No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

É isto. O termo é esforço, razão pela qual sem o esforço que ele menciona ou num contexto de normalidade, o meu Sporting é o Sporting do GBC, clube de pessoas da sua estirpe.

Para os que desde há umas semanas passaram a ver este blogue como lixo, em resultado da fila de «posts» que diariamente têm saído sobre as eleições, leia com atenção o que GBC escreveu sobre José Couceiro.

Isso também o torna mais capaz para presidente do que para director de futebol ou treinador.

Concordo em absoluto. Os bons treinadores são técnicos: indivíduos que aliam bruta especialização (uma que alcançam pela instrução, ou sozinhos) a um entendimento muito inteligente do jogo. Nalguns casos, quando antes da inteligência e da especialização falamos de gente dona de uma imperial vocação e irrepreensível qualidade humana, saímos do muito-bom e entramos no domínio dos predestinados. José Couceiro, ou qualquer outro, para exercerem o cargo de presidente não necessitam de especialização nem de um entendimento muito inteligente do fenómeno (jogo).

Um bom entendimento é suficiente, mínimo a partir do qual não se deve descer. Mas (escreve GBC) não o torna suficientemente capaz para o exercício do cargo de presidente. Olhando os motivos que enuncia consigo compreender a visão, embora não seja coincidente com a minha. Não é necessário inventar, acusar, ser-se cínico, manipular, mentir, ser-se desonesto, como fazem Bruno de Carvalho e a maioria dos seus apoiantes. Basta falar verdade e o mais são, como sempre foram, escolhas.

«Como não tenho especial interesse em fazer esse esforço suplementar, porque “hoje” não me identifico com o Sporting nem com os sportinguistas, poupo-me a isso».

Posted on

Monday, 18 March 2013

9 Comments
  1. Agredeço que elabore textos direcionados à minha pessoa, mas não é preciso.

    Tudo certo no texto, não sei o que faz o GBC de mais acertado que muitos outros, se não explanar a sua visão. Pena que a mesma não tenha obrigatoriamente de ser correcta e assertiva. O que dizer de Inácio e Virgílio? Ou as premissas impostas ao Couceiro não são aplicáveis a estes dois? Não percebi as constantes referencias ao artigo no Lateral Esquerdo.
    Não faço luta, o tempo dirá a melhor escolha. O Sporting é certamente o que os Sportinguistas escolherem. E o seu futuro estará intrinsecamente ligado às escolhas dos associados.

    Já disse e volto a repetir mais do que ser pró-BdC fica muito bem a alguns ser anti-BdC. Só porque sim...Conheço bem os posts do GBC, é o mesmo que se considera demasiado bom a debater conteúdo eleitorais ForumSCP porque se acha acima de todos. É um bom principio.

    "Não é necessário inventar, acusar, ser-se cínico, manipular, mentir, ser-se desonesto, como faz(em) Bruno de Carvalho e a maioria dos seus apoiantes." Estamos a falar do candidato do qual sofre constantemente campanha negra?

    ReplyDelete
  2. This comment has been removed by a blog administrator.

    ReplyDelete
  3. Pedro, começando pelo mais importante: quer dizer qualquer coisa sobre GBC (boa ou má) vá ao seu «blog» e fale directamente com ele. Ele não está aqui para lê-lo e responder-lhe, portanto não o faça aqui.

    Sobre o que diz, Inácio e Virgílio:

    Como é que podemos (eu, falo por mim) dizer qualquer coisa que atente minimamente contra pessoas que se gosta, admira e a quem me sinto profundamente agradecido? Como é o caso de Inácio. Não posso. Limito-me a dizer que não subscreveria uma opção que o visse como director de futebol. Administrador da SAD? Não faço ideia o que fazem ou qual o papel de administradores de SAD.

    Virgílio: mesmíssima coisa do que para Inácio, uma referência do clube, sem menos. Mas só no 1º parágrafo, porque sobre Virgílio não posso afirmar que desejaria ou não vê-lo ocupar um lugar de decisor no Sporting porque não conheço. Não faço ideia. Pode ser óptimo ou muito mau, com tudo pelo meio. Não conheço as ideias / versos / palavras de Virgílio sobre futebol.

