“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

É a nossa história que tu vais escrever, vais brilhar, verde e branco e nunca te podes esquecer dos heróis que contigo sonharam. Corres onde guardo o coração e por isso estamos cá contigo, dentro deste Nobre Vulcão, centro do nosso Império. Juntos Tiago, uma muralha por onde só passa quem tu deixares. Lugar de deuses, sempre na terra, Claudio López, Francesco Totti Rome's new Emperor.

Olímpico de Roma, Dezembro de 2011, baptismo de fogo em palco de gladiadores. Tem a palavra o antigo avançado do Sporting: 

Paulo Alves era / é um ser humano extraordinário. Muito correcto, de princípios, maduro. E o perfil futebolístico, recordam? Tremido porque Paulo Alves não era um futebolista especialmente confiante: os seus índices de pujança emocional e mental oscilavam. Paulo Alves (e muitos existem como ele) era um jogador maduro mas pouco afirmativo. A idade de um jogador de futebol é determinante por estar associada ao seu processo de afirmação. A idade de um jogador de futebol é determinante porque está associada ao tipo de actividade subjacente a um clube de bola, hoje: vender e comprar. Comprar, e vender.

Mas no relvado não existe idade. Existe qualidade. Domingos não perdeu por ter feito alinhar Ilori, André Martins ou os 2 júniores que entraram na 2ª parte. Domingos perdeu porque fez alinhar 2 ou 3 elementos de qualidade inferior ao que o momento - forte mas acessível equipa da Lázio pela frente - pedia. A idade de Ilori não impediu que na 1ª parte tivesse feito a equipa do Sporting sair a jogar rente à relva, fora da sua área. A idade de Ilori não impediu o soberbo corte aos pés do jogador da Lázio dentro da área do Sporting, quando corriam par-a-par a grande velocidade. A idade do central do Sporting também não impediu que vencesse em corrida numa, duas e três ocasiões um jogador rapidíssimo e forte como Cissé.

Já a sua qualidade ... permitiu tudo isto e permitirá muito mais.

O Sporting perdeu o jogo entre outros motivos partilhado(s) com os adeptos: o clube não está habituado a níveis de exigência especialmente elevados. Jogos que não contam para nada, o importante é no próximo domingo, noções desta espécie: são zero. Jogos Europeus são para ganhar, ponto final. O Sporting tem de jogar em Roma para ganhar e quem diz Roma dirá outro campo qualquer de 80% dos emblemas da Liga Europa. Quatro ou cinco mensagens para trás está o integral historial do Sporting nas competições Europeias de futebol. Somem-lhe agora mais uma derrota e digam que não interessa ...

(Qual) idade? Maturidade. Os jogadores de futebol não têm idade.
Têm qualidade. Aqui.

Serão noites mágicas de encantar, pouco importa o lugar e por isso estamos cá, Tiago. Centro da defesa do nosso Império ...

Posted on

Sunday, 3 March 2013

Leave a Reply

Search This Blog