Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Esfregando as vistas, olhando o mundo

Monday, 23 July 2012



Acordo, bocejo, abro a janela. Da minha janela vejo o mundo, um risco de casas brancas e um pinhal muito verde atrás.
Desço a colina e delicio-me com o nevoeiro que beija as verdes águas do Tejo, na outra margem vejo os verdes campos de Mont' Alvo.
Espero pelo semáforo verde e atravesso o Tejo cavalgando as onze lombas ladeadas de vermelho que atrapalham e atrasam a vida a quem passa a ponte.
Já na outra margem entro na papelaria Almourol (letras verdes em fundo branco) dois dedos de conversa e jornais levados pela mão.
Saio da papelaria entro na porta verde do Zig-Zag, um sorriso, um café (chávena branca, pacote de açucar verde) e meia torrada.
Mais tarde (agora) oiço na rádio: "de mãos nos bolsos e de olhar distante/ jeito de marinheiro ou de soldado/ era um rapaz de camisola verde/ negra madeixa ao vento" olho a branca Constância reflectida nas verdes águas do Zêzere e penso.
Penso que se calhar foi Deus, foi Ele que pintou a beleza de verde e branco mas foi o Homem, é o Homem que no seu livre arbítrio pinta a esperança de verde.

3 comentários:

pedro oliveira said...

Caro anónimo das 15H30 e das 15H36,

O lixo não é patético, é o desperdício,o excedente duma sociedade consumista.
Nestes tempos, infelizmente, muitos têm de procurar alimento no lixo, parece ser o seu caso.
Nesse sentido o que para uns é lixo para outros é alimento ou até arte.
Quanto ao Mundinho limitado, concordo, preferia a Gerusa,sempre achei o bigodinho do Mundinho ridículo.
Quanto ao meu texto, embora não tenha gostado,volte sempre e comente,quem sabe se com críticas tão construtrivas e pertinentes não aprendo a escrever e tal como o Jorge, a criar os meus Mundinhos e as minhas Gerusas.

Tite said...

Caro Pedro,

Eu gostei e muito. Dias de dérby é dia de nervoseira mas verde é o que vemos mais no mundo que nos rodeia. Vivendo no Oeste, quando saio para algum lado, após dias de chuva e de cultivo de couvais, o que mais se vê é verde e isso inspira-nos no mais profundo do nosso ser.
Viva o Verde!
Viva o Sporting!

(o resto é conversa para anónimo se entreter)

pedro oliveira said...

Cara Tite,

Este nem era um «post» sobre futebol (nem me lembrei que havia jogo,eh,eh,eh).
Era e é um «post» sobre a beleza do mundo, o verde dos rios, das árvores,o branco do nevoeiro e das casas.
Que culpa tenho eu se a beleza é verde e branca?

Beijinho, Tite e que seja um jogo digno e justo, logo.

MM, o verde é a cor da esperança,lá está.
Grande abraço,SL.

Post a Comment