Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

A sagrada trindade e 2 desfechos muito diferentes

Tuesday, 22 January 2013

The (Manchester) United Trinity, 3 «Red Devils» que no relvado do José Alvalade, comandados por Sir Matt Busby, viram o Sporting demoli-los por 5-0 em Março de 1964, jogo que fez o mundo tremer rendido à classe da melhor equipa de futebol da Europa naquele ano. George, Denis e Bobby:
Esta belíssima estátua, como em Alvalade deveriam estar 4 ou 5 de atletas do Sporting, eterniza a 1ª conquista Europeia do Manchester United. Viu-se erguida em 29 de Maio de 2008, passados exactamente 40 anos sobre a tarde onde Best, Law e Charlton esmagaram o Benfica no Wembley, em 29 de Maio de 1968.

Em Março de 1964, em Lisboa, o M. United viu-se despedaçado às garras e ao rugir de um clube mentalizado para ganhar, trilhando o Sporting Clube de Portugal o caminho rumo ao título Europeu alcançado nessa época. Em Maio de 1968, frente ao Benfica, a história foi muito diferente, marcada pela goleada que os campeões Ingleses impuseram à turma de Eusébio, Simões, Coluna, Augusto e Otto Glória (treinador). Por que motivo conheceram os 2 jogos desfechos tão diferentes? No primeiro houve Sporting. No segundo, não houve.

14 comentários:

HY said...

Muito mais significativos do que os 4-1 mencionados foram os 1-5 que a santa trindade impôs ao SLB na Luz um ou dois anos depois do naufrágio em Alvalade. Até o golo dos da casa foi marcado por um defesa mancuniano na própria baliza...

MM said...

Desconheço HY. A estátua foi erguida para celebrar a 1ª vitória Europeia, curiosamente 1 semana depois da última: a final de 21 de Maio, em Moscovo, também em 2008.

HY said...

Pois, os Benfas manipulam bem a história. Tinham perdido 3-2 em Manchester e estavam convencidos da coisa, até pelo que o Sporting tinha feito 1 ou 2 anos antes. O Best pintou a manta, levaram 5 e lá houve um defesa dos united que lhes deu um golito. Mas eles enterraram bem isso, ninguém fala no caso

Bicadas de Aguia said...

HY deves viver num universo
á parte... Aconselho-te que tentes achar o livro Sport Europa e Benfica. ai verás jogos que deixaram marca no Benfica e entre eles algumas derrotas claro, pois não escondemos as feridas.
Esse 1-5 está lá, como uns 5-0 que levámos do Dortmund ou os famosos 7-0 em Vigo.

Paulo Jorge Martins said...

Caro MM,

A si só tenho uma pergunta a fazer: já viu a final de 1968?

Pode ler a minha análise aqui: http://farmacia-franco.blogspot.pt/2011/03/o-ultimo-jogo-que-vi-o-futebol-do-sl.html

Perder no prolongamento não é "ser esmagado". Perder uma final europeia não é vergonha nenhuma, especialmente quando se trata da principal prova, aquela onde vão os melhores. Sabe que nessa competição o melhor que o Sporting CP conseguiu foi atingir UMA vez os quartos de final e foi eliminado por um clube sem grande expressão europeia, a Real Sociedad como bem sabe. Nesse ano o Widzew Lodz atingiu as meias finais, algo que o Sporting CP NUNCA conseguiu. Portanto, não fale das finais europeias do SL Benfica como se fossem uma vergonha (quando elas até foram disputadas com muito brio).

HY, "manipulam a história", "enterram bem isso", do que fala??? Certamente, não tem lido livros sobre a história do SL Benfica. Como é que se camuflam resultados da TCCE?

MM said...

Gostei muito de ler. O M. United em 68 jogava com libero + 3 defesas quando não tinha a bola. Libero + 2 quando tinha já que 1 dos defesas subia para fazer 4 no meio-campo. Onde foi buscar a táctica das duas equipas? Somente Benfica jogava com 4 defesas típicos, linha que não se desfazia. Nunca vi o jogo mas duvido também que o Benfica tivesse sido superior, como diz o «post». As equipas Inglesas eram tacticamente mais evoluídas e jogavam sempre em 'superioridade' numérica. Se tanto - não sei - o Benfica tinha melhores jogadores mas não tinha mais jogo.

