Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

Quem somos e ao que vamos: uma tradição exclusiva do Sporting

Monday, 13 February 2012

Mas só no dia 15 porque primeiro importa recebe-los e derrotá-los em Lisboa.
Expectativas para a eliminatória. Dividem-se como sempre em dois tipos: as práticas e as  históricas, e nessa medida importa confiar que Ricardo Sá Pinto e demais staff preparam convenientemente as primeiras (esta época uma das equipas de futebol do clube comandada por Sá Pinto goleou em Anfield o Liverpool com 3 golos sem resposta), cabendo a todas as outras equipas de futebol que representaram o Sporting no passado responder pelas primeiras, suportadas na energia invisível que se faz sempre presente nas competições Europeias de futebol: habituação, ou tradição. Falámos aqui de 1968/69 e gostaria também de passar os olhos por 1969/70, época na qual o Sporting deslocou-se uma vez mais a Inglaterra para defrontar o Arsenal de Londres. Curiosamente, nessa temporada, Sporting CP, Vitória FC (também falado nesse primeiro post), FC Porto e Vitória SC (Guimarães), defrontaram (os 4) clubes Ingleses para a (ainda novamente) Taça das Cidades com Feira. O FC Porto foi eliminado pelo vencedor da edição anterior, Newcastle United, na 2ª ronda. O Vitória FC foi mais uma vez autor de um feito notável, ao eliminar o Liverpool FC em idêntica 2ª ronda, para se ver mais tarde afastado pelo Hertha BSC na 3ª. O Vitória SC de Guimarães viu-se afastado (tal como o FCP) na 2º ronda, pelos Saints de Southampton, e o Sporting CP foi também eliminado na 2ª ronda pelos Gunners.

Razia completa à qual somente resistiram os sadinos.

Qual é o interesse histórico destas 2 temporadas e os respectivos embates Europeus? Simples: o Sporting foi eliminado pelos clubes que acabariam por vencer a competição. Newcastle United em 1968/69 e Arsenal FC em 1969/70. Fica a curiosidade e é este o programa de jogo oficial da eliminatória travada com os Londrinos, empate sem golos no José Alvalade a 29 de Outubro de 1969, derrota por 3-0 no Highbury a 26 de Novembro do mesmo ano:


Manter a tradição. Não obstante as recorrentes dificuldades que os clubes portugueses exibem frente a opositores britânicos, existe um que consegue positivamente destacar-se dos demais. Do mais mal para o mais bem sucedido:

FC do Porto,
32 jogos disputados com clubes ingleses: 6 vitórias, 9 empates, 17 pesadas derrotas, num terrível saldo de 29 golos marcados e 56 sofridos.

Sport Lisboa e Benfica,
27 jogos disputados: 9 vitórias, 4 empates, 14 derrotas, num negativo saldo de 37 golos marcados e 49 sofridos.

Sporting Clube de Portugal,
21 jogos disputados com clubes ingleses: 8 vitórias, 5 empates, 8 derrotas, com o único saldo positivo entre portugueses ao nível de resultados mas também de golos marcados e sofridos, 30 a favor, 24 contra.

Das vitórias mais famosas, claro: a secção do livro dedicada às épocas de 60 dispõe-se sob o título «In pursuit of Glory, the Sixties». Nessa época, porém, a glória não foi do M. United. Foi do Sporting Clube de Portugal que esmagando-o por 5-0 (recorde Europeu), venceu nesse ano a competição Europeia que nenhum outro clube português tem, ou terá jamais.

É esta a boa dose de memória que conservamos, um sustento que o Sporting levará consigo para os 2 jogos. Mas é também a honrosa responsabilidade que carrega, enquanto mais bem sucedido clube português frente a emblemas de clubes de Sua Majestade a Rainha.

0 comentários:

Post a Comment