Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

De Auschwitz a Lisboa. Já não há vagões mas o espírito é o mesmo ...

Sunday, 8 April 2012

E porque a tirania não descansa, exista coragem. Sobreviva a memória.
Não te deixarei cair Joana.
Porque me segura este homem? Para onde me leva?
Não quero ir, quero ficar contigo, só contigo mamã.

As palavras poderiam pertencer a uma das mais de duas milhões de crianças conduzidas para Auschwitz, Treblinka ou Bergen-Belsen, na Europa Nazi, por carruagens ferroviárias entre 1933 e 1944. Não pertencem. Foram choradas aos soluços pela jóia mais bonita do mundo, nas palavras de sua avó, uma menina chamada Joana que a 26 de Novembro de 2011 foi agarrada e puxada pelo braço por um steward do Benfica enquanto a forçava até à sua cadeira no presídio que esta instituição ergueu para receber as milhares de outras crianças, mulheres e homens que se deslocaram ao seu estádio para ver um jogo de futebol.

Trago-vos a Joana, uma menina muito especial que brotou do ventre de sua mãe a partir de Sernancelhe, em local não muito distante do pátio que viu Aquilino Ribeiro nascer para Portugal e para o mundo.
A Joana, abençoada pelo Távora, cresceu, cito, nas 'encostas íngremes onde pululam castanheiros, alguns com séculos de vida, que a cada Outono largam em seu redor centenas de ouriços carregados de castanhas luzidias e de sabor ímpar'. Presumo, pela narrativa, ter a Joana crescido feliz.
A Joana não nasceu em meados dos anos 30, deformada, dotada de atraso mental, cigana, lésbica, de pele insuficientemente clara, no seio de Hebreus, comunistas, músicos, escritores, ou delatores. Não. A Joana nasceu e cresceu junto dos riachos mais frescos que posso visualizar, ladeada e resguardada pelas colinas mais puras do verde Nordeste Português ... tendo sido, por isso, segregada. Segregada mas desengane-se quem a julgue quebrada, porque a Joana pula e brinca hoje nos mesmos vales que a viram nascer. Não foi gaseificada, assassinada, embora se tivesse visto marcada pela sombra dum espírito presente em 1941 e revisitado em 2011, em plena Lisboa, uma das capitais de uma Europa Ocidental que prometeu salvaguardar, defender e lutar pelos direitos dos seus cidadãos. Promessas com certeza vãs, problemas actuais, males quiçá inevitáveis, porque enquanto existir religião e género humano, existirá crueldade, maldade e opressão, e com pesar, mas verdade, afirmo-vos que o mal vive de dois muito fáceis de cumprir requisitos.

. pessoas e organizações que o pratiquem.
. pessoas e organizações que lhe sejam indiferentes.

Facultar-lhe oxigénio para que subsista é o pior exercício de uma qualquer condição humana, razão pela qual importa quebrar-lhe o espírito, ainda que no dia-a-dia não nos deparemos com câmaras de gás ou holocaustos. É neste invisível domínio que a questão se insere ou em termos práticos, caso prefiram, a segregação não é desculpável pelo carácter voluntário de quem pelo seu pé entrou na prisão que o Benfica ergueu.

É muito simples. E o resto também.

26 de Novembro de 2011, dia que bordou nos dóceis rostos Portugueses uma cicatriz pela qual, tal como para os castanheiros do Távora, muitos séculos terão de passar até que se dilua, ou iluda, ou desse modo a finja já que o seu desaparecimento é, sinto-a, uma infeliz impossibilidade. Recordo por isso as vítimas, por ser domingo de páscoa mas também porque as infames, irresponsáveis, violentas e desonradas forças que segregaram a Joana estão uma vez mais na sua perseguição. Podendo a cicatriz não desaparecer, suplico então para que sobreviva a memória na crença de que sem ela será difícil travar a batalha por um futuro verdadeiro, bonito, pintado e aperfeiçoado pela cor da esperança. Desta batalha não irei escusar-me, nem esquivar. Não quero, nem posso, pessoal e solene promessa conservada enquanto vida em mim existir e renovada porquanto sportinguista, pelas filhas e mães reunidas numa nação que importa preservar, curar, salvar.

