Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Uma lenda, simplesmente Eusébio.

Tuesday, 10 July 2012

Não tenho por hábito consultar a edição online do Record ou de qualquer outro diário desportivo. Apercebo-me, no entanto, nos últimos tempos, dum padrão de notícias que relata os sucessivos internamentos ou hospitalizações de Eusébio. Tratando-se dum padrão preocupante, entendo deixar-lhe nesta altura um abraço. De Eusébio guardo o privilégio de com ele ter privado em pelo menos 4 ou 5 momentos, pelos meus 6, 7, 8, 9 ou 10 anos de idade, numa altura em que vivíamos na Rua das Mercês, na Ajuda, e numa altura em que o Eusébio frequentava assiduamente um restaurante no Largo da Paz e fazia parte dum círculo de amigos juntamente com o dono do estabelecimento, António, a sua esposa Elvira e o meu pai, enquanto amigo de copos - nada que se relacionasse com futebol. Recordo alguém que sempre nos tratou bem (a mim e ao meu irmão) e recordo também numa ocasião ter por lá visto Pietra. Não são boas nem más recordações já que era novo demais para dar importância, e não me lembro daquelas pessoas manifestarem por gestos, ou por palavras, alguma coisa que me cativasse a atenção, ao contrário do que acontecia, por exemplo, com um ex-jogador d' «os Belenenses» do qual, esse sim, guardo carinhosas saudades, alguém que não fazendo parte do círculo falado foi já um (sem aspas) genuíno amigo que o meu pai teve.

Falarei em breve sobre o Sambinha.
(algo para ser feito e que não foi esquecido)
Seja como for, pretendia deixar um abraço ao Eusébio e fazer votos para que a sua condição regresse à normalidade o mais rapidamente possível. Se a par da fama ou da imagem sobre si durante largas décadas cultivada nunca se aproximou, por um lado, dos impressionantes números de Cristiano Ronaldo ou sequer da projecção internacional de Luís Figo, Eusébio permanece seguramente o mais importante futebolista Português e o símbolo maior, até hoje, do Sport Lisboa e Benfica.

Sporting Clube de Lourenço Marques, Benfica, Boston Minutemen, Indianapolis Daredevils, Monterrey, Toronto Metros-Croatia, Beira-Mar, Las Vegas Quicksilvers, União de Tomar e New Jersey Americans. Ballon d'Or numa ocasião, Bota de Ouro Europeia em duas. A última, alcançada com 31 anos de idade, feito de todo o modo admirável.

À «Rute», expressão [feia, mas eficaz] utilizada pelos diligentes emissários do Benfica para ocultar a identidade do jogador nas suas comunicações telefónicas e telegráficas, à «Pantera Negra», ou melhor, muito melhor, simplesmente Eusébio, o meu reconhecimento e admiração.

Uma lenda.

1 comentários:

pedro oliveira said...

Muito bem, MM.
Como já escreveste aqui (a propósito da morte dum político) o mais importante são as pessoas.
Há aqueles para quem a vida só faz sentido num clima de guerra permanente, quem não é por mim é contra mim, mas vou tendo cada vez menos paciência para esses.
Para Eusébio os meus desejos dum restabelecimento tão rápido e duradouro quanto possível, para ti um grande abraço.

Post a Comment