No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

A época 1964/65 foi de pesadelo para o Sporting, 32 pontos em 26 jogos traduzidos numa tabela final onde ficou atrás de:

AA Coimbra, 34
CUF, 35
FCP, 37
SLB, 43

Explicações? Alguém da época saberá (possivelmente) partilhá-las.

Na temporada imediatamente anterior, 1963/64, não só se sagrara campeão da Europa e demolira o histórico Manchester United por 5 golos, como conquistara numa só época 3 recordes ainda vigentes no futebol Europeu. Em 1964/65, contando novamente com os históricos Carvalho (baliza), Pedro Gomes (direita), Hilário (esquerda), Fernando Mendes, Osvaldo Silva e uma das duplas mais produtivas na história do clube, Figueiredo (24, 17, 21, 26 e 32) e Lourenço (25, 29, 20, 24 e 18), não foi o Sporting além do 5º posto que significou a pior classificação da sua história.

Interessar-nos-á por isso guardar os:

. título de campeão Europeu, 1963/64
. 5º lugar, 1964/65 [eliminação na UEFA aos pés dos históricos Bluebirds Galeses, Cardiff City, clube de um nome ligado à história do Sporting - John Toshack, ano em que a prova Europeia na qual participou foi vencida pelos Hammers, West Ham United]

Esta (digitalizada) fotografia é pessoal.

Datada de 1965, nela aparecem a Sra. Rosário e o Sr. Bento, casal de Viana do Castelo e casal avô da menina que a foto também mostra, Estefânia, membros da família Cerqueira - família muito antiga, humilde e sportinguista por influência do Sr. Bento que se apaixonara pelo clube em meados dos anos 20 quando vira um corredor verde-e-branco do Sporting vencer uma corrida de velocidade disputada muito perto da localidade onde vivia. Contava o Sr. Bento, a coisa mais bonita que vi logo após o casamento com a Rosário e o nascimento dos meus filhos.

Viana do Castelo era, nos anos 50 e 60, imagino, muito diferente de hoje, e o Sr. Bento alimentava um sonho: ver jogar Carvalho e Eusébio. Então, por sugestão do genro, foi convencido a deslocar-se à capital. Vou se a Rosário, a tua mulher e a tua filha vierem comigo, porque não queria deixá-las sozinhas, respondeu.
Assim foi, e em Outubro de 1965 partiram numa memorável viagem que a mãe da Estefânia recorda ter demorado 9 horas, saímos de noite e chegámos pelas 10 horas da manhã, foi uma emoção muito grande mas graças a Deus correu tudo bem.
17 de Outubro de 1965 e o destino final seria, no mesmo dia de tarde, o antigo estádio da Luz em Lisboa, palco no qual o Benfica de Eusébio receberia o Sporting de Hilário e do guardião Carvalho - herói do Sr. Bento.

A foto que exibi foi tirada no estádio da Luz, poucas horas passadas sobre o início da tarde.

O Sporting vinha da sua pior classificação de sempre e o jogo integrava-se na fase inicial do campeonato - 6ª jornada. O SLB, por seu turno, era campeão Nacional em título. Claro, nada que interessasse à boa e humilde família já que independentemente do resultado a Sra. Rosário, o Sr. Bento e a menina Estefânia regressariam felizes a Viana do Castelo. E felizes regressaram: lê no álbum onde está hoje religiosamente guardada, numa caligrafia por sinal muito bonita,

Rosário e Estefânia,
Out/1965, Lisboa

Percorre 4 gerações: bisavó, bisavô, avós, mãe e filha da menina que vemos na fotografia, na altura não nascida e uma mulher muito especial que tal como a sua mãe Estefânia vive hoje em Viana do Castelo. A ela, a ti, dedico este «post».

O Sporting goleou o Benfica no estádio da Luz por 4-2, e sagrou-se nessa temporada campeão Nacional de futebol. O teu bisavô cumpriu o sonho de ver Carvalho e Eusébio jogar (e marcar), tendo também visto Lourenço apontar os 4 golos daquele que tal como para ele e para a tua mãe, é hoje o clube do teu coração. No mesmo ano (época) em que o teu bisavô viajou para Lisboa, o Sporting golearia ainda a CUF por 4-1, o Vitória Sadino por 4-0, os Belenenses por 3-0, a AA de Coimbra por 5-2 e o FC Porto na penúltima jornada em Alvalade por 4-0, terminando a época com a defesa menos batida da prova e infligindo na UEFA aos Franceses do Bordeaux duas violentas derrotas por 4-0 (em França) e 6-1 (em Lisboa).

