Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

«Bruno de Carvalho representou aos olhos da maioria de sportinguistas o único modo de quebra do poder dos velhos senhores, que tão bem preparados estavam que nos deixaram completamente de tanga» - HY

Friday, 29 March 2013

Comentário de HY,

Mas acaso defendi semelhantes aberrações, que não estavam citadas no «post» ou nos comentários? Se quiser dar-se ao trabalho, verá em vários «blogs» que repetidas vezes me insurgi contra tais ... olhe, a melhor qualificação a dar-lhes é que até parecem inimigos do Bruno de Carvalho disfarçados, tão estúpidas eram as suas intervenções. Mas diga-me: o que lhe permite concluir que tais tristes exemplos são representativos da grande maioria dos votantes de Bruno de Carvalho, ou seja, da maioria dos sportinguistas (se aceitarmos que as eleições nos dão uma ideia razoável do universo sportinguista)? Desculpe, mas o que eu me insurgi foi contra a ideia que «hoje o típico apoiante do novo presidente não sabe nada sobre o clube ... etc ...». É contra esta ideia que tresanda neste «post» e nos comentários e que tem subjacente a ideia que há uma elite de verdadeiros sportinguistas que sabem o que é a verdadeira identidade do clube, a sua cultura, os seus valores, e esses estão noutro lado, não apoiam Bruno de Carvalho.

É disso que discordo. O «post» não se referia às tais aberrações, mas sim ao apoiante corrente de Bruno de Carvalho, pretender que sou eu que afirmo que a maioria dos sportinguistas é gente daquele calibre é inverter os dados. Se alguém pensa isso, não sou eu seguramente. Daí a referência à casa de chá que protesta em 2), não frequentar: é que o tom de superioridade ética e até intelectual (já percebi que tem tendência para achar que quem não concorda consigo é vendido ou estúpido) do «post» e de alguns dos comentários é típico de uma certa ... digamos «aristocracia» leonina que se acha incumbida por direito natural de conduzir os destinos do Sporting ... e que nos levou exactamente ao ponto onde estamos. Aliás, já que tanto sabe da Historia do Sporting, deve recordar-se de como até o agora tão celebrado João Rocha quando chegou a Alvalade teve que enfrentar o mesmo tipo de desconfiança, até chacota, da parte da tal «aristocracia».

Entendamo-nos: Bruno de Carvalho não renega uma boa dose de demagogia, nem sempre andou bem no modo como fez oposição, mas representou aos olhos da maioria de sportinguistas o único modo de quebra do poder dos velhos senhores, que tão bem preparados estavam que nos deixaram completamente de tanga. Será que vai conseguir inverter a situação? Não estou seguro. Mas desprezá-lo em nome de uma qualquer superioridade cultural ou ética dos seus opositores parece-me ridículo (subscrevo). Talvez saia um VeA verde, como alguns vaticinam. Mas a esses não parece ter repugnado apoiar gente de curriculum tão prestigioso como Luís Duque, Godinho Lopes ou PPC, cujo cadastro judicial - e até criminal - eu não desejaria para os meus filhos. Se é nesses que residia a defesa da identidade, estamos bem servidos. Aos adversários de Bruno de Carvalho resta agora fazerem aquilo que tanto criticaram nos seus apoiantes, e desancá-lo desde o primeiro minuto porque sim, ou porque não tem pedigree sportinguista por não sair da casta e, ou aguardarem, apoiarem o que for bem feito e criticar o que for mal feito, como eu penso ter feito ao longo dos últimos anos nos limites da minha acção de sportinguista anónimo.

Permita-me, para rematar: eu, que não sou um apoiante do novo presidente, conheço apoiantes do novo presidente que sabem muito mais do clube, por dentro e por fora, do que o que os autores do «post» e dos comentários na mesma linha demonstram conhecer. Quanto aos «activistas» que escrevem imbecilidades como as que citou ... tanto os há de um lado como do outro, infelizmente. Se acha que defender isto é um «hino» reproduzido a partir não sei de que cassete ou demonstração de fraco entendimento, desejo-lhe muitas felicidades. Afinal, como você diz, as pessoas só são obrigadas a dar aquilo que têm ...

3 comentários:

Mauro Silva said...

Sublinho - e subscrevo, principalmente, os últimos dois parágrafos, ideológica e substancialmente. Até pelas (poucas mas incisivas) participações minhas neste blogue, ao nível do comentário...

Saberá você, como eu e outros mais, que foram sendo adjectivados os fiéis subscritores - sim, estou a ser simpático! - de Bruno de Carvalho, como meros animais, inferiores, desinformados, enfim... - não é, quero crer, e assim julgo, o meu caso, apesar de me inserir numa base ideológica que redunda no mesmo apoio.

Concordo - e subscrevo, que grande maioria dos apoiantes extremistas/fanáticos de BdC me/nos mereçam pouco mais ou menos que indiferença. Não concordarei nunca com a generalização não diferenciada, porque as excepções são muitos - acredite-as ou não...

Grande abraço.

Haja Luz said...

Em relação ao comentário que originou o post, com todo o respeito, não me merece grandes considerações, não passa de retórica vazia, aliás no seguimento do mentor da seita.
O que se nota também, é uma tentativa de branqueamento das acções da seita, claramente uma táctica utilizada em política

HY said...

Haja Luz,

Não creio ter tido o prazer de alguma vez ter trocado argumentos consigo. Se o seu modo de avaliar os outros quando não concorda com eles é catalogá-los como pertencentes a qualquer seita e imputar-lhes cavernosas intenções conspiracionistas, gostaria de lhe dizer que hás por aí gente que tenta pensar pela sua própria cabeça e não precisa de pertencerc a qualquer grupo seja ele qual for. Veja lá que em matéria de seitas, desde as minhas experiências políticas e místicas em tenra idade fiquei mais que vacinado e não concebo o mundo a preto e branco. A única "seita" a que me orgulho de pertencer para sempre chama-se Sporting e assim espero continuar até ao fim dos meus dias. Se algumas vez estiver interessado em discutir ideias minhas sobre o nosso clube (espero que não pretenda negar-me o direito de continuar a pertencer ao clube do qual sou sócio há mais de cinquenta anos, tal como os meus pais eram e os meus filhos são, apesar de morar a 2 mil km de Lisboa) terei muito prazer. Senão, passe muito bem (e lembre-se de que não insulta quem quer mas quem pode...)

Post a Comment