Confirmando-se o fim da ligação de Jesualdo Ferreira ao Sporting, testemunhamos em pouco tempo o 2º desaire para o clube. Fruto do meritório trabalho desenvolvido enquanto treinador e duma carreira que fala por si, o seu nome seria consensual para orientar o Sporting ao longo dum ciclo que se caracterizará pela redução drástica do seu orçamento, algo que não me impedirá de afirmar que  Jesualdo Ferreira foi, é, ou seria, uma mais-valia para o Sporting independentemente de mais nada. Jesualdo foi o melhor treinador que o Sporting teve anos últimos 8 anos, e para uma instituição nas últimas 2 décadas acostumada a falhar nas escolhas que faz no futebol, não é difícil perceber podermos estar diante dum problema. Ainda neste contexto, se a não-permanência de Jesualdo é o 2º revés, as dificuldades de financiamento foram manifestamente o 1º desaire para um Sporting que desejamos saudável, competitivo e mais forte. Poder-se-á dizer  que a austeridade não nos proíbe de alcançar o lugar que no fundo ambicionamos, e concordo. Limitativo é ter sido necessário que 'alguém' fechasse a torneira para que 'todos' o percebessem. Lamentável é que não se tivesse passado do recomendável à pratica evitando a privação. Encontrar um treinador e uma equipa ou plantel composto na sua essência por jovens jogadores formados no Sporting não é difícil. Em boa verdade, nem demora muito tempo e o último 1/3 desta época foi exemplo. Difícil é criar as condições para que funcione. Não basta dizer 'agora quero ser o Dortmund' porque as coisas não funcionam desse modo. O requisito de qualidade ao nível das opções que o Sporting tomará é tão indispensável hoje tal qual teria de ser caso os credores não o tivessem forçado a um caminho de contenção e equilíbrio. As dificuldades serão idênticas porque o universo é o mesmo: treinadores e jogadores de futebol. O sucesso na prossecução do caminho ver-se-á dependente da inteligência mostrada nesses 2 domínios.

Tal não mudará.

Como sempre, para mais numa altura em que saímos de um acto eleitoral fracturante, estas questões no lugar de perspectivadas pela óptica do interesse do clube vêem-se manipuladas e politizadas, espelhadas num notório sectarismo, presunção ou mero simplismo. Infelizmente, características residuais de estupidez que nestes casos, recorrendo à manipulação, procuram favorecer a actual direcção do Sporting mas que noutros, praticados por outros, procuram penalizá-la. A retórica manipuladora e sectária que tem como propósito prejudicar a direcção do Sporting parte de quem lhe atribui responsabilidades no contexto de austeridade para o qual, evidentemente, não contribuiu. Bruno de Carvalho não é culpado por 25 ou mais anos de desgoverno nem é responsável pelo agudizar de um desastre que viu o clube chegar ao descalabro de ter vender um jogador em Janeiro para pagar salários de Fevereiro e Março. Se alguma coisa neste domínio lhe pode ser assacada, essa será o incumprimento de promessas. Contudo, tal não resolverá qualquer problema e por norma quem o questiona são adeptos (mais informados) que em muitos casos ratificaram alguns dos contributos que cavaram uma parte razoável de um buraco de 450 milhões de euros, algo incomensuravelmente mais grave do que promessas eleitorais não cumpridas. Prometer, quase todos prometem. Por norma, quem fala verdade, é punido nas urnas. Nessa matéria, as últimas eleições foram paradigmáticas.

Ao nível da discussão temos então dois espectros sectários obcecados com o presidente do Sporting. Ao meio, Bruno de Carvalho, amado por um, odiado pelo outro. Neste ambiente toda e qualquer questão vê-se politizada e Jesualdo Ferreira não foge à regra.

Pessoalmente, interessar-me-ão duas coisas:

1) um treinador de competências idênticas para suceder a Jesualdo Ferreira.
2) perceber por que motivo Jesualdo Ferreira não continuará.

Tratar-se-á em todo o caso duma decisão infeliz e preocupante, já que no edifício do futebol leonino Jesualdo Ferreira sabe mais de futebol num dedo que Bruno de Carvalho, Inácio, Virgílio e Freitas Lobo somados e multiplicados por 10. A grande perda foi a de director técnico. Não a de treinador. Logicamente, como treinador, os 6 meses passados junto da equipa do Sporting perder-se-ão. Novo treinador, novas ideias e novos métodos.

Um novo recomeço.

Ao Professor Jesualdo Ferreira, um profundo obrigado pelo que fez, deu e tentou dar ao Sporting. Obrigado pela competência, disponibilidade, profissionalismo, sobriedade, seriedade e a forma sempre correcta como tratou o clube ao longo dos meses que o serviu. Num contexto particularmente difícil, não foi coisa pouca.

Jesualdo Ferreira despede-se como entrou: a ganhar. Obrigado ao Professor pelo que deu ao Sporting.

Posted on

Sunday, 19 May 2013

12 Comments
  1. This comment has been removed by a blog administrator.

    ReplyDelete
  2. Luís Moreira, está aqui o «link» que partilhou:
    'O primeiro erro da era de Bruno Carvalho'

    Desculpe-me a remoção do comentário mas colou o «link» duma forma que desregulou os «gadgets» ali da barra lateral. Cumprimentos.

    ReplyDelete
  3. Caro Manuel Humberto,

    Simplificando e abreviando: se o "Sporting" quisesses Jesualdo continuaria, tudo o resto é adorno demagógico.

    Um grande abraço.

    ReplyDelete
  4. " Ao nível da discussão, temos então dois espectros sectários obcecados com o presidente do Sporting. Ao meio, Bruno de Carvalho, amado por um, odiado pelo outro."