A fotografia preserva uma história muito bonita, repleta de alma, decência e muito amor, o mesmo que dando pelo nome de Sporting Clube de Portugal habita-vos o corpo desde o dia em que o Sr. Bento viu, na década de 20, um corredor vestido com a camisola do leão rampante encher de alegria 4 ou 5 povoações do profundo e antigo Norte de Portugal.

Uma fotografia, 4 gerações e um amor.

47 anos depois, o teu bisavô e tu

Posted on

Tuesday, 24 July 2012

23 Comments
  1. ó homem, você não passa de um pernóstico, malicioso.
    Sempre a induzir em erro, os catraios do sporting.
    E os do Benfica que o venham visitar.

    ". título de campeão Europeu, 1963/64"

    É falso.
    O "campeão Europeu, 1963/64", foi o Inter de Milão.
    O vosso título foi o de vencedor da Taça das Taças.
    Derrotaram numa finalíssima um «colosso» do futebol da Hungria, o MTK.

    ReplyDelete
  2. Caro Zacarias,

    Leia e releia o texto, fala de vitórias ou de fracassos, o que acha?
    MM, escreveu:
    «Na temporada imediatamente anterior, 1963/64, não só sagrara-se campeão na Europa e demolira o histórico Manchester United por 5 golos, como conquistara numa só época 3 recordes ainda vigentes no futebol Europeu.»
    Campeão na Europa e não da Europa é diferente não acha?
    Na existiam a Taça dos Campeões Europeus e a Taça das Taças eram duas competições de verdade, nela participavam, verdadeiramente, os campeões dos respectivos países e os verdadeiros campeões da taça doo país, na altura não assistíamos a jogos ridículos, tipo Chelsea vs. Benfica onde nenhum dos participantes venceu o campeonato do país, o Chelsea neste momento é o campeão da Europa mas não é campeão de Inglaterra nem de 2010/2011 nem de 2011/2012.
    dobre a língua antes de falar em mentiras e em merecimentos.
    quando a seguir, MM, fala em:
    ". título de campeão Europeu, 1963/64
    . 5º lugar, 1964/65 [eliminação na UEFA perante os históricos Bluebirds Galeses, Cardiff City, clube de um nome ligado à história do Sporting - John Toshack, ano em que a prova Europeia na qual participou foi vencida pelos Hammers, West Ham United]"
    tudo isso tem um contexto anterior e uma sequência, um encadeamento... não sabe ler, não percebe o que lê?
    Fico triste por si...
    Quanto ao resto do "post" merece ser comentado ou não?
    Percebeu daquilo que se falava?

    ReplyDelete
  3. MM, grande texto, grandes memórias, lindas recordações.
    Perdoa-me o comentário anterior... ando com pouca paciência.
    Muito bonito o que escreveste, muito íntimo (sei que gostas pouco de te expor) palavras que nos transportam, aquele dia, aquela viagem, aquela vitória.
    Muito bom, muito bonito e um beijinho para a filha de Estefânia, fruto dum amor e (pelo que percebi) adepta dum Grande Amor que partilhamos e que é da cor da paz e da esperança...

    ReplyDelete
  4. «Na existiam a Taça dos Campeões Europeus e a Taça das Taças eram duas competições de verdade»

    Leia-se:

    Na ÉPOCA (na altura) existiam a Taça dos Campeões Europeus e a Taça das Taças eram duas competições de verdade

    ReplyDelete
  5. pedro oliveira

    Não preciso ler e reler para perceber esta forma enganosa de escrever.
    Enquanto não for alterado aquilo que o seu amigo escreveu foi:

    "Na temporada imediatamente anterior, 1963/64, não só sagrara-se «campeão da Europa» e demolira o histórico Manchester United por 5 golos, como conquistara numa só época 3 recordes ainda vigentes no futebol Europeu."

    E ainda repete, reforçando a ideia.

    ". título de campeão Europeu,
    1963/64"

    Se há alguém a precisar de compreender as diferenças entre as contracções das preposições e dos artigos, não sou eu.

    E volto a afirmar com todas as letras que o ". título de campeão Europeu, 1963/64", é uma afirmação FALSA.
    Ao resto não vale a pena responder.

    ReplyDelete
  6. Pedro, um grande abraço, e sim Sportinguista, uma amiga muito especial.

    Zacarias, o Sporting foi campeão da Europa, campeão na Europa e campeão Europeu em 1963/64. Não sei por isso qual é a comichão mas continua a coçar, pode ser que um dia passe ...

    ReplyDelete
  7. Pedro já agora, enquanto escrevia o «post» estava com esperança que os 6-1 tivessem sido a derrota mais pesada de sempre do Bordeaux na UEFA, mas não foi: perderam 6-0 com o Parma nos anos 80.

