Palmarés

Internacional, equipas

Goalball (D. Adaptado)

1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Hóquei em Patins
:
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
3 Taças dos Vencedores das Taças
2 Taças CERS
Futebol:
1 Taça dos Vencedores das Taças
Atletismo:
Pista feminino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Cross masculino
14 Taças dos Clubes Campeões Europeus
Pista masculino
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
Andebol:
2 Taças EHF Challenge

Nacional, equipas

Futebol:
22 Campeonatos Nacionais
16 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira
Andebol
:
18 Campeonatos Nacionais
15 Taças de Portugal
3 Supertaças
Hóquei em Patins:
7 Campeonatos Nacionais
4 Taças de Portugal
2 Supertaças António Livramento
Atletismo:
Pista feminino
46 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta feminino
22 Campeonatos Nacionais
Cross feminino

5 Campeonatos Nacionais
Pista masculino

48 Campeonatos Nacionais
Pista Coberta masculino
17 Campeonatos Nacionais
Cross masculino
46 Campeonatos Nacionais
Futsal:
13 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
6 Supertaças
2 Taças da Liga
Natação
:
6 Campeonatos Nacionais feminina
6 Campeonatos Nacionais masculina
2 Taças de Portugal masculina
Basquetebol:
8 Campeonatos Nacionais
5 Taças de Portugal
Voleibol:
2 Taças de Portugal feminino
1 Supertaça feminino
5 Campeonatos Nacionais masculino
3 Taças de Portugal masculino
3 Supertaças masculino

 

 
Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.

O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.

No futebol até as tristezas são boas

Sunday, 1 January 2012




Em 1817, as tropas portuguesas invadiram a então chamada Banda Oriental do Rio da Prata (actual Uruguai) foi uma forma, que encontramos, de sacudir o império da águia napoleónica, que tentava dominar a Europa e o Mundo.
Os aguerridos portugueses/brasileiros aliados ao leão inglês conseguiram suster, repelir e anular os malefícios que a águia imperial napoleónica procurava trazer; anos mais tarde a águia imperial hitleriana, também, seria derrotada pela liderança firme, serena e esclarecida dum Leão chamado Churchill. O leão (the good) vs. a águia (the bad).

[voltarei a este tema noutro contexto] 

Bebo, como e sou feliz. Despeço-me e peço desculpa (...). Sentia-me Obdulio Varela. Sabem, o capitão do Uruguai que derrotou o Brasil, no Maracanã, em 1950. depois do jogo, sozinho, ele entrou pela noite do Rio. Numa tasca pediu uma cerveja e reconheceram-no. Temeu ser agredido. E foi: um jovem chorou-lhe, ao ombro, toda a tristeza do Brasil
(Ferreira Fernandes, in Diário de Notícias de 2008.06.16, p.72).

Cito este texto de Ferreira Fernandes porque, na minha opinião, ele possui toda a tristeza da vitória mas ao mesmo tempo a alegria por fazer bem o que tem de ser feito. Às vezes as palavras só atrapalham, imaginemo-nos Obdulio a ser chorado e a tentar confortar um menino, um jovem que sofria; imaginemos, agora, Luisão, a comemorar um golo no qual fez falta carregando Ricardo, golo esse, que valeria um campeonato, ao Benfica. Podemos imaginar, também, Ronny que marcou um golo com a mão que valeria um campeonato, ao Porto... é curioso pensarmos nisso, pois seriam mais dois campeonatos para o Sporting, ou seja, entre 1999/2000 e 2010/2011 o Sporting teria (deveria ter) quatro campeonatos conquistados.

Um clube é muito maior que uma pessoa, mas são as pessoas que fazem os clubes tal como são os jogadores que fazem as equipas, o exemplo de Obdulio é, apenas, mais um exemplo dum grande homem nascido num território que já foi Portugal (o Uruguai foi Portugal entre 1817 e 1828).
Um exemplo que no desporto devemos saber perder e devemos saber ganhar, e às vezes são as vitórias com o ombro encharcado de lágrimas que têm um sabor especial.

Um excelente 2012 para o Sporting, para o mentor deste blog e para todos os que por aqui passam para ler, e um abraço especial para todos os que para além de lerem, reflectem sobre o que escrevemos e vão comentando os assuntos relacionados com os posts.

2 comentários:

MM said...

Obdulio Varela acabara de demostrar que os endeusados jogadores Brasileiros eram vulneráveis, "então, todos nos demos conta de que podíamos ganhar a partida".

É assim, a vida. Não apenas o futebol.
Um abraço grande Pedro.

Ps, também eu gostarei um dia de dizer qualquer coisa sobre o Leão do escudo do Sporting Clube de Portugal e os 3 Leões do brasão de armas Inglês, versus a águia. Águia de quem constrói jaulas para sectarizar, ou a águia em cima da suástica no símbolo oficial do Partido Nazi.

manuel marques said...

Um ano novo cheio de paz ,amor e muitas felicidades.

Abraço.

Post a Comment