No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.


Autor: Pedro Oliveira


Chama-se Martí, é um menino com vinte anos e preparou-se durante toda a vida para o sonho que viveu na última terça-feira.
Martí foi um menino que sonhava como todos os meninos, corria atrás duma bola e imaginava o dia em que jogaria com a camisola do seu clube, na equipa principal. O sonho de Martí começou cedo, aos cinco anos. 

(...) que exale sempre
O impossível perfume; e destile sempre
O embriagante mel; e cante sempre o inaudível canto
Da sua combustão; e não deixe de ser nunca a eterna dançarina
Do efêmero; e em sua incalculável imperfeição
Constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação inumerável.

Este extracto dum poema de Vinicius de Moraes, sintetiza aquilo que penso sobre uma equipa de futebol; um futebol feito de risco e arte, de coisas que saem mal, uma incalculável imperfeição mas por vezes, muitas vezes, um embriagante mel que constitui a coisa mais bela e perfeita de toda a criação.
Escrevo sobre Martí e o Barcelona mas poderia escrever sobre Rui Patrício e o Sporting ou sobre os meninos que crescem na nossa Academia (hoje venceram o Belenenses por 3-0) e que sonham todos os dias, com o dia em que jogarão em Alvalade, na equipa principal, com a camisola listada de branco e esperança.
Hoje, passei os olhos pela blogosfera leonina e li a forma elogiosa como se referem a Mourinho e o facto do setubalense (ex jogador do Rio Ave) ter apostado em Pedro Mendes, um jogador emprestado pelo Sporting ao RM Castilla. Quem acompanha o trajecto do Pedro sabe que este, infelizmente, é suplente e nem sequer é a primeira opção como central.

No último jogo, Montañeros 2 vs. Castilla 1, a dupla de centrais de Madrid foi constituída por Juanan e Goni e com a expulsão do primeiro, foi Pablo Gil a entrar em campo ou seja Pedro foi utilizado na Champions porque faz parte da carteira do tio Jorge Mendes.

Enfim...

Entre o futebol arte, sonho, técnica, paixão e o futebol dos cifrões, dos jogadores pagos a peso de ouro, das negociatas fomentadas pelos apoderados dos jogadores, o meu coração estará sempre com os primeiros, do lado de meninos como Rui Patrício, como Martí ou como André Martins, do lado dos que lutam, para que os sonhos se cumpram.
Boa sorte Martí, para ti e para os teus companheiros, que os teus sonhos se continuem a cumprir, depois de amanhã...

Preparei este momento toda a minha vida

Posted on

Thursday, 8 December 2011

1 Comment
  1. Bibliografia consultada:
    Antologia poética de Vinicius de Moraes, Dom Quixote
    http://www.sport.es/es/noticias/barca/riverola-debuto-gracias-regalo-padre-1258431
    http://www.ionline.pt/desporto/riverola-ultimo-baby-globetrotter-na-quinta-pep

    ReplyDelete

Search This Blog