    Não estou de acordo com essa análise.
    Quem é que provocou este ambiente,? quem andou a fazer tudo para que as coisas corressem como correram, para arranjar quorum e destituir a direcção, independentemente das consequências para o clube?
    Quem quis agredir várias vezes o presidente?
    Se queres passar uma esponja, ou queres equiparar, igualar as situações,é contigo, mas não tem qualquer espécie de comparação.

    ReplyDelete
  5. não acho que seja um erro do Bdc, erro seria manter o jesualdo contra directrizes tomadas pela nova direcção. Direcção que foi eleita pela maioria dos sócios!
    Uma andorinha não faz a primavera, agradecer ao jesualdo e partir para outro, o sporting é maior que qualquer treinador ou presidente!
    Se já começamos a criticar o presidente por ter feito o que fez com um treinador contratado pela anterior direcção para manager....
    Uni-vos e não critiquem sem almejar ir mais além. Somos uma potência adormecida, não acabamos só porque ficamos sem um treinador que face à mediocridade anterior fez o que fez!
    prá frente é que é caminho.
    João Silva, Braga

    ReplyDelete
  6. Caro Rui Gomes, é tão simplesmente isso, embora os exactos «porquês» fiquem por conhecer. O presidente do Sporting priva 3 ou 4 meses com Jesualdo Ferreira, as pessoas falam, trocam ideias sobre o que é preciso fazer, o que está a ser feito, formas de fazer evoluir o clube, e privando a única conclusão só poderia ser a de que Jesualdo Ferreira tem bastante para dar ao clube.

    Não é só a equipa de futebol. Mas algo mais vasto do que isso.

    Perde-se assim sem mais, chega ao fim a ligação.
    Como disse, a questão da equipa de futebol é a menos preocupante. Leonardo Jardim dará conta do recado, nessa matéria estamos assegurados. Problema é o funcionamento da estrutura.

    Já agora algo que ficou por dizer: Leonardo Jardim é bom e para o ano (Salvador anunciou, a ver vamos o que por lá acontecerá) o Sporting de Braga sofrerá uma remodelação profunda na sua equipa de futebol. Não sei se todos mas pelo alguns dos jogadores veteranos muito influentes são capazes de mudar de ares.

    Com Leonardo Jardim temos condições para regressar à Liga dos Campeões daqui a 1 ano. Temos hipótese, pelo menos.
    Afirmação um bocadinho vaga mas a esperança mantenho.

    Forte abraço.

    ReplyDelete
  7. LJ é uma óptima escolha. Está ao nível do Jesualdo. Veremos o plantel que lhe dão para as mãos.

    Ouviste hoje as declarações do Jesus? É apenas um palpite porque n ouvi nada nesse sentido, mas parece-me que o Ghilas n sai mais de Lisboa sem um contrato na mão.

    Andei eu a pregar no deserto tantos meses...

    ReplyDelete
  8. Miguel, não ouvi nada sobre os pós-jogos. Estava a escrever isto. Ao fim de tanto tempo associado ao Sporting um jogador daquele calibre (por 3M) só tem é que reforçar ... o Sporting. Caso não aconteça, subscrevo, que assine pelo SLB (ou FCP). Como sempre, para o BEM e para o mal, o Sporting deitar-se-á na cama que fizer.

    Não é só nisso que 'pregas'(te).
    Infelizmente é em muito mais.

    ReplyDelete
  9. caro manuel humberto
    Já o disse e volto a reiterar aqui, não gosto do inácio!
    Apoava a outra lista não pelo JC, mas sim pela sua lista! Agora que ganhou a lista do Bdc, actual presidente eleito, não devemos dividir para reinar mas sim união! nesse sentido apoio a decisão de aceitar a renúncia do prof. sim ele é que não aceitou, palavras do próprio.
    O nosso papel de comentadores é como de treinadores de bancada, cada qual tem a sua táctica e para mim não vejo com problema a saída do prof. pessolamente não me indentifico com ele desde os tempos de seleção e braga. são opiniões.
    Os politicos tb são o que são e postos lá por nós todos...
    joão silva, Braga

    ReplyDelete
  10. Mt bom!

    E um obg ao MM q continua a produzir mt bons post's.

    SL

    ReplyDelete
  11. Caro Manuel Humberto,

    Ainda em relação a Jesualdo Ferreira, e para finalizar o tema, a única disposição que me intriga, não obstantes as minhas apreciações nesse sentido,deve-se às próprias palavras do professor, em que ele indica, esclarecidamente, que a diferença entre as partes não se centra em questões financeiras nem poderes alargados por si exigidos. Além do óbvio, gostaria que ele tivesse explicado a sua visão do futebol do Sporting. Digo isto como amante de futebol, além de sportinguista. No entanto, respeito a sua opção em não querer elaborar, porventura, porque essa elaboração poderia posicioná-no em uma posição de confrontação com a actual liderança. Mas reitero, apenas no contexto futebolístico, gostaria de saber. Nem tudo deve ser o "mar de rosas" aparente. Li há instantes que apesar do plano original ele já não acompanha a equipa ao Brasil. Oceano Cruz será o líder.

    Um grande abraço.

    ReplyDelete
  12. Virgílio, obrigado e um abraço grande.

    Rui Gomes, quando Jesualdo Ferreira afirma que não desejava na próxima época ser visto como um elemento a mais, nem sentir-se a mais, está com honestidade e de forma elegante, cordial, sem levantar ondas, a confirmar o "conflito" de competências entre o seu próprio papel e o de outros elementos da estrutura. Como disse o Rui Gomes, Jesualdo Ferreira tem categoria e classe, até ao fim, saiu sem mágoa, triste por ter de sair, da melhor maneira possível e de consciência tranquila. Um abraço grande.

    ReplyDelete

Search This Blog