“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

Gladys Bronwyn despediu-se do mundo em Oxfordshire, percorreu muitos lugares, viveu entre 1973 e 1890 e nasceu em Londres. Gladys Bronwyn Stern, mulher que afirmou ser a gratidão silenciosa uma coisa sem grande uso. Afirmou bem. Se não expressa por gestos, palavras, ou doutras formas, não se trata de gratidão mas lisa ingratidão. Que lhe deu o futebol?, pergunta, o futebol, não, o Sporting deu-me tudo. Deu-me vida, experiências novas, hipótese de fazer outras coisas, de viajar. Venho de uma família humilde e se não fosse o Sporting não sei onde estaria. Di-lo Tiago.

A gratidão é bonita, gratidão que o Tiago sente pelo Sporting ou o Sporting por ele, ou eu por ambos, como adepto de um e admirador do outro. São coisas simples e nenhuma provocadora de angústia ou geradora de sentimentos de dúvida, ou dívida, porque Tiago não me deve nada. Já eu, como seu adepto, devo-lhe muito.

O mais é contribuir o melhor que se sabe para a construção duma casa que se ama.

Fiery gems, only for you

Posted on

Tuesday, 26 June 2012

1 Comment
  1. Flowers in a vase, a fireplace, cats in the yard - it is a very cozy scenery. Sounds like a happy home life with the hours and hours of love songs.
    Somehow it feels though as if the song reflects more a wish than an existing state of affairs. Don't know why, but it reminds me of the two vagabonds in Modern Times, sitting on the roadside watching a couple saying goodbye outside their home, the husband leaving for work and the wife skipping back into the house. There follows a fantasy scene, in which the vagrant couple lives merrily in such house, with the fruit trees and the cow walking past the kitchen door... I don't know but would imagine most poetry (and song lyrics) stems from longing rather than contentment. It's undoubtedly a happy song, however - and so was the main couple in the film, too, in the event, regardless that their house dream didn't quite come true. They say home is where the heart is, rather than in the material settings: with the loved ones, with the things of importance. They're a lot to be grateful of.

    ReplyDelete

Search This Blog