“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

Ao contrário do que julga Eduardo Barroso, no futebol sobrevivem legiões de «tipos desprezíveis». E poucas equipas que não saibam lidar com eles. Tal como no episódio da maçã podre, cuja extirpação teve os estupendos resultados que conhecemos, o erro está no raciocínio. Caso alinhe minutos que se vejam no FC Porto, Izmailov será, antes de qualquer outra coisa, alguém que uma equipa não punha a jogar e outra põe ... na melhor das hipóteses, ficará oficializado que há clubes capazes de motivar «tipos desprezíveis» a mexer-se e outros que não conseguem fazer nada deles.

É só mesmo isto e o mais são conversas de chouriços: PMAG's ou outros, porque tontos há muitos. Além do que escreve José M. Ribeiro, porquê o FCP como destino? Quem obriga o Sporting a colocar Izmailov ou qualquer outro jogador no FCP? Ninguém. Tratam-se de operações de aleijados mentais ou de gente desonesta. À falta de uma explicação clara para este negócio não podem os dirigentes do Sporting esperar que os seus adeptos rejeitem interesses pouco claros como motivação para decisões tão disparatadas. João Moutinho foi, para todos os efeitos, ontem.

Boa sorte a Izmailov na nova etapa da sua carreira. Merece todo o sucesso que puder encontrar já que no que à saída do Sporting respeita, é de longe a parte menos 'importante' entre todas.

Não são os jogadores que determinam e passam atestados de (in)disponibilidade física. É o clube.

Posted on

Sunday, 13 January 2013

Leave a Reply

Search This Blog