça (em fim) noutro emblema, desejo muito que reforce o FCP ou SLB.

    Nessa altura apreciaremos todos as suas qualidades.

    Ricky é um jogador muito diferente de Ghilas. Tem qualidades e à sua maneira é especial. Gosto muito dele e sentirei indiscutíveis saudades suas.

    Um abraço.

    ReplyDelete
  12. Sobre Jesualdo Ferreira, subscrevo inteiramente, na medida em que os treinadores ideais são aqueles que nos levam de A (onde estamos) a B (onde queremos ir). Em termos superlativos, não é o único, nem o melhor. Sem dúvida um grande treinador e em termos ainda superlativos, a melhor coisa que aconteceu ao Sporting nos últimos 8 anos. Em termos de apostas no escuro ou aquilo que pode ou não bater certo, estão todos sujeitos a isso. As coisas não "bateram certo" a Jesualdo Ferreira em 2002, no Benfica. Ou em 2009, no FCP.

    Não deixa de ser um grande treinador por isso.

    Por último subscrevo (também) a desconfiança que manifesta sobre a estrutura. Mas essa reserva ou essa desconfiança são as mesmas mantidas sobre estruturas passadas. Como sportinguista não preciso de gostar ou confiar nos modos e traços individuais de Bruno de Carvalho, tal como não precisava de gostar dos outros todos. "Não me importo" que goste de aparecer em fotografias nem me importo que tenha apetência para a manipulação, ou que se tivesse ontem colado aos resultados do futsal ao mesmo tempo que encomendou a outros que o descolassem dos resultados do futebol. Em última análise "nem me importo" que leve para o Sporting os Jorge Cadetes, Amarais, os amigos todos de adolescência ou aqueles que fez durante as duas campanhas. Se tomar as decisões certas nos domínios fundamentais (treinador e plantel), terá feito bem melhor que os 3 ou 4 presidentes que o antecederam.
    Para o Sporting é só isso que desejo.

    Rui Gomes, ontem lia o seu «post» sobre Carlos Severino. Eu digo que "não me importo" mas você entende o sentido em que o refiro. É claro que me incomoda e ao ler nem achei o relato preocupante, somente lamentável. Lamentável. Mas a esse nível qual é a diferença para os dirigentes anteriores? E para os anteriores antes dos anteriores?

    Acerte no treinador, no Ilori, no Carrillo, no Ghilas, e em tudo aquilo que envolverá a selecção de 20 e poucos jogadores mais 3 ou 4 técnicos. Se o fizer terá prestado um bom serviço ao Sporting.

    Um abraço grande.

    ReplyDelete
  13. Caro Manuel Humberto,

    Só uma pequena nota. Quanto ao factor confiança nos dirigentes, eu sentia alguma com Duque, embora com reservas, e muita em Carlos Freitas. Este, ainda hoje digo, fez um excelente trabalhar em recrutar alguns dos talentos. O que houve, ou melhor, não houve, foi competência de gestão por parte de quem era mais responsável, e os resultados estão à vista.

    Actualmente, ainda nem sequer compreendi a estrutura da SAD. É, no seu todo, uma situação muito nebulosa. Por isso não sei em quem confiar. Preocupação acrescida é a intervenção directa de um presidente - que pretende ser um pequeno ditador no futebol - que não percebe patavina da matéria. É por de mais evidente que o "patrão" do futebol vai ser o Inácio que, salvo ser um treinador mediano com fama pelo títuto de 2000, nada mais fez no futebol e não tem credenciais com gestor. Aliás, o presidente do Vaslui teve poucas coisas boas a dizer a seu respeito e com certas inferências a "negócios". Veremos...

    Um grande abraço.

    ReplyDelete
  14. "A equipa de Sá Pinto, que somou a oitava vitória em outros tantos jogos, recebeu e bateu o OFK Belgrado"

    Mais um que não percebe nada de bola, para os entendidissimos de nada adeptos sportinguistas, que queimam jogadores e treinadores a um ritmo alucinante

    ReplyDelete


  15. Poucos duvidarão que o mais aconselhável no Sporting actual seria a continuidade de Jesualdo Ferreira no comando técnico de todo o futebol e não só no banco como treinador, até porque há muito que vinha a preparar a próxima época como deve ser sempre e numa realidade financeira diferente e mais austera para todos os clubes. Mas então porquê eleições? Muitos sportinguistas ainda não perceberam muito bem as razões e as consequências da CI com adeptos à mistura, até agora inédita em Portugal. Jesualdo Ferreira nunca foi o treinador da actual direcção, que depois de vencer as eleições tem todo o direito de escolher com quer trabalhar. Se houver algum resquício de convicção ninguém salta de Van Basten para Jesualdo Ferreira, muito mais indicado num Sporting há muito à procura de mais estabilidade na SAD e não só no lugar de treinador. Está à vista de todos que não é só no comando técnico que o Sporting precisa de muito mais do que veio a ser o resultado das eleições. O enfraquecimento mais recente do futebol do Sporting começou com trocas sucessivas de treinador que agora também passou para as direcções, quando também estava à vista de todos que a última fase que pelo menos não envergonhou tanto os adeptos ao nível dos resultados desportivos contraria tantas mudanças e sobretudo uma ideia peregrina constantemente defendida no Sporting que é sempre impossível fazer pior. Também constantemente contrariada pela realidade nos últimos tempos. Ao nível dos resultados mais imediatos é sempre possível fazer pior. Jesualdo Ferreira a ficar por pressão mediática tem tudo para correr mal, até porque a única coisa que prova é que estamos perante uma direcção fraca, que nem um treinador novo consegue impor.