Viva Portugal,
mas viva sobretudo a Joana e o espírito do Sporting Clube de Portugal.

10 comentários:

Tobias Minus said...

esta histriónica patetada, a ser verídica, vem a lume, (nem a propósito, sendo tu apoiante dos incendiários do bota fogo do lumiar) nesta altura, porquê?

para desviar atenções dos ataques perpretados por uns vândalos, da juventude legalizada,(na prática de actos criminosos?!) armados em terroristas de pacotilha às 5 Casas do Sport Lisboa ...
e BENFICA?!

uns energúmenos bêbados, drogados e sem educação entre os quais uma extremosa 'mamã' teria feito privar uma menina - se 'isto' fosse verdade, era aqui a parte mais grave da questão - para assistir a aulas de vernáculo ao vivo, desmandos incendiários e agressões a bombeiros.

ou será, mais uma vez, a vã tentativa de exorcização dos teus próprios fantasmas

adepto confesso que és dum clube, onde as direcções foram formadas pelas mais proeminentes figuras do salazarismo - como o ditador salazar, admiradores de hitler e do nazismo.

entre muitos outros, salazar carreira, góis mota, cazal-ribeiro, kaúlza de arriaga, and so on.

como compreendo essa psicose, se até uma parte da claque do teu clube, é ainda formada, por um tal grupo 1143 - nacionalistas/salazaristas, neo-nazis e 'skin-heads'.

e nesta relação a que ía chamar promícua és capaz de nos dizer de que forma, a antiga sede da Rua do Passadiço (antiga Escola Alemã, que passou para o nº 26 da mesma rua, depois da II Guerra e da queda de hitler e do nazismo) foi parar (sem custos) à posse do sporting?

como compreendo essa psicose, se até uma parte da claque do teu clube, é ainda hoje, formada por um tal grupo 1143 - nacionalistas/salazaristas, neo-nazis e 'skin-heads'.

". Pessoas e organizações que o pratiquem." - fazes-me lembrar a mãe da anedota; "chama-lhes putas filha, chama-lhes putas, antes que to chamem a ti"

pedro oliveira said...

Tobias, essa do Salazar Carreira é fantástica, é uma questão de nome, portanto, se o gajo se chamava Salazar era salazarista?
O Abel Salazar, também, era salazarista?

MM, isto não é um «post» é literatura da boa, pena que não possa ser entendida por todos.
Mais logo falarei aqui de algo que terá passado despercebido, neste fim de semana convidaram a equipa de infantis do Sporting para estar presente num torneio que tinha como patrono Paulo Bento e homenageava o árbitro (pasmo) João (pode ser)Ferreira.
Do «curriculum» oficial de Paulo omitiram a passagem com atleta pelo Sporting; quanto a resultados desportivos os nossos meninos venceram todos os jogos, inclusive, venceram a super equipa do Barcelona (única derrota dos meninos catalães) à excepção dos dois jogos com o clube «da verdade desportiva»; um dos jogos foi arbitrado por Bruno Paixão, o de sexta, o de ontem, a final foi apitado pelo João (pode ser)Ferreira, o tal que não tinha condições psicológicas para apitar o Sporting auxiliado por Pais (Ferrari de Setúbal)Antónia o bandeirinha que assinalou o penalty mais mentiroso do mundo na Taça Lucílio Batista... e assim vai o futebol nesta república.