Quanto ao que diz sobre Sporting ou «vergonha» não creio que tivesse lido algum entendimento meu de que o Benfica foi envergonhado. O Sporting é que sai valorizado: 5-0 à equipa de Matt Busby, em construção é verdade - estava em curva crescente desde a 'reconstrução' pós desastre de Munique - mas era o Manchester de Matt Busby e alguns dos maiores nomes na história do jogo que em 66 foram campeões do mundo (selecção) e em 68 campeões da Europa (clubes). Dunne, Foulkes, Charlton, Best e Law, demolidos por 5-0. Foi um feito do tamanho do mundo tal como se hoje alguma equipa Portuguesa espetasse 3 ou 4 golos sem resposta no Real, Barcelona ou Milan. Impensável.

O Benfica foi esmagado, sim.
Resultado anormal foi o de 1964 porque do outro lado esteve uma equipa que naquele dia estava destinada a fazer história. Leia toda a preparação do Sporting para o jogo e o papel que os dois treinadores do Sporting nele tiveram: aquele resultado não foi fruto do acaso.

Obrigado pelo «link», gostei imenso de ler o que escreveu sobre o jogo (gostei especialmente da parte que versa sobre a violência de alguns jogadores Ingleses durante o jogo).

Paulo Jorge Martins said...

No meu post não digo que o Benfica foi superior.

Paulo Jorge Martins said...

A táctica não está correcta para nenhuma equipa, foi o que encontrei para colocar no post.

HY said...

Não tinha qualquer intenção hostil ao SLB, era tudo humor. Apenas queria sublinhar que se humilhação houve não foi na final - perder no prolongamento não pode nunca ser vergonhoso - mas sin naquele jogo na Luz!, ao contrario do que frequentemente se diz (MM nem sabia desse jogo). Não se sintam ofendidos, porque a principal intenção era tirar a carga negativa ao resultado da final (que eu vi em directo e lembro-me, embora mal, que o SLB a podia ter ganho, não foi um banho, foi apenas a quebra física e anímica no prolongamento que justificou o desnível no marcador.

De resto, peço perdão por não conhecer as obras que mencionam, mas a verdade é que pouca gente sabe dos momentos mais negativos do vosso glorioso.pese as referidas obras.

MM said...

HY, subscrevo. Da minha parte o propósito não foi, igualmente, gozar com o Benfica, mas falar da estátua e dos 5-0 porque os 3 jogadores estiveram em Alvalade. A parte que subscrevo é não ser nenhuma vergonha perder por 1-4 numa final Europeia (embora o resultado seja de goleada) e que mais 'humilhante' é perder em casa pelos 1-5 que referiu. Por ser em casa, lógico. Humilhante entre aspas porque considerado o adversário enfim ... o M. United ao longo da sua história já fez 5 golos em centenas (senão milhares) de jogos, frente aos mesmos ou diferentes adversários. Entre-portas ou além-fronteiras, com ou sem Bobby Charlton. E sim, confirmo igualmente que esse resultado é muito pouco conhecido. Não porque eu não o conhecesse - e não conhecia - mas porque consigo imaginar isso mesmo: ser um resultado pouco conhecido (até entre benfiquistas).

Bicadas de Aguia said...

HY, falar com alguém assim dá gosto.
Na verdade olha que acho que muita gente sabe, os 7-0 de Vigo e os 7-1 de Alvalade devem ser dos resultados mais conhecidos de derrotas dos 3 grandes.
Ah, o problema nos 1-5 em casa não foi o Bobby Charlton mas um sacana puto de 19 anos chamado George Best...

Bicadas de Aguia said...

Que apanhou pela frente um Germano de 34 anos... e ai foi o principal problema para a defesa do Benfica

HY said...

Bicada de Águia, olhe que pelo nosso lado, os 5+7 do Bayern também têm muito saída :-)
Mas quem Se lembra dos 5 em Budapeste (vasas) ou en Glasgow (Celtic) ou dos 6-1 em Glasgow (hibernians)?

É verdade que o puto pintou a manta...como o fez o Cruifj uns Anos depois e tinha feito o Pelé antes ( desses 2-5, creio, com o Santos, li uma vez alguém que dizia dele no france-football "eu vi o diabo jogar à bola, uma noite no estádio da Luz"). O curioso é que os grandes desastres caseiros das águias aconteceram depois de excelentes resultados fora...)

Cada um com a sua cruz

HY said...

Correção: o hibernians é de Edimburgo

Post a Comment