“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

De Atalanta a Antuérpia (Duerne), com passagens por Barcelona, Lisboa, Manchester, Lyon, Madrid e Bruxelas (Heysel). Este é o programa oficial do jogo em Bruxelas, estádio do Heysel, empate a 3 com o último dos golos apontado por Figueiredo a 9 minutos do fim, altura em que o Sporting havia estado a vencer mas perdia por 2-3.

Dois dias depois, no Duerne, 1 golo eternizaria a classe de 1963/64.

Nas palavras do «mestre», Artur Agostinho, ao vivo e a cores na rádio, Figueiredo corre para a linha, vai centrar contra o corpo do adversário e sai a bola pela linha final, é pontapé da canto, pontapé de canto favorável ao Sporting, vai agora marcar Morais do lado esquerdo, Morais tem a bola no 1/4 círculo, prepara-se para bater na direcção da baliza de Kovalik, a bola vai partir, partiu, com boa conta para a baliza, golo, golo, golo, golo do Sporting.

A terra estremeceu e verde se tornou, um golo só bastou, gritou a multidão em ovação

Posted on

Wednesday, 19 December 2012

Leave a Reply

Search This Blog