Tobias Minus said...

pedro oliveira

bom dia, para ti também.

o que é fantástico, é o teu pretenso desconhecimento de homens, que fizeram a história do teu clube.
não há que ter vergonha. por muito que tenteis dourar a pílula, com boa escrita - literatura é outra coisa - são factos, acontecimentos e personagens da vossa história, que não podeis alterar.

onde raio é que as tuas meninges conseguem descortinar no meu texto qualquer ligação feita ou induzida entre o apelido do senhor (salazar, tal qual o idolatrado ditador) e o facto de o mesmo, ter sido uma figura de proa do salazarismo-fascista, do auto-proclamado
'estado novo'?

Abel, pelo contrário, era do reviralho.
se teria alguma filiação ou ligação desportiva, não sei. talvez ao vitória da sua terra natal.
em comum com o apoiante de salazar e presidente do sporting, para lá do sobrenome, tinha a mesma formação académica - medicina.

o que a seguir publico, com a origem que indico no final, em tempos esteve escarrapachado na denominada
'wiki-sporting' !!!

José Salazar Carreira


Nascimento

2 de Novembro de 1894
Lisboa

Morte

7 de dezembro de 1974 (80 anos)


"José Salazar Carreira (2 de Novembro de 1894- 7 de Dezembro de 1974) foi um atleta, jornalista e dirigente desportivo português.

Nascido em Lisboa, começou a fazer ginástica aos nove anos. Em 1911, iniciou a prática do atletismo, filiando-se no ano seguinte no Sporting Clube de Portugal, onde permaneceria até à sua retirada das provas desportivas, em 1937.

Conquistou sucessivos campeonatos de Lisboa e nacionais em várias distâncias, sobretudo 400 metros, tendo-se distinguido, além da corrida (incluindo provas com barreiras), em competições de marcha, pentatlo, salto à vara e lançamento do peso e do disco. Desportista ecléctico, praticou ainda modalidades como tiro, ténis, rugby, andebol e pólo aquático.

Entre os cargos directivos que desempenhou, encontram-se a presidência do Sporting (1925-27), das Federações de futebol e atletismo e da associação de rugby de Lisboa. Fez também parte do Comité Olímpico Português, em 1924.

Além de seguir a carreira de médico e professor da Escola Superior de Educação Física, escreveu desde Novembro de 1920 para o jornal Os Sports (prosseguiu depois a colaboração com o sucessor deste, Mundo Desportivo, e outras publicações) e proferiu numerosas conferências sobre temas desportivos.

A partir dos anos 1940, Salazar Carreira desempenhou cargos oficiais, nomeadamente o de inspector dos desportos (posição que abandonou em 1964 por atingir o limite de idade), no Estado Novo. Foi ele o principal teorizador da política do salazarismo para o desporto, defendendo o amadorismo dos atletas e o predomínio do espírito desportivo sobre o clubismo e a ambição da vitória.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

MM said...

Tobias,
Fiquei portanto a saber que uma das personalidades que mais gosto, admiro e com a qual cresci deliciado a vê-la semanalmente (1 vez por semana) na TV ... é fascista. É isso? Falo do Prof. José Hermano Saraiva, claro.

Defendendo o amadorismo e espírito desportivo sobre o clubismo, enquanto teorizador da política salazarista para o desporto. Brutal, está aqui um fascista insuspeito. Gostaria já agora de saber se Egas Moniz e Duarte Pacheco e muitos outros que tiveram cargos no Estado Novo eram também fascistas. Tobias diga-nos também se os funcionários públicos da época eram fascistas. Alguns ou muitos são vivos quem sabe poderíamos puni-los convenientemente.

Tobias Minus said...

quanto à segunda parte de tão insidioso texto, hesitei em comentar, por não saber se hei-de continuar a rir dele, desbragadamente, ou se o haveria de o tornar desapercebido 'pour moi'. chutá-lo para canto.

não vou, portanto, perder demasiado tempo com ele.

afinal o convite (desde alguns anos comum ao benfica e ao porto) foi só para a tradicional organização do
popular Clube Atlético e Cultural da pontinha.

