Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Tu, eu, Mourinho, o Sporting Club de Portugal e os nossos irmãos

Saturday, 26 January 2013



O que terá o título do "post" em comum connosco? Qual será o interesse para os nossos leitores das nossas (minhas e tuas, coisas íntimas [salvo seja])?

O melhor "post" deste "blog" é aquele que falas do peruano, da camisola emoldurada e do teu mano. Sabes que ouvi essa história contada, com vinho tinto, com palavras entusiasmadas, com fotografias cúmplices nas paredes, ao ouvir-nos, e com o sorriso sábio e irónico de teu pai que ia colocando água benta (de Belém, do Belém) no nosso entusiasmo, sorrindo complacente e propondo mais um jarro, talvez. Fantástico jantar, fantástico ambiente, fantástica conversa e um dia muito especial (acredita que me comovi quando li aquela história já por mim sabida), fantástico (não estou muito diversificado nos adjectivos) mano velho, "amazing" mano mais novo.

Agora, perguntas-me: Tu e eu, porquê?

Tu... porque és uma pessoa especial, mas mais que um "special one" à Mourinho, és (e bem) um "group one" à André Villas-Boas.
Eu, porque sou um pára-quedista aqui, orgulhoso por ter sido escolhido, mas consciente que sou uma espécie de complemento preguiçoso, desinformado e com pouca paciência para discutir o "rame-rame" jornalístico/ideológico da suposta disputa entre Godinho Lopes vs. o, putativo, Bruno de Carvalho.

Já falei de nós, umas palavras, umas frases, agora, sobre Mourinho.

Vejamos em breves pinceladas a carreira de José Mário dos Santos M. Félix, o Zé Mourinho que completa hoje cinquenta anos:

- Benfica, não ganha nada, é despedido depois de chantagear o presidente Manuel Vilarinho.

- União de Leiria, não ganha nada, a não ser a inimizade de Manuel José que terá proferido a célebre frase: "Se o Mourinho pensa que o futebol é uma selva e ele é o Tarzan, está muito enganado".

- Porto, conquista o único título nunca antes conquistado por uma equipa por ele treinada; a Taça UEFA.

- Chelsea, talvez, o primeiro grande fracasso da carreira. É contratado como campeão europeu, e nas várias épocas ao serviço dos londrinos não consegue sequer conduzi-los a uma final europeia. Grant fá-lo em meia época e Villas-Boas e Di Matteo são campeões europeus na primeira época ao serviço dos "leões azuis".

- Inter, recebe uma equipa vencedora (preparada por Mancini) e consegue os serviços mínimos. O Inter é um grande clube europeu que já conquistou duas "Champions" consecutivas, 1963/1964 e 1964/1965, frente ao Real Madrid e ao Benfica, respectivamente, um desafio à altura do Zé, seria vencer três "Champions" consecutivas ao serviço do Inter.

- Real Madrid, vai conquistando um títulozito por época, vendo a equipa da cidade condal cobrir-se de glória e jogar o melhor futebol de sempre.

No título do "post" falei dos nossos irmãos, meu irmão mais velho é, também, benfiquista e completou cinquenta anos neste Janeiro, o que mostra que o tempo vai passando mas nem todos sabem escolher um verdadeiro "club", um clube de pessoas sérias com conduta irrepreensível.

Termino com um frase do aniversariante de hoje sobre o nosso actual treinador: "Jesualdo Ferreira é como um burro que nunca chegou a cavalo"... parabéns, José, vai continuando a zurrar em Madrid que, brevemente, irás escocinhar para outro lado.

2 comentários:

MM said...

Pedro, duma coisa pouco importante para duas com muita importância.

1 - José Mourinho não tendo uma grande ligação ao Sporting, se a tivesse tido, seria um dos meus heróis ... infelizmente, quis o Sporting, deixou obra noutro local. Parabéns ao treinador (Desconhecia o que em dissera de Jesualdo. Palavras à Mourinho, enfim).

2 - Não existem complementos e se tanto, se recordas, este «blogue» só não findou actividade por causa de ti. Não existe também rame-rame porque o que existe serve outro propósito. Desimportâncias do dia-a-dia, essas sim, são conteúdos suplementares: falamos do Sporting Clube de Portugal e só raramente dos seus representantes institucionais, porque o Sporting é mais importante do que todos eles e do que nós, embora alguns deles e alguns de nós por algum motivo estranho se tenham em demasiada conta.

3 - Não sou amazing nem especial. Já os meus amigos são-no, todos, onde a família inclui-se porque são uma e a mesma coisa, pessoas que admiramos e o mais importante que existe (Parabéns atrasados ao teu irmão. Que mais logo seja feliz, nalgumas ocasiões temos de torcer pelo inimigo e este é um desses dias). Nem relacionado ao «post» de ontem, as paredes dão significado ao pequeno sítio onde jantámos porque são forradas pelos nossos heróis, esmagadora maioria dum tempo passado. São também ao nível de Sporting o mais importante que existe - atletas, jogadores e treinadores. O clube sem eles seria uma entidade vazia já que pela sua acção contribuindo para a felicidade do Sporting contribuem, por arrasto, para a nossa. Entre as paredes que não falando contam-nos coisas, e as vozes, o maior significado esteve sentado à mesa: dois amigos sobre os quais versas no «post», o meu pai e tu. Nada é mais importante que a amizade e as maiores qualidades que alguém pode cultivar serão sempre as humanas - tudo o resto é suplemento e aborrecido. Um abraço grande Pedro, e obrigado pelas palavras.

manuel marques Arroz said...

Mas que grande coice.

Abraço.

Post a Comment