“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

Há um ano, Fevereiro de 2012, Wolfswinkel converteu mas explicámos tin tin por tin tin os motivos para que não deva marcar penalties. O simulacro utilizava cores para definir os campos de análise e olhando a imagem podíamos então perceber o que se passava. Um ano mais tarde, o simulacro ainda existe e o jeito do bom Holandês para marcar penalties permanece o mesmo:

Inexistente.

A culpa no entanto não é do avançado, mas de quem o deixa / manda bater penalties. Os penalties não devem ser batidos por quem precise de golos para aumentar os níveis de confiança, nem por quem precise de golos para aumentar contas pessoais. Tratam-se de momentos de execução. Não são diferentes de livres directos, ou pontapés de canto: devem ser batidos por quem sabe executar.

ps,
O Sporting tem uma muito bela dupla de centrais.

Bola rasteira e perfeitamente defensável que quase sempre garante 50% de sucesso. O simulacro utiliza cores para definir os campos de análise.

Posted on

Friday, 22 February 2013

1 Comment
  1. É. Mesmo quando convertia, era quase sempre rés-vés. Se calhar é ele que marca porque é o único ponta-de-lança. Se calhar porque é preciso aumentar a conta pessoal para o valorizar. Mas também não grandes alternativas neste plantel. Este é apenas mais um dos problemas e não é novo.

    O Liedson era um desastre a marcar grandes penalidades. Sucedeu-lhe o Moutinho, igualmente mau (no porco nunca o puseram a marcar penalties nem cantos, no Sporting nunca se percebia que ele não fazia isso bem. Porquê? Não foi só incompetência, era a falta de opções, problema que o porco não tem). Seguiu-se o Matias Fernandez, que parecia que batia bem, mas depois também começou a falhar muito na fase final.

    O último grande marcador de penalties que vi no Sporting foi o Jardel. Esse quase que o fazia de olhos fechados e o jogo de pés dele não era o melhor dele. É tudo uma questão de confiança e de qualidade. A falta de qualidade e opções reflecte-se aqui também.

    ReplyDelete

Search This Blog