"TORNEIO INTERNACIONAL INFANTIL 2012"
Torneio de Futebol Infantil

a quem possam interessar, todos os pormenores, desde 1981, no site "http://www.torneiocac.com/2012/" onde vi que estais a melhorar.
no ano passado o sporting, perdeu uma vez só por 3-0.
ao contrário de ti, não sei qual foi o árbitro (o homenageado 2011 foi pedro henriques?)que ajudou o Glorioso a vencer-vos, tão categoricamente.
fiquei a saber que o cristiano rónaldo, como patrono não pôs cá os butes e que o finalista com o Benfica e vencedor do torneio, foi o Real de Madrid a quem o Benfica vencera na fase de grupos por 2 a zero.
'peanuts' como diz o masca, masca.

por fim e para não destoar da riqueza cultural do blogue, passarei a citar o alemão, friedrich wilhelm nietzsche - "o fanatismo é a única forma de força de vontade acessível aos fracos".

Tobias Minus said...

"Benfica venceu prova pela 7.ª vez

Três prémios individuais no Torneio da Pontinha


Três jogadores do Sport Lisboa e Benfica conquistaram prémios individuais na 31.ª edição do Torneio da Pontinha.

Domingos Quina, foi considerado o melhor jogador da prova, enquanto Diogo Garrido foi eleito o melhor guarda-redes. Com quatro tentos, Edi Semedo foi o goleador do Torneio Internacional de Futebol Infantil.

Além do título colectivo, a prestação do Benfica fica também marcada pelo desempenho dos três atletas acima mencionados."

nem imagino a gratidão destes miúdos para com bruno paixão e joão ferreira.
os árbitros que desrespeitam e maltratam o desportivo do lumiar e a eles simples infantis tais prémios lhes proporcionam.

pedro oliveira said...

Tobias, mais logo já te atendo, agora as «rulotes» nas imediações de Alvalade chamam-me.
Sabes quem é esse Domingos Quina?
(eu digo) filho do, ex-jogador do Benfica, Samuel.
Em 31 edições da prova o Sporting tem sete vitórias e o Benfica sete, contando com a de ontem; no entanto, o Benfica participou em 30 edições e Sporting em 26; das 7 vitórias encarnadas, duas foram em anos que o SCP não participou, contudo o Sporting venceu a única edição na qual o SLB não esteve presente; descontando essas o Sporting ganhou seis torneios nos quais o Benfica esteve presente e o SLB ganhou, apenas, cinco nos quais o SCP esteve, o que não admira, pois todos sabemos onde está o melhor futebol de formação em Portugal...

Tobias Minus said...

pedro oliveira

espero que não:-)
espero que a vitória sorria às minhas cores.
nem que seja por obra do acaso ou pura sorte, que caia para o meu lado.
só não quero ganhar com alguma 'proençada' à moda do porto.
não te sabia frequentador de tais locais e apreciador das 'benfiquistas' bifanas e sandes de coiratos e respectivas 'mines'. não abuses.

não. não sabia que o miúdo é filho do samuel.

parabéns para este pai e benfiquista que não deixou que o filho fosse cooptado por outra 'religião'.

não tenho nenhum amigo (nem filhos)para acompanhar no futebol de formação a este nível, como parece ser o teu caso, logo não lhe dou grande atenção.

não me custa admiti-lo, mas ao que parece e pelos resultados mais recentes, algo está a mudar na formação do Sport Lisboa...
e BENFICA!

Ana Luiza said...

ESTORIAS MANEIRA

GM said...

Pesa-te a consciência..talvez porque saibas quem foram Góis Mota, Cazal-Ribeiro ou Salazar Carreira entre muitos outros.
Utilizas a mesma estratégia do Pinto das escutas: ambos foram clubes com fortes ligaçoes ao Estado Novo, e agora, passados todos estes anos, tentam vender às geraçoes mais novas que a História foi escrita ao contrário.
Nao passará. O passado é inapagável. Por cada habilidoso como tu que surja, aparecerao as provas do quao sujos vocês foram durante o Estado Novo. Bando de fascistazecos...

Post a Comment