No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Lembro uma carreira de futebol brilhante mantida em apenas 4 clubes Europeus ao longo de mais de 20 anos. Lembro um indivíduo de perfil sóbrio, pacato, alguém que treinava, segundo os seus técnicos, sempre bem, e alguém que não era fotografado num dia com uma modelo e no dia seguinte com outra, nem fazia da exposição pública modo de vida. Recordo quem na despedida activa do jogo escreveu uma carta que dizia: para chegar e vencer conheço apenas um caminho, o do sacrifício e do trabalho, ensinaram-me quando era um rapaz no Sporting, e homenageio quem afirma: não ter tido um único problema com um companheiro de equipa é um dos troféus mais bonitos da minha carreira.

Assistindo ontem à gravação do derby de Madrid, vendo a forma como Cristiano Ronaldo festejou os golos, lembrei nesses instantes mais uma vez que não consigo gostar dele. Respeito-o muito pela dedicação ao jogo, pela forma honesta e sempre nos limites como procura ser o melhor. Respeito-o porque já fez muito no futebol, alcançou demasiado em pouco tempo, mas não vive encostado a feitos passados. Ele é, desportivamente, um exemplo. Confio sem hesitar quando Carlos Queirós diz que ninguém trabalha mais do que o Ronaldo. Não gosto todavia de gente que faz caretas. Não gosto de gente foleira, e Ronaldo é um indivíduo foleiro.

É este um dos motivos para que tivesse gostado sempre de Luís Figo.

Olho-o com admiração pelo perfil de jogo brilhante, por tratar-se de um futebolista a sério. Gostava da forma mais ou menos lenta como arrancava para os lances, encarando o adversário e o relvado. Outros, como Simão Sabrosa, viram as costas ao interior do terreno e fogem para a linha, porque era um mau jogador e era piroso. Luís Figo não. Tinha a capacidade e não provocava mas punha-se a jeito do duelo, entrava no saloon e impunha ordem na sua equipa oferecendo-lhe sentido. Figo tinha classe, charme, categoria, era o bandido noutros tempos marshall. Já Simão era a hiena noutros tempos admiradora do marshall mas muito parasitária que acabou por desenvolver o percurso que todos conhecemos.

Achei delicioso ter marcado presença em Alvalade na final que o Sporting disputou em 2004/05, e enche-me de orgulho que em 2011/12 afirme que vai ser uma meia-final bastante bonita de ver e o Sporting tem todas as possibilidades de ganhar a Liga Europa, está numa meia-final, apesar de haver três equipas espanholas teoricamente muito fortes. Diz ainda, Luís Figo, que a equipa do seu amigo Ricardo Sá Pinto é uma orquestra afinadíssima, quando orquestra foi o seu FC Barcelona em 1996/97, FC Barcelona que tinha Figo, Robson, o melhor avançado de todos os tempos, Passado e Presente, fenómeno Ronaldo, o extraordinário Iván de la Peña, o muito amado Hristo Stoichkov, Luis Enrique e o grande Pep Guardiola. Luís Figo foi de muitas formas um exemplo. Há 4 ou 5 anos deixei um comentário num espaço relacionado com Rui Costa que dizia qualquer coisa como, nem 100 Figos pintados de verde, por 1 só Oceano. Hoje ainda recebo no e-mail, vez que outra, respostas a esse pouco importante comentário. Perdoa-me por ele.

És grandioso, uma referência máxima. És um dos meus heróis.

Grande Luís Figo, de uma orquestra fizeste tu parte

Posted on

Thursday, 12 April 2012

12 Comments
  1. "nem 100 Figos pintados de verde, por 1 só Oceano"

    este 'brilhante' comentário sobre Luís Figo, só pode ter sido consequência da amargura provocada pelos seus (dele) festejos, ainda por cima no banco de suplentes, do golo do 'seu' (dele) 'internazionale di milano' no estádio do neto do visconde. digo eu.

    este post é fruto da coerência a que já nos habituaste, mal-me-quer, bem-me-quer, muito, pouco, nada.

    de resto concordo contigo, absolutamente. ou se calhar só no essencial, eheheh!

    não há comparação entre ele e o 'guapo e rico', o labrego madeirense que tentou imitar o 'fiora' Rui Costa.

    sobre o 'pai da mariana' é notório que ainda não curaste a dor na testa e a comichão no cotovelo, que sentes.