    Há sobretudo uma questão de fundo em que os sportinguistas vão ter que começar a pensar e que se sobrepõe a todo o movimento mais opinativo, os clubes não nasceram e alguns nunca evoluíram para as exigências do futebol profissional. Nomeadamente no Sporting e para quem conhece bem a realidade, já não chega um presidente na SAD e outro no clube. Mas não estou só a falar do Sporting, no Benfica Luís Nazaré, PMAG já convocou para hoje à noite o plenário dos órgãos sociais para discutir o momento do futebol, ou seja decidir o futuro de Jesus, com o Vieira completamente isolado. E querem discutir lugares no futebol europeu ou uma final com um clube completamente profissionalizado? Onde se houver pernas ainda discutem o jogo como discutiram em Manchester mas como Jesus já deve estar outra vez todo borrado é casa cheia como foi em Liverpool.

    Já para não abordar a questão de um sistema sempre bem presente em Portugal e que defende sempre outras cores que não são o verde.

    ReplyDelete
  16. O comentário acima, parece de alguém que tenho bastante consideração, espero que apareça mais vezes, com o seu conhecimento.

    ReplyDelete
  17. Olha o gajo! É verdade, haja luz. hehe Bem parece que desandou tudo do outro blogue. Já não se podia aturar aquela tralha do "Messias".

    Tenham calma porque parece que esta semana teremos notícias sobre o treinador, nem que se para dizer que para a semana se saberá mais qualquer coisa. Até lá não incomodem o Bruno se faz favor.

    ReplyDelete
  18. Sobre o Sá Pinto, é preciso ver que no Estrela Vermelha não há o Freitas, o Duque, o Godinho, o Bruno, o Eduardo e o Daniel, logo as possibilidades de sucesso sobem para qualquer treinador.

    ReplyDelete
  19. Lionheart, Haja Luz, "perderam-me" com os últimos comentários.
    Anónimo, subscrevo a ideia de que o Professor Jesualdo Ferreira seria o homem certo para comandar todo o futebol do clube, e concordo com a ideia de que nunca terá sido o escolhido da nova direcção. Para essa função, ou para a de treinador. No meu caso, concordo por tratar-se de uma mera impressão que possuo.
    Factualmente não faço ideia se sim ou não.

    ReplyDelete
  20. Adoraria perceber baseado em quê diz Bruno de Carvalho "colou-se ao Futsal e encomendou a outros que o descolassem dos resultados do Futebol". Consegue ler pensamentos ou também é daqueles que fez confusão ve-lo festejar a Taça de Portugal com os jogadores?

    ReplyDelete
  21. Não só não me faz confusão como gosto, tal como já gostara de vê-lo saltar do banco como se tivesse uma mola em Braga quando o Sporting meteu o 3º golo. Percebe-se o quanto ele gosta e precisa daquilo. É muito bom. É genuíno. É óptimo.

    Já pouco genuínas são «nuances» produzidas como esta: “É um orgulho muito grande, é um trabalho de muita gente, mas são os jogadores que estão de parabéns, nós só estamos aqui para servir o Clube”, no sítio do clube, em forma de declaração, com uma fotografia do presidente. De forma subreptícia pretende afirmar "(o mérito não é nosso), nós só estamos aqui para servir o clube", o mesmo que afirmar, "o mérito é nosso". Com a imagem a dar cor à declaração, é pura propaganda. Já no futebol o comentário insere-se na resposta a Rui Gomes relacionado ao que lera no seu «blogue», comunicado de Carlos Severino, a sua preocupação, assim citada no último parágrafo do comunicado, em imputar responsabilidades a anteriores direcções pela não participação nas competições europeias é deveras infantil, por ser tão transparente.

    Agora festejar com os jogadores e treinadores, abraçando-os, fazendo-se presente, exteriorizando a sua felicidade, e lógico dando a cara nos momentos maus quando assim tiver de ser porque nem mesmo a equipa de futsal vencerá todos os jogos e daqui até à conquista do campeonato ainda falta jogar muito: é uma maravilha.

    Porque é genuíno.

    ReplyDelete

Search This Blog