No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Ao abrigo do puro, cruel, iluminado, porque branco, antigo, porque verde, inflexível, infatigável, filho de leão, associação, nas visionárias mãos de cândidos, potentes amadores, pioneiros, espírito, nasceu na Lisboa do século passado, ao 6º ano, o Sporting Club de Portugal. Dois anos mais tarde,  ao 8º, nasceria um dos seus muitos filhos: Abrantes Mendes. Olhemos esta personalidade do universo sportinguista, cavaleiro, sem cavalo, atleta de saltos (comprimento), corredor, velocista, futebolista, em regime de avançado, 83 golos «em mais de 130 jogos realizados». Uma máquina. António Abrantes Mendes representou o clube, nos relvados, entre 1925 e 1939, eternizado na galeria dos mais jovens futebolistas a estrear-se na equipa do Sporting Club de Portugal. Tinha na estreia 17 anos de idade e dividia a actividade com os estudos de «Direito». Daí, a alcunha de «avançado-doutor». Campeão regional de salto em comprimento e campeão Nacional de futebol em duas ocasiões, 1933/34, onde participou nos encontros da Associação de futebol de Lisboa (campeonato de Lisboa) e 1935/36, época onde alinhou em encontros da I Divisão, dois títulos de campeão Nacional somados aos 4 (regionais) campeonatos de Lisboa. No total, 14 épocas integrado no plantel do Sporting - outros tempos, verdadeiros, onde o Sporting foi gigante, onde o clube de José Alvalade reinou. Aos outros, rivais, a missão de tentar acompanhar.
Foi ainda técnico em 1945/46, época iniciada como treinador principal [não sei se completa(da)], na qual o clube venceu a taça de Portugal - Cândido de Oliveira era director do futebol. Foi ainda dirigente nas presidências de Joaquim Oliveira Duarte e António da Cunha Rosa, bem como olheiro que 'descobriu' para o Sporting João Martins (nos treinos da CUF), João Martins que seria autor do primeiro golo na história da taça dos clubes campeões Europeus de futebol. Foi também (Abrantes Mendes) secretário técnico na equipa que venceu a taça dos Vencedores das taças em 1963/64. Infatigável, inflexível, exemplar, «avançado-doutor» progenitor de Sérgio Abrantes Mendes, filho que tal como o pai foi jogador (amador) mas ao contrário do pai não foi avançado. Antes, defesa central. Tal como o pai, formar-se-ia em «Direito», tornando-se Juiz, director geral dos serviços Judiciários e inspector geral da Administração do território. No ano do falecimento do pai António, 1988, o filho Sérgio ver-se-ia eleito presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube. Novamente, outros tempos, onde as coisas faziam mais mas sobretudo melhor sentido.
Para bom entendedor meia palavra basta ...

Não trago António Abrantes Mendes ao «blogue» por acaso, já que este modelo de devoção ao sportinguismo está de parabéns, nascido tal como lê o 1º parágrafo, ao 2º ano de vida do clube, há 105 anos, a 5 de Fevereiro.

À sua prezada e honrada herança, o nosso obrigado.

Leave a Reply

Search This Blog