    ReplyDelete
  2. Tobias,

    Vamos lá a ver se nos entendemos, consegues fazer comentários sem estar, permanentemente, a (tentar) ofender pessoas que não conheces?
    Daquilo que conheço do MM (e é pouco, convivemos, apenas, durante a gloriosa jornada de Manchester; percebi que é um excelente Sportinguista e um grande Homem) ele não se preocupará, não dará importância aos teus comentários, mas coisas tipo: "dor na testa" ofendem-nos (bem sei que que entre a tua gente isso não é importante, desculpa a linguagem mas tive um conhecido que dizia: «quero lá saber que a minha mulher me ponha os cornos, desde que o Benfica ganhe».
    Eu assinaria a frase:
    «nem 100 Figos pintados de verde, por 1 só Oceano»
    Admiro muito mais Oceano como homem, como desportista e como sportinguista que o «pesetero», «papapequenosalmoços» com Sócrates; como vês este é um "blog" plural onde podemos ter opiniões diferentes.
    Quanto a Simão, acho que a culpa foi do Sporting, tínhamos opção de compra e poderíamos ter ficado com ele quando saiu do Barcelona, não lhe quero mal, tal como nunca assobiei Djaló nem vestido de verde e branco nem da cor das papoilas; acho ridículo assobiar jogadores.
    Perdi-me um bocadinho no comentário mas acho que foquei o essencial, quanto ao «pesetero» da margem Sul tinha sido uma sorte que tivesse ido para o Benfica (esteve quase) e que João Vieira Pinto tivesse tido a oportunidade de jogar num clube a sério mais cedo (também esteve quase).

    ReplyDelete
  3. não te amofines tanto, pode dar-te alguma coisa má!

    ofendes-te (e achas que tento ofender)com muito pouco.
    quem sabe se o teu conhecido não estará carregado de razão. tal como o outro que te diz que "antes triste que gay".

    há rapaziada muito brincalhona e como diz um amigo meu, um homem sem cornos é como o túnel de alvalade sem flores.

    pergunta ao M&M a quem ele espetou, com não sei já o quê, na testa e encontras razão para a 'ofensa'.

    ReplyDelete
  4. Factos. Um funcionário do vice presidente do corrupto de lisboa pagou 2 mi eur a um fiscal q iria apitar o corrupto de lisboa 3 dias depois. Isto é um facto provado. Vamos ver como descalçam esta bota...é melhor pedirem ajuda aos amigos do norte...

    ReplyDelete
  5. Factos. Um funcionário do vice presidente do corrupto de lisboa pagou 2 mi eur a um fiscal q iria apitar o corrupto de lisboa 3 dias depois. Isto é um facto provado. Vamos ver como descalçam esta bota...é melhor pedirem ajuda aos amigos do norte...

    ReplyDelete
  6. Facto 1-Ainda tens a cabeça bem inchada gaivota anónima!

    Facto 2-Corrupto de Lisboa só conheço o do lado Sul da 2ªcircular,que sempre andou de concubinato com o papa desde o fulano damásio,até o orelhas lhe querer gamar o
    barrete papal!

    Facto 3-As escutas também lá têem o vosso orelhudo a pedir o joão pode ser ferreira,para além de bem antes afirmar que "era bem mais importante colocar homens de confiança em lugares chave das estruturas dominantes do futebol português,do que contratar craques para o futebol da agremiação cm nome de bairro da capital de Portugal"!

    Facto 4-Vai ao diccionário,se souberes o que isso é,e descobre a diferença entre arguido,corrupto e corruptor!

    ReplyDelete
  7. This comment has been removed by a blog administrator.

    ReplyDelete
  8. E ir ao dicionário aprender a escrever dicionário?

    ReplyDelete
  9. Pedro,

    O comentário de que o texto fala teve precisamente que ver com a faceta de clube. Não é relevante que o Figo tenha festejado um golo do Inter frente ao Sporting e tenho a certeza que o João Pinto celebrou com sinceridade todas as vitórias frente ao SLB (em 2000/01 festejou vitória mas também um golo que no jogo apontou junto a uma das claques do Sporting; em 1999/00 o Sporting venceu o SLB em Alvalade e atirou-o matematicamente para fora da Europa da época seguinte e o João Pinto celebrou cada 1 dos 3 golos que o P. Barbosa, Acosta e Beto apontaram), celebrou-as (vitórias) todas, e foram muitas, mas naturalmente se lhe perguntarem não deseja mal ao SLB. Se um clube deseja e aposta num jogador é lógico que passe (jogador) a gostar do novo clube que serve.

    O Tobias falou na questão (festejos do Figo ao serviço do Inter num jogo frente ao SCP) mas porque não sabe ler e é demasiado obcecado. Pessoas obcecadas são de vistas sempre curtas. Para além de mal-educado, claro.

    Por isso está lá o Rui Costa. O comentário inseria-se no entendimento de Rui Costa como um símbolo do SLB. Sugeri que jogadores como Luís Figo ou Rui Costa (nessa matéria iguais) não devem ser entendidos dessa forma. Símbolos são o Oceano que esteve 8 anos no Sporting e foi seu exemplar capitão, Beto que esteve 11, Pedro Barbosa que esteve 10, Ricardo Sá Pinto 8 - só como jogador, e todos os exemplos são 'tempo de serviço' senior. O Luís Figo esteve na equipa principal do clube 3 ou 4 anos e saiu muito novo para Barcelona. Tal como Ronaldo, Quaresma, Simão, Nani e outros. Tal como Rui Costa. Não são símbolos, ou se são-no inserem-se noutro tipo ou jeito de olhá-los (bandeiras de formação, como exemplo, ou outras, superior aptitude; falo do Sporting bem entendido).

    O Rui Costa é sentido como símbolo do SLB mas porque esse clube não tem símbolos. É o que mais se aproxima, mas só isso. Não têm Oceano. Nem Jorge Costa. Ou outros como estes nos últimos quase 25 anos.
    Abraço, em contagem decrescente para nova prova de fogo. Espero que seja uma noite fantástica em Alvalade.

    Faltam 6 dias.

    ReplyDelete
  10. E sem cometer qualquer atentado à forma como sentimos Figo, Rui Costa, Carlos Martins, Hugo Viana, Nani, o próprio João Pinto claro, e tantos outros (largas dezenas de exemplos só do Sporting, felizmente, e meto o Rui Costa no grupo porque foi / é para mim um jogador muito querido). Tudo futebolistas que por vários motivos adoro. O que digo é num clube há sempre alguns nomes que são particularmente especiais. É uma coisa que se sente. Oceano é um deles. Mas só o são entre outros motivos porque estiveram lá muito tempo.

    Não é uma condição, nem é a única.
    Não há condições nem existe manual para se ser um símbolo, simplesmente acontece. No meu caso pelo menos, forma como sinto 5 ou 6 nomes do Sporting.

    ReplyDelete
  11. E já agora algo que o post não diz: o Cristiano R. para além de um exemplo como profissional é um futebolista de eleição. A par do outro Ronaldo (passado) é um jogador que quebra (presente) barreiras no jogo: faz coisas que nunca tinham sido vistas, e o outro também fez; 2 dos 3 golos que marcou ao Atlético mostraram-no de novo. Só ele fá-las, ninguém mais. Não é o meu "tipo de coisa" mas porque gosto por estilos de futebol cada um tem o seu, não sou adepto do seu futebol mas não consigo deixar de admirar-me por algumas coisas que vejo o Cristiano Ronaldo fazer no relvado.

    Nem quero. O que desejaria aliás era a outra que o post fala: conseguir gostar dele de modo completo.

    Com tempo talvez. Falando só de futebol se tivesse de escolher quereria o Messi (e não vejo o Messi como o melhor jogador do mundo, também, nem o Ronaldo) na minha equipa, mas preferindo o Messi não faz o Argentino nada de diferente relativamente ao que outros futebolistas de eleição fizeram ou fazem, passado ou presente.

    O Ronaldo fá-las, inovou, e será responsável pela aparição de mais futebolistas como ele. Esse prémio ninguém lhe pode tirar.

    ReplyDelete
  12. M&M

    perfeito, voltou o uso do lápis azul...!

    o comentário ou a resposta não agradam e o 'menino' faz birrinha e vai de cortar.

    o mentor dos vândalos do "bota fogo do lumiar" tem provas dadas de não só ser 'diferente', como 'especial' entre os demais.

    sei bem que a verdade fere. dói.

    dói e muito ver expurgar os valores que julgáveis únicos no "sportém" (entre aspas, ouvi a alguém desses lados, juro, não quero ser mal-educado).

    se fosse para chatear, ou ser mal-educado, poderia repetir o comentário n vezes, 'ad nauseum', até que um de nós desistisse. descansa não o farei.

    tal como não voltarei a falar de 'comichões' na testa.
    não deixarei no entanto, de responder a qualquer provocação da tua parte, como foi o caso.

    não fui eu que afirmei e escrevi, "nem 100 Figos pintados de verde, por 1 só Oceano". eu só procurei uma razão.

    e a única razão que encontrei para essa amargura foi a que descrevi.

    nas tuas justificações perante o teu amigo continuas a usar de toda a tua coerência. melhor só mesmo os girassóis do túnel do neto do visconde.

    atiras para canto todo o percurso de formação (10/12 anos?) do Figo por troca com o 'símbolo' que veio do odivelas, homem feito e quando teve oportunidade, fez o que todos fazem - vou ali fora, num instantinho, ganhar uns trocos.
    sabedor das suas limitações como futebolista, deixou marcado o regresso à casa de partida. ao contrário do cardinal não recebeu os 2000, eheheh.

    O Símbolo do tal clube que não tem símbolos é Director Desportivo e Administrador da SAD desse mesmo clube

    os outros 2 exemplos de símbolos de clubes; um é adjunto dum anedótico treinador-adjunto numa equipa com passaporte para a orangina, o outro é treinador principal numa equipa de 'ciganos' romenos. deve ser das riscas.

    e a enorme vantagem que há em não ter símbolos?

    ahh, pois é.

    nenhum tribunal obriga tal clube a cumprir o prometido, acordado, ou contratado com tais símbolos.
    que é lá isso, honrá-los fazendo um mísero e miserável jogo de despedida.(feitas as contas, lá sobraram uns troquitos, para o coitado do simbólico rapaz. não lhe bastava a morosidade da justiça à portuguesa!)

    ReplyDelete

Search This Blog