    Ainda assim que resultado, 6-1 ... o Sporting tinha de necessariamente possuir uma grande equipa de futebol naquele(s) ano(s): 4-2 na Luz, 4-0 ao FCP, as goleadas aos outros clubes, 5-0 ao Manchester 2 anos antes, a vitória com o Lyon (equipa muito muito forte naquele tempo), enfim ... grandes resultados ao longo de 4 ou 5 anos.

    ReplyDelete
  8. só neste blog é que descubro que um campeão europeu também foi quem ganhou uma taça das taças. LOL
    Depois do campeão nacional de pólo aquático mais esta pérola...

    ReplyDelete
  9. Ó Pedro Oliveira, campeão Europeu é por definição o vencedor da Taça dos Campeões europeusposteriormente designada de Liga dos Campeões.
    Quanto a competições europeias, existiam 3, a Taça dos Campeões, a Taça das Taças (onde os clubes podiam participar mesmo não ganhando as taças dos países, bastava serem finalistas vencidos com o campeão do país desse ano, logo pelas suas palavras não era uma taça de verdade) e a Taça das Cidades com Feira, posteriormente designada de Taça UEFA e actualmente designada de Liga Europa.

    Porque será que têm dificuldade em assumir o que ganharam e tentam fazer parecer outra coisa. Deveriam ter orgulho de ter vencido a Taça das Taças, em castelhano a Recopa, pois foram o único clube português que a conquistou, infelizmente o melhor que o Benfica conseguiu foi chegar às meias-finais nessa competição, mas não têm logo que armar-se aos cucos e dizer campeão da europa e campeão europeu, foda-se ganharam a Taça das Taças não foram campeões europeus. O Benfica foi o finalista vencido em 63/64 da Taça dos Campeões Europeus e não perdeu para o Sporting, perdeu para o Inter de Milão.

    ReplyDelete
  10. Se 4-2 é uma goleada, vou ali já venho, será que 2-0 também o será ?

    ReplyDelete
  11. MM

    Como tens por hábito, quando alguém demonstra a falsidade da informação que pretendes fazer passar, vem a argumentação bacoca, em defesa do que não tem defesa.
    Não sofro de quaisquer pruridos. Lê o texto do B Cool, que subscrevo na íntegra, acrescentando que o vencedor da Taça das Cidades com Feira, foi o Real Saragoça.
    Ninguém está livre de dizer tolices; o imperdoável é não o admitir.
    Teimar no "erro" informativo.

    ReplyDelete
  12. BCool, Zacarias, Z, e demais,

    Escrevo na minha linguagem, não na vossa ou outra qualquer. Se entendem que os campeões Europeus são apenas os vencedores da Taça ou Liga dos campeões Europeus, e se entendem-no porque a generalidade fá-lo também, que tenho eu a ver com isso? Por acaso vou aos vossos blogues corrigir-vos quando dizem que o campeão Europeu foi A ou B e os outros são vencedores da taça UEFA ou outra qualquer?

    Se acham que escrever campeão Europeu sugere que o Sporting venceu a Taça dos clubes campeões Europeus em 1963/64, lamento, mas não posso fazer mais.

    ReplyDelete
  13. Tantas vezes refiro-me ou já me referi aos "campeões Europeus" da taça UEFA, Liga Europa, Challenge, UEFA Futsal Cup, CERS ou outras.

    Sabem uma coisa? Quando verso sobre o FCP de Mourinho faço-o sempre nos moldes do "bi-campeão Europeu", mas faço-o há muito tempo já. Porque foi bi-campeão Europeu. A vossa psicose é presumir que falo nos "campeões Europeus de 63/64" para masturbar o Sporting ou coisa parecida. Não é. Não preciso disso nem o Sporting precisa disso porque o meu entendimento de clube não está dependente de coisinhas pequenas como essa. Ainda há dias em conversa com o Tobias ou o Artnis elenquei todos os trofeus Europeus do Sporting e do Benfica, com algumas falhas para os do Benfica porque naturalmente não tenho obrigação de conhece-los.

    Taças dos campeões Europeus, 16, vencedores das Taças, 4, Challenge ou CERS e assim por diante.

    Não existe manipulação, são apenas macaquinhos nas vossas cabeças. Nada mais. Se não estou a descriminar as competições Europeias verso nos campeões Europeus, gostem ou não gostem.
    Deixem de ver as coisas de forma estreita e não se preocupem tanto com o que os outros pensam ou não pensam.

    ReplyDelete
  14. BCool, goleadas são:

    3-0, 4-0, 5-0, 6-0.
    4-1, 5-1, 6-1.
    4-2, 5-2, 6-2.
    5-3, 6-3, 7-3.

    Não é o diferencial de golos, 4-2 não é o mesmo que 3-1 nem 3-1 é o mesmo que 2-0. Diferenças de 2 golos podem ser goleadas, consoante o nº global de golos apontados no jogo.

    3-1 é goleada, como exemplo?
    Não sei. Em jogo fora-de-casa, talvez. Seja como for, não vejo que importância terá isto. Achas que uma derrota em casa por 2-4 é um resultado normal num derby?, achas normal a equipa visitante apontar 4 golos num derby? Não achas, certamente. É uma goleada.

    ReplyDelete
  15. "Se entendem que os campeões Europeus são apenas os vencedores da Taça ou Liga dos campeões Europeus, e se entendem-no porque a generalidade fá-lo também, que tenho eu a ver com isso?"

    Tens aplicado esta prática logo que és contrariado, basta ir ver o post sobre o pólo aquático.
    Poderá alguém contrariar a força de tal argumentação?
    Lembras a anedota do soldado que marchava de passo trocado, no seu juramento de bandeira e a "visão" da respectiva mãe.

    ReplyDelete
  16. Zacarias, não me preocupa quem contraria ou não contraria. Continuas a não entender (nem entenderás, caso contrário já lá terias chegado) que os campeões Europeus de 1963/64 não o são porque eu digo, mas sim por serem campeões Europeus ...

    De igual modo, os motivos pelos quais os chamo pelo seu nome - campeões Europeus - estão nos comentários acima, e não porque todos os outros fazem diferente. Isto é, se todos os chamassem de campeões Europeus, eu continuaria a chamá-los de campeões Europeus, por ser essa a minha forma que no caso coincidiria com a restante: o facto de coincidir não me faria alterar nada.

    Estou a dar-me ao trabalho de repetir devagarinho para ver se alcanças: esquece o "eu e a generalidade", porque não tem nada que ver com isso.

    Sobre o soldado que marchava em passo trocado ofereço-te gratuitamente um conselho que (suspeito) não te fará muita falta: não meças o mundo ou aquilo que olhas pelo formato de quem faz igual ou diferente. Esquece o "igual ou diferente", olha antes para quem faz "certo ou errado".

    Isto é, Zacarias: o soldado marchava de passo trocado não por fazer ao contrário dos outros, mas por simplesmente marchar de passo trocado ... compreendes? Parece a mesma coisa mas se pensares um bocadinho verás que não é.

    ReplyDelete
  17. MM

    Páro por aqui. Já dei o suficiente para este peditório.
    No entanto volto a repetir.
    Ninguém está livre de dizer tolices; o imperdoável é não o admitir.
    Na anedota do soldado de passo trocado, o papel que te propuseste defender, é o da senhora sua mãe.

    ReplyDelete
  18. A única coisa aqui que merece comentário é a magnífica história que é retratada, e que não deixaria de ser magnífica se os seus protagonistas fossem adeptos doutro clube.

    O resto são cantigas de escárnio e mal dizer, ou como se dizia nos tempos da minha infância, cantigas de escarro e mal cuspir.

    ReplyDelete
  19. Fernando Abreu26 July 2012 at 11:04

    Esta é realmente uma história de encantar que me leva a recordar o quanto o futebol era pura magia naquele tempo, nada que possa ser comparado ao praticado nos dias de hoje.
    Obrigado por partilhar com todos os leitores esta deliciosa história.

    Saudações a todos os sportinguistas e não sportinguistas.

    ReplyDelete
  20. Fernando Abreu, seja muito bem-vindo e obrigado pelas palavras.

    Sloct e no fim ainda dizem "já dei muito para o peditório", quando são eles quem puxa os assuntos falando de coisas em nada relacionadas com o «post». Fenomenal.

    Zacarias, o papel que me cumpre foi responder aos seus (e outros) comentários. Não me propus defender nada porque estou-me um bocadinho nas tintas para a questão: foi o caro quem decidiu ser importante debruçar-se sobre a terminologia empregue ao título Europeu de 63/64. Falou no assunto, uma coisa menor em nada relacionada com a mensagem e no fim diz que propus-me defender qualquer coisa e já deu muito para o peditório.

    Se quiser comentar sozinho, diga-me, faço-lhe a vontade sem grande problema.

    ReplyDelete
  21. Meus caros,

    Dado que se fala em tempos dos nossos avôs, só tenho uma curiosidade que se calhar me podem responder... Como é que descobriram que a Florbela Espanca era do Sporting?

    Abraço

    Murphy

    ReplyDelete
  22. Não descobrimos (um pouco como o Brasil, foi descoberto por ninguém, já lá estava ...). O Sportinguismo de Florbela Espanca está cifrado em vários dos seus versos.

    ReplyDelete
  23. Podes dar-me um exemplo ou o nome de um desses versos ?

    Murphy

    ReplyDelete

Search This Blog