Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Patifes e homens honrados

Friday, 28 September 2012



Há muitos que insistem em chamar-lhe a «Mão de Deus». Para Sir Bobby Robson foi a mão de um patife que afastou a Inglaterra. Há muitos que desvalorizam o lance mas foi a mão de um patife, vestido de amarelo, que impediu o Sporting de Paulo Bento de ser campeão nacional.
Há muitos patifes no futebol mas, felizmente, ainda existem futebolistas honrados ... Miroslav Klose.

1 comentários:

MM said...

Futebolistas que são bons profissionais e leais existem muitos. Já os exemplos de quem vá mais além como Klose fez são infelizmente bem raros. Recordo Robbie Fowler que no Liverpool disse ao árbitro para voltar atrás num lance onde apitou um penalty inexistente sobre o próprio. Claro ... não são precisos jogadores honrados para não apontar golos com a mão ou simular faltas sofridas, teatros ou grandes penalidades que punam os adversários. Bastaria que fossem leais: não foi o caso do jogador do Paços, ou da equipa Portuguesa que chegou a uma final Europeia apontando também um golo com a mão.

O Sporting teve e tem felizmente um enorme futebolista que era e é um exemplo de lealdade, decência, categoria e integridade: Manuel Fernandes.

Post a Comment