    ReplyDelete
  4. E Pedro só uma clarificação sobre o «post», não me apetece desta vez corrigi-lo:

    1) Os motivos que não o tornam suficientemente capaz, na visão que aqui sugerimos que se leia, não têm só que ver com futebol. É um entre muitos e estão lá todos enunciados.

    Ainda no seu comentário,

    2) Este «post» não referencia artigos do LE. São referências à pessoa, pessoa do LE.

    3) Bruno de Carvalho foi vítima de uma campanha negra em 2011. Já o escrevi aqui não-sei-quantas-vezes. Nesta eleição não é vítima de coisa alguma, nem José Couceiro gasta grande tempo com Bruno de Carvalho. O pouco que gasta, não é para campanhas negras. Quem faz a campanha negra é, nesta eleição, Bruno de Carvalho. E são também a esmagadora maioria dos seus fiéis.

    ReplyDelete
  5. Já ouviu ou leu as palavras de alguem que está familiarizado com os candidatos e aquem não se lhe pode acusar de falta de honestidade e sinceridade? Note o que disse Abrantes Mendes:

    "... Tenho algumas divergências com ele, mas ponderando todo o cenário, o Bruno de Carvalho é o que me oferece mais garantias...".

    "... É preciso uma revolução em toda a máquina em que o Sporting assenta e a pessoa mais bem posicionada para levar a cabo esse trabalho é o Bruno de Carvalho..." .

    (Abrantes Mendes in TSF em 18-03-2013, sobre Bruno de Carvalho)

    Porque será que pensa assim?

    SL
    Juba

    ReplyDelete
  6. Caro Juba,

    O Abrantes Mendes seria a última pessoa a ser conultada quanto à recuperação do Sporting. Discursa mas não especifica. Deixa no ar para quem desejar apanhar.

    «Revolução» em que termos ?... Quer dizer, faz-se uma revolução e venha o que vier. O notório «logo se vê». E assim se define o futuro do Sporting.

    O que o Abrantes Mendes não quer ver é que assente nessa premissa indefinida, o pior pode acontecer.
    Na realidade esta é a plataforma de BdC: entreguem-me o trono e depois logo se vê. Eu quero é o trono!

    ReplyDelete
  7. Manuel,

    Obrigado pela referência. O meu SCP é também o teu SCP, como sabes, e isso diz muito (sendo que o teu é muito melhor, porque conhece e honra muitíssimo mais a sua História).

    No mais, deixa-me dizer-te que percebo as razões pelas quais apoias e acreditas no JPC. É uma solução 100X melhor do que GL se perfilava para ser (para não falar no JEB...). É também uma solução 10X melhor que o BdC.

    Duvido é que seja o suficiente. Gostava muito que fosse. Mas tenho muitas dúvidas...

    Um forte abraço.

    ReplyDelete
  8. Parafraseando o Carlos Carvalhal, com o José Couceiro talvez o Sporting não consiga ser um "Ferrari", mas não pode é continuar a ser um "Fiat 600" como agora, e muito menos enconstar à borda, que era o que aconteceria com Bruno de Carvalho.

    ReplyDelete
  9. Juba, não estou por dentro do que pensa S. Abrantes Mendes mas imagino que a sua (dele) preferência resulte de algo que ocupa imagino ainda num cenário muito muito optimista: 10% de toda a gente que apoia Bruno de Carvalho. É que apoiar Bruno de Carvalho não significa gostar dele. Significa desejar vê-lo como presidente do Sporting CP. S. Abrantes Mendes caso esteja "farto de tudo", caso não se reveja em qualquer das alternativas e caso não retire nada de muito mau da pessoa de Bruno de Carvalho, entregar-lhe-á o seu voto imbuído pelo espírito de mudança, corte radical.

    Mas não significa que esteja certo. Está aliás profundamente errado porque Bruno de Carvalho não será sinónimo do corte radical que os 10% dos seus bons apoiantes imaginam que será. O meu caro pega no genuíno (muito distante, como é óbvio não conheço a sua pessoa) respeito e cortesia que tenho para com S. Abrantes Mendes e calcula que trocarei a minha massa cinzenta pela dele. Não troco. É a opção de Abrantes Mendes. Não é a minha.

    A minha está certa.
    A dele não está.

    ReplyDelete

Search This Blog