No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Džajić, Dragan Džajić.

A lista de futebolistas ímpares nascidos na ex Jugoslávia é infinita. Recorde Zvonimir Boban, Dejan Savićević, Siniša Mihajlović ou um dos meus grandes heróis, o 3º ou 4º melhor futebolista de todos os tempos, Dragan Stojković. E outros: Mijatović, Davor Šuker, former FC Barcelona, Robert Prosinečki. A lista não tem fim. Claro, Simon Vukčević foi apenas o último de uma longa geração de guerreiros Eslavos a honrar a tradição futebolística da região.

Imagine agora que acima de alguns destes a UEFA elege como o melhor futebolista Sérvio dos últimos 50 anos Dragan Džajić. Por aqui pode imaginar a valia de quem falamos. Chega à primeira equipa do mítico Estrela Vermelha de Belgrado com 17 anos. Aos 18 é já internacional pela Yugoslavia. Aos 22 representa uma 'equipa do mundo' / selecção FIFA. Aos 22 vence a Inglaterra na meia-final do campeonato da Europa de 1968.

Perdendo a final frente à anfitriã, Itália.

Aos 25 vê-se com brutalidade massacrado pelos defesas contrários. Um guarda-redes parte-lhe uma perna. Aos 26 cumpre serviço militar no exército Jugoslavo, desperdiçando 15 meses de carreira em sessões de masturbação nas casernas. Aos 27, acabado de sair da tropa, leva a sua selecção ao campeonato do mundo de 1974 jogado na Alemanha Ocidental. Ainda é o melhor jogador da equipa. Aos 44, leu bem, conquista a taça dos clubes campeões Europeus ao serviço do Estrela Vermelha de Belgrado, 'ao lado' de Prosinečki, Mihajlović, Savićević e Vladimir Jugović.

Foi em 1991, na final frente ao Olympique Marseille de Jean Pierre Papin e ... Dragan Stojković (porque raio tinhas de estar do outro lado?).

Uma lenda.
D. Džajić, 30/05/1946

Dele disse um dia Pelé, é um milagre dos Balcãs – um mago. Sinto pena que não seja Brasileiro pois nunca vi futebolista com um talento tão natural.

Uma história incrível de glória, dor, masturbação, longevidade, títulos, reconhecimento e imortalidade. Uma lenda, com Camacho.

Posted on

Thursday, 10 January 2013

9 Comments
  1. Não percebi a parte em que dizes que ele aos 44 anos de idade conquistou a Taça dos Campeões Europeus.

    ReplyDelete
  2. Tiago, era um dos principais responsáveis da equipa, tão importante como os jogadores. De forma profética disse que o Red Star venceria quando jogasse em Munique com o todo-poderoso Bayern. E venceu, 1-2, única vez na sua história. Em Belgrado num jogo épico empataram a 2-2. Essa foi a meia-final no ano em que rebentou a guerra onde a Jugoslávia seria por isso afastada do Europeu de 1992.
    Eles jogavam todos no Estrela Vermelha: Mihajlović, Jugović, Prosinečki e Savićević.

    Dragan Stojković jogava no lado que perdeu a final, Marselha, com Papin e Carlos Mozer (Benfica).

    Mas 2 anos antes ainda estava com eles (Stojković), no Estrela Vermelha. Era o capitão de equipa. Caíram frente à melhor equipa do mundo na altura: Milan de Sacchi, Van Basten, Gullit e Rijkaard. Outro embate épico: Stojković calou San Siro e o Estrela veio de lá com um empate a 1-1. Na 2ª mão com 100.000 adeptos em Belgrado o Milan devolveria o empate e ganharia nos penalties. Mas foi uma vitória duvidosa: o jogo teve de ser repetido numa altura em que os da casa venciam por 1-0, com um golo de Savićević. O árbitro parou a partida a meio da 2ª parte com a justificação de nevoeiro e o jogo repetiu-se no dia seguinte começando com 0-0 ... o Milan marcou primeiro (Van Basten), Stojković empatou e foram então para penalties. Já em 1968 na final do Europeu frente à Itália que a Jugoslávia perdeu para a equipa da casa, o árbitro tinha tido um papel preponderante, pela negativa. Dragan Džajić disse sobre a final que «o árbitro Dienst foi o 12ª jogador Azzurri, sem a sua ajuda a Itália não teria ganho». Foi também uma final que teve de ser repetida.

    ReplyDelete
  3. Ok, é que pela forma como dás ênfase à idade dele nessa altura parecia que tinha jogado.

    ReplyDelete
  4. ... e jogou, a taça é tanto dele como de todos os jogadores. Merecidamente.

    ReplyDelete
  5. Tens de ver o vídeo no post em baixo, diz lá, a partir dos 15m:10s. A taça que naquele segundo aparece na imagem é dele. É a taça dos campeões Europeus.

    ReplyDelete
  6. Bolas, é muito complicado falar contigo, vives numa dimensão diferente. Mas se calhar essa é umas das razões porque este é dos meus blogs preferidos :)

    ReplyDelete
  7. ahahahahah ganda comentário do Tiago!

    ReplyDelete
  8. Tiago, não sei que responder. E tive mais de um dia para pensar. Um abraço e obrigado pela generosidade implícita nas palavras.

    ReplyDelete

Search This Blog