“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

Ultrapassa-me a aversão que alguns, ou muitos, sentem pelo Liedson. A adversária compreendi sempre. A dos seus adeptos, nunca. Na notícia que aventa a possibilidade do seu regresso, e subsequente aversão despoletada, não creio que esta se resuma à sua idade ou à perspectiva que o seu contributo prejudicará as carreiras no Sporting de Wolfswinkel e Rubio.

São estigmas, ou preconceitos, para não lhe chamar xenofobia.
O futebol dá para tudo e recordo o que muito que se disse sobre a sua naturalização.

Liedson, como afirmou Manuel Fernandes mais de 10 ou 15 vezes, é só um dos melhores avançados na história do Sporting e se existem por um lado muitos bons jogadores constantemente prejudicados pela (em si esgotada) importância dada aos golos - para os avançados, Deivid, Carlos Saleiro, Lourenço, Kutuzov, belíssimos jogadores e exemplos que recordo, ou a capacidade (para defesas) de dar marretadas na bola de cabeça, no caso de Liedson este ridículo chega ao curioso ponto de numa inversão do fenómeno pegar-se numa (porque tem muitas) das suas boas características - fazer golos - para rotulá-lo de mau jogador, quando não só é um belíssimo jogador e um avançado com imensa qualidade, como fá-los. Não conheço muitos avançados no campeonato Português capazes do mesmo. Alguém conhece?

Não é um jogador indispensável, caso existam, nem é muito importante a sua contratação (caso esteja em cima da mesa), mas daqui a tratá-lo como persona non grata é no mínimo parvo. Trata-se de um jogador com um passado desportivo de sucesso no clube, tratando-se também de uma hipotética contratação sem risco porque já o conhecemos, sabemos que é bom.

Tese, o Sporting tem 2 avançados muito jovens.

Um sabemos que é mais ou menos bom - Wolfswinkel. Outro não sei se é bom - Rubio, mas tem a fama ou crédito. Neste cenário, caso o clube entenda precisar de reforçar-se, perceberia o regresso de Liedson como uma excelente notícia por se tratar também de um atleta em fim de carreira cujo contributo poderia ser facilmente percebido como complementar. Um, dois anos, e porque não no fim deles permanecer inclusivamente ligado ao Sporting.

Não sirva a mensagem para insinuar que o sucesso da próxima / próximas épocas está dependente de Liedson, porque não está, mas sirva como declaração de pouca aceitação para uma falta de reconhecimento que Liedson não merece. Foram 8 anos de uma relação muito boa, preenchida por inúmeras boas memórias, mantida com um jogador que foi sempre leal e dedicado ao Sporting. Num futebol cheio de milhões, entradas, saídas, trocas, negócios, onde é difícil somar referências, Liedson é sem dúvida um dos seus (Sporting). Aos seus, nunca a porta se deverá ver fechada.

Escapa-te reconhecimento, 31

Posted on

Thursday, 19 July 2012

Category

,

5 Comments
  1. Estive a ler com atenção o que disseste e dou-te razão.
    Acrescento um pormenor Liedson começou a carreira no futebol com 22 anos, está com 34, logo tem 12 anos de treinos e desgaste competitivo; qualquer miúdo que comece a jogar futebol aos 10 anos (e cada vez começam mais cedo, nas escolinhas, com 4/5 anos) com 22 anos já atingiu os tais 12 anos de treino que Liedson tem agora.
    Seria uma mais valia?
    Acho que sim, Liedson é agora um jogador diferente, motivado pela conquista dum campeonato e da "Libertadores" e poderia se muito útil como complemento a Wolfs, jogando livre nas costas do ponta de lança, num sistema de 433 ou como segundo avançado em 442.

    ReplyDelete
  2. Pedro, duas das características que mais aprecio no Liedson são a humildade e inteligência. Nunca o vimos deslumbrar-se, perder-se por entrevistas ou círculos de "fama", tirar o pé do acelerador dentro do campo, ser maldoso com um colega (embora tivesse sido com um treinador, único episódio que mancha a sua passagem pelo Sporting), gastar tempo em quezílias com os adversários ou outras do género. Muito importante: não o vimos render-se ao dinheiro acenado a partir de Corunha (ou outros lugares), quando teve a oportunidade. Ia para dentro do campo e fazia o seu trabalho, e na semana seguinte voltava a repetir e assim por diante. Um profissional excelente (como é (como exemplo) o Cristiano Ronaldo) - trabalham, podemos ou não gostar deles, mas vivem primeiro para o jogo e só depois para os rendimentos do jogo, quando no caso do Liedson o trabalho foi muito mais do que golos: as defesas temiam-no não pelos golos que apontava mas porque sozinho mantinha 2 ou 3 adversários ocupados, fazendo frequentemene gato sapato deles. O Liedson é o típico jogador (ou um dos) que mais medo mete a um defesa: um perfil técnico muito bom, instinto, e uma fisionomia que permite-lhe sair de qualquer buraco com facilidade. O Luisão não foi o único defesa que humilhou 10 ou 15 vezes, mas inúmeros, de várias equipas. Outra ideia separada desta: com 34 anos nem o Liedson esperaria (falamos hipoteticamente, não querendo transmitir a ideia de ser um assunto urgente ou o Sporting precisar desesperadamente dele ou qualquer outro avançado), mas com 34 anos nem ele esperaria jogar sempre ou ser uma primeira escolha. Agora, entre Liedson ou Bojinov / Ribas ou outro como o Ribas / até o Rubio que não está preparado para o nível de exigência de uma equipa como o Sporting, quantos problemas resolveria melhor o Liedson comparativamente aos 3 mencionados?, em 15 jogos de 60 que o Sporting faz por época, jogos complicados, em alturas complicadas de castigos ou lesões (até nisso ele é bom, raramente se lesiona), ou outros. É uma garantia, uma contratação sem risco, e seria o regresso de alguém que marcou positivamente o Sporting. Ainda outra coisa: li por aí que é um jogador caro. Não é. Se as coisas forem bem conversadas e for feito perceber ao Liedson o plano em que iria inserir-se (solução que complementaria outras), e claro se quiser (ele) regressar a casa, tenho a certeza que entenderia a necessidade de ser enquadrado num escalão diferente de vencimentos relativamente à anterior passagem pelo clube. E outra ideia, ainda: quantas vezes zangou-se o Sá Pinto com gentes do clube? Inúmeras. Muitas mais que o Liedson. Significou alguma coisa de inultrapassável na hora de regressar?, quando regressou mais do que 2 ou 3 vezes? Não, porque existe uma ligação emocional fortíssima connosco e com o clube, laço que nunca se desfaz, e também porque quando as pessoas querem (eles lá dentro), entendem-se. Serve isto para dizer que os hipotéticos problemas entre Sá Pinto e Liedson não seriam (julgo) impedimento para o seu regresso. Mas é tudo hipotético. Se o Sporting preferir gastar mais 4 ou 5 milhões de euros num avançado (Bojinov) ou tentar um outro a "custo zero" (Ribas), não é necessariamente uma má solução: desde que acerte com a qualidade do jogador. Claro, com jogadores que não se conhece há sempre o risco de não correr bem. O Liedson, já o conhecemos, e como dizes aos 34 anos de certeza que permanece um belíssimo futebolista.

    ReplyDelete
  3. está visto que vocês gostam mesmo, é de confusão

    agora que o Átila acabou a pintura dos mastros

    se demitiu para esconder a sua própria incapacidade nas lides da corrupção

    e os seus (dele!) hunos andam sossegadinhos ...

    sem vandalizar ou incendiar nada, nem um simples apedrejamento

    vocês querem arranjar um novo 31 ao 'sopapos'?

    ReplyDelete
  4. Tobias, assim parece não é? Faz parte da cultura do futebol ou está em quase todos enraizada a noção de que é necessário mexer. E é, às vezes. Pergunte a Sir Alex se sente incómodo por recrutar um jogador que já conhece (do seu ou outro clube) aos 34 anos de idade. Só isso, justamente o contrário da confusão que refere: fazer as coisas com o mínimo de invenção possível. O Liedson está ou estava livre ao alcance de uma simples assinatura. Não é necessário pagar nada a ninguém (só ao próprio), reunir com empresários ou agentes, falar com clubes ou gastar muitos recursos para tratar disto.

    Não significa que irá jogar sempre, não significa que terá o mesmo estatuto que teve no passado, mas significa um regresso a casa de alguém que pode e está em condições de ajudar, contribuir, ser novamente decisivo. Sem risco. O ponto é este: sabemos o que está ali.

    Agora claro, não tem o encanto de uma contratação de 5 milhões de euros de um jogador vindo do Calcio. O problema é que o sujeito que custa 5 milhões e vem do Calcio, por norma, em Alvalade, acrescenta muito pouco.

    ReplyDelete
  5. MM

    não coloco em causa nada do que diz, ou os valores (pessoal e no futebol) e os interesses sejam eles quais forem, do Lied$on

    nem tampouco o seu (dele!) $portingui$mo (ao nível do Benfiqui$mo do Lui$ão) que o poderia levar a um bom e fácil acordo, com vantagens para os dois lados

    no entanto, ainda tenho presente a conferência de imprensa do Sá Pinto e os óculos escuros do Liedson, depois de terem armado aquele 31 nas cabinas

    ReplyDelete

